text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Como montar um bom currículo: as melhores dicas e o que evitar

      
imagen-relacionada
Um bom currículo é aquele que oferece destaque as qualidades certas para o recrutador  |  Fonte: iStock

 Estrutura de um currículo

 

A primeira avaliação de um profissional é feita por meio de seu currículo. Por isso, o documento precisa estar bem estruturado e possuir as informações necessárias para despertar o interesse de quem está lendo. Lembrando que os tópicos abaixo devem cabem em, no máximo, duas páginas:

 

  • Dados Pessoais

 

O profissional precisa, primeiramente, apresentar-se. Por isso, o primeiro tópico deve conter nome completo, idade, estado civil, endereço completo, telefone residencial, celular e e-mail para contato. Os dados devem estar completos e atualizados. Inserir foto fica a critério da pessoa, mas a imagem deve ser de caráter profissional.

 

  • Objetivo Profissional

 

De acordo com o que está buscando em sua carreira, o profissional deve descrever, de forma sucinta e direta – três linhas, no máximo –, seus objetivos profissionais e na empresa contratante.

 

  • Formação Acadêmica

 

Colocar os cursos que integrou no currículo por ondem de conclusão – sendo o que está sendo cursado o primeiro da lista. A descrição deve conter nome da instituição, curso, ano em que começou e previsão de conclusão. MBA, Pós-Graduação e Cursos Livres também devem ser citados.

 

  • Experiência Profissional

 

Ordene as experiências profissionais de acordo com sua realização. Colocar nome do cargo, período de trabalho e descrição das atividades e responsabilidades da colocação. 

 

  • Qualificações e Habilidades

 

Divulgar informações relacionadas ao seu desenvolvimento profissional e suas habilidades: características comportamentais, competências técnicas, cursos de idiomas, etc. É necessário citar o nível de conhecimento em alguns itens: básico, intermediário ou avançado.

 

  • Outras Informações

 

Tópico em que o profissional pode adicionar informações relevantes que não couberam nos outros itens: experiências internacionais, publicações ou atividades extracurriculares.

 

Dicas para um bom currículo

 

Você já deve ter lido isso aqui, mas não custa reforçar. Os recrutadores passam pouquíssimo tempo analisando