Notícias

15 maneiras cientificamente comprovadas de aumentar sua inteligência

      
Crédito: Shutterstock.com
Crédito: Shutterstock.com

Ações e hábitos simples podem ajudar você a ser mais produtivo e a usar melhor suas sinapses, as conexões neurais que são a base do raciocínio. Nesse caso, as pesquisas científicas podem indicar caminhos seguros para realizar suas metas em termos de aumento na capacidade cognitiva.

Na preparação para o vestibular,por exemplo, quanto mais afiado seu cérebro estiver para assimilar conhecimento, melhor, certo?

Continue na leitura, e veja o que cientistas das instituições de ensino mais renomadas do mundo têm a dizer:

1. Tenha uma atitude positiva

Em um estudo feito por Rosenthal e Lenore Jacobson em 1968, os pesquisadores escolheram estudantes de maneira aleatória e disseram aos seus professores que eles eram alunos acima da média.

No fim do ano escolar, esses estudantes ganharam, em média, 22 pontos a mais em seus testes de QI em relação a outros alunos que não eram recomendados, mesmo sem apresentar performance acadêmica ao longo do ano que comprovasse a condição de acima média. Mais tarde, esse efeito foi nomeado como “profecia da auto-realização”.

2. Evite a rejeição

A rejeição pode diminuir drasticamente a capacidade de uma pessoa de pensar racionalmente, além de aumentar sua agressividade e até diminuir o QI. Essa foi a conclusão de um estudo feito pelo pesquisador Roy Baumeister e sua equipe, em uma pesquisa para determinar o quanto a rejeição afeta nossa capacidade de aprendizado.

Por outro lado, em um mundo em que somos constantemente expostos à rejeição, como fazer para que isso não afete nosso equilíbrio emocional e, consequentemente, a capacidade de aprender? No próximo tópico temos uma possível resposta.

3. Gerencie o tempo

Procure ter o controle de sua rotina e das tarefas que realiza. Estudos da Universidade Radboud, na Holanda, revelam que a sensação de perda de controle pode comprometer a performance das pessoas, por deixá-las inseguras.

Ter controle, nesse caso, significa gerenciar aquilo que fazemos, por quanto tempo faremos e de que forma será feito. A tecnologia ajuda, por exemplo, com ferramentas de gerenciamento de projetos, de tempo ou de trabalho em equipes. Google Drive, Trello, Asana e Artia são algumas delas.

4. Cuidado com a cor vermelha

A cromoterapia é a ciência que se dedica ao estudo das cores e seus efeitos sobre o desempenho das pessoas e suas formas de agir e pensar. Uma das pesquisas nessa área investigou os efeitos da cor vermelha no comportamento das pessoas.

Realizada pela Universidade de Chichester e apresentadas em 2010, seus resultados sugerem que a cor vermelha pode influenciar o inconsciente na percepção de fracasso, fazendo com que aumentem as chances de resultados ruins.

Embora esse cuidado tenha mais a ver com a parte motivacional do que com o desenvolvimento da inteligência, não se pode ignorar a importância da disposição mental como pré-requisito em processos de aprendizado.

5. Falar em voz alta

Um estudo feito em 1998, realizado pela Universidade de Setúbal, em Portugal, revelou que falar em voz alta, utilizando o formato conhecido como Podcast, pode melhorar a fluência na leitura em crianças do ensino fundamental. Em consequência, a capacidade cognitiva, raciocínio e a escrita também melhoram.

Contudo, a importância de falar em voz alta se estende para além da fase de aprendizado escolar na infância. Muitos outros estudos comprovam que essa é um técnica que pode ser utilizada para diversas outras finalidade, inclusive aprendizado de idiomas.

6. Adote a superstição saudável

Em um estudo publicado pelo jornal Psychological Science, os pesquisadores mostraram que hábitos supersticiosos, como dizer “boa sorte”, podem contribuir para aumentar o desempenho das pessoas em tarefas como praticar Golf e memorização.

Por outro lado, quando a superstição passa a condicionar comportamentos, talvez seja hora de rever seus hábitos, crenças e valores. A ideia é que ela seja uma alavanca para potencializar a atividade cerebral e não um entrave.

7. Pílula da inteligência

A modafinila tornou-se popular por aumentar a capacidade cognitiva das pessoas. Conhecida como “Pílula da Inteligência” é um medicamento cujo uso precisa ser controlado, caso contrário, pode causar efeitos colaterais.

