Notícias

A dieta do sucesso no Enem: O que comer para melhorar seu desempenho na prova

      

 

Você já deve estar cansado de ouvir a sua mãe dizer que “se você pretende se sair bem em uma prova é melhor se alimentar direito”. Mas será que isso é mesmo verdade? Ou ela só está querendo se aproveitar da sua disposição de fazer loucuras por uma boa nota para que você coma aquilo que mais detesta?

 

» O que falta é repertório, diz professor sobre redação do Enem 2012
» O que cai na prova de Linguagem, Códigos e suas Tecnologias do Enem 2012
» Mapeamos o ENEM: o que cai na prova de português

 

A Universia Brasil resolveu seguir o conselho da sua mãe e foi conversar com uma nutricionista, para saber quais são os pontos fundamentais de uma boa alimentação e como isso pode ajudar a mandar bem em uma prova, especialmente uma longa e cansativa, como o Enem.

 

O que nós descobrimos foi que a sua mãe está coberta de razão! Uma boa alimentação, especialmente com uma dieta rica em nutrientes, pode melhorar sua capacidade de concentração, sua ação cognitiva e até mesmo a sua memória.

 

Mas não pense que começar a se encher de nutrientes na semana do exame vai fazer com que você alcance o primeiro lugar na classificação. De acordo com a Dra. Mariana Fróes, nutricionista do Centro Multidisciplinar da Dor, “o melhor é possuir uma dieta balanceada desde o início do ano, se alimentar mal não contribui em nada para os estudos. A alimentação está ligada às atividades cognitivas, mas apresenta melhores resultados em longo prazo”.

 

A Dra. explicou que não existe nenhum alimento milagroso, que tenha a capacidade de transformar você em um gênio da noite para o dia. Mas, segundo ela, pequenas mudanças na sua alimentação diária já têm o poder de gerar um bom resultado. “O interessante é incluir um pouco de cada nutriente na dieta. Cada substância depende de várias outras para fazer efeito, os alimentos combinados é que vão garantir a melhora”, comentou Fróes.

 

É importante que essa dieta seja rica em nutrientes, pois são essas substâncias que atuam como co-fatores e melhoram a concentração. A nutricionista explica que, para o desenvolvimento cognitivo, é importante manter altos os níveis de B6, presente em alimentos como o frango, a banana e cereais integrais. Além disso, outras substâncias importantes são a vitamina B12, presente em carnes e ovos, e o ácido fólico, contido no feijão, no brócolis e na vagem.

 

Já os ácidos graxos polissaturados, encontrados no azeite, no óleo de canola e na linhaça, são eficientes para regular a energia no cérebro, pois atuam diretamente nos componentes das células nervosas. Além disso, esse tipo de ácido ajuda a auxiliar na rapidez com que a informação é transmitida de uma célula para outra.

 

Outro fator importante para deixar o cérebro pronto para o Enem é o desenvolvimento da memória. É possível alcançar esse desenvolvimento por meio da Acolina, uma substância associada à melhora da depressão e presente na gema do ovo. “Comer um ovo por dia faz bem para a memória. E não tem problema, não aumenta o colesterol, como as pessoas dizem. Na verdade, as substâncias presentes no ovo são mais benéficas que maléficas”, afirmou Mariana.

 

Outros alimentos que a nutricionista recomenda são o arroz integral, rico em vitamina B e magnésio, e o peixe, alimento rico em ômega 3 – substância diretamente ligada aos desenvolvimentos cerebrais. “Também é importante falar do zinco. Alimentos que contenham essa substância impedem o envelhecimento do cérebro”, afirma a Dra.

 

No entanto, Mariana lembra que a ingestão de nutrientes em excesso prejudica o organismo. “A ingestão de mais nutrientes do que o necessário acaba tendo o efeito contrário e prejudica o organismo. A substância acaba perdendo seu efeito e não faz nada daquilo que era esperado dela”, lembrou.

 

Para os dias que antecedem a prova, a nutricionista recomenda o chá verde no lugar do café. Esse tipo de chá ajuda a aumentar a concentração, e seu efeito dura aproximadamente três horas. “Uma boa dica é tomar uma quantidade pequena antes de estudar, para melhorar o foco. No entanto, é bom não exagerar para não prejudicar o sono”, ensina Fróes. A ingestão do chá também não é recomendada na parte da noite.

 

O mais importante, por mais clichê que pareça, é não passar períodos muito longos sem comer e nem pular refeições. “A principal energia do cérebro vem da glicose. Passar mais de três horas sem se alimentar diminui esses níveis e prejudica os estudos”, conclui.

 

 

Cardápio

Como a Dra. Mariana deixou claro, o ideal é iniciar uma dieta balanceada com antecedência. Por isso, a nutricionista preparou um cardápio especial para os leitores da Universia que prestarão o Enem em 2012. Mas a nutricionista ressalta: “É importante lembrar que uma dieta deve ser individualizada, pois cada pessoa tem carências diferentes. Além disso, existe também a questão de alergias alimentares”, alertou Froés.

 

 

Confira um modelo de alimentação ideal para arrasar no Enem:

Uma boa pedida para o café da manhã seriam frutas com aveia ou mesmo um pão integral com um ovinho caipira. Para beber, um suco de uva integral concentrado para diluir com água - suco de uva é rico em boro.

 

Se acordou cedo, é bom fazer um lanche na parte da manhã. As oleaginosas podem ser uma boa opção: castanha de caju, amêndoas, nozes ou até mesmo a semente de abóbora – que é vendida em casas de produtos naturais – sem sal, ela é muito rica em zinco.

 

No almoço, o tradicional arroz com feijão é muito bem vindo, mas lembrando que o arroz deve ser integral, pois garante a ingestão de vitamina B adequada. Uma carne magra para acompanhar, ou peixe – como salmão e sardinha, ricos em Ômega 3 –, ótimo para a saúde do cérebro. Não se esqueça de caprichar na salada, que deve ter brócolis, alface, tomate, brotos, couve flor.

 

No lanche da tarde opte por frutas da estação, que são sempre bem vindas. Lembre-se também de não ficar mais de 3 horas sem comer.

 

À noite, se for jantar, não se esqueça de incluir o carboidrato. Muitas pessoas acabam se esquecendo dele à noite e ele é necessário para os estudos. Escolha uma fonte boa, como o arroz integral. Se preferir algo diferente, pode optar pela quinua, é uma delícia e rica em aminoácidos. Não se esquecer da fonte protéica, uma carne, magra de preferência, e também não se esquecer dos vegetais, eles são sempre necessários. Se não puder fazer comida e for comer um sanduíche, escolha um pão integral, como com ovo, ou frango desfiado, mas não se esqueça da salada antes, ou dentro do sanduíche.

 

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.