Na verdade, esse fármaco é indicado desde a década de 1970 para tratamento da narcolepsia, que é a síndrome caracterizada por sono profundo e repentino. Com o tempo, descobriu-se que poderia ser indicada para pessoas em busca de melhora na capacidade de cognição e raciocínio.

Embora seja vendida sem controle em alguns países, a substância pode se mostrar perigosa, se for utilizada por muito tempo. Portanto, não arrisque: consulte seu médico antes de se valer desse recurso.

8. Acredite e tenha fé

Como aumentar o QI do cérebro é também uma questão de acreditar que isso é possível, os estudos também acabam validando essa percepção.

É o que dizem pesquisas que relacionam fé (que pode ser não religiosa) e capacidade de superar desafios. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Journal of Experimental Psychology, fé e crença na ciência têm efeitos similares.

9. Resolva palavras cruzadas

Os resultados de um estudo realizado na Irlanda, em 2005, revelam que a resolução de palavras cruzadas podem ajudar a aumentar a inteligência e até minimizar o efeitos do Mal de Alzheimer.

Além dos benefícios para a capacidade de aprendizado e para a saúde mental, a brincadeira pode, conforme aponta a pesquisa, rejuvenescer o cérebro em até 14 anos.

10. Cumpra as tarefas

Deixar as obrigações pela metade ou sobrepor tarefas pode reduzir sua capacidade de solucionar problemas ou dar conta do trabalho. Se você se concentrar em uma tarefa de cada vez, aumentará suas chances de apresentar resultados melhores em menos tempo.

Os cientistas dizem que, mesmo quando você deixa de fazer determinada tarefa, parte de seu cérebro continua focada nessa atividade, podendo ocupar atenção e memória de maneira prejudicial para seu desempenho. Logo, se você não as concluir, sua capacidade de se concentrar e de usar seu cérebro acaba ficando prejudicada.

11. Durma pelo menos 8 horas

O pesquisador Hans Van Dongen conduziu um experimento onde os participantes foram distribuídos em grupos que dormiam quatro, seis e oito horas por noite, durante duas semanas. Aqueles que dormiram mais tempo não apresentaram nenhum lapso de atenção ou declínio cognitivo durante os 14 dias de experimento.

12. Deixe a paquera para depois

Em um estudo publicado no Journal of Experimental Social Psychology, os pesquisadores comprovaram a hipótese de que os homens teriam suas capacidades cognitivas comprometidas ao interagir com mulheres. A alteração foi ainda mais perceptível quando as mulheres eram consideradas como mais atraentes.

13. Evite acumular trabalho

Cientistas da Universidade de Michigan comprovaram em uma pesquisa que ser multitarefa reduz de maneira significativa o desempenho e a produtividade. Os pesquisadores também afirmam que esses resultados são semelhantes para ambos os sexos.

Essa dica se relaciona diretamente com a de número 3, ou seja, para evitar que o acúmulo de atividades prejudique sua inteligência, é fundamental cultivar o hábito de gerenciar suas tarefas.

14. Aprenda algo novo

Pesquisadores da Universidade de Hamburgo, na Alemanha, submeteram 20 jovens a um mês de treino intenso de malabares. Eles descobriram que, apenas sete dias após o início dos treinos, os participantes já apresentavam um aumento na matéria cinza do cérebro.

Embora o uso de malabares tenha sido apontado como causa para o aumento no volume de massa cinzenta, na verdade o estudo também serve para indicar que desenvolver novos conhecimentos é igualmente decisivo para aumento da inteligência.

15. Faça exercícios físicos

Praticar esporte ajuda você a pensar melhor e mais rapidamente. Pesquisadores mostram que a prática de exercícios aeróbicos melhora o desempenho em atividades cognitivas.

Uma prova disso é dada pela pesquisa da Universidade da Califórnia, em que ficou provada a relação entre atividade física regular e aumento da inteligência.

Aprender como aumentar o QI do cérebro faz toda a diferença no desempenho nos estudos, trabalho e também nos relacionamentos. De qualquer forma, você precisará respeitar também intervalos regulares para lazer e descanso, afinal, por mais formidável que seja, o cérebro humano está longe de ser uma máquina.

Curtiu o artigo e quer aprender ainda mais? Baixe nosso e-book exclusivo em que destacamos as profissões do futuro!


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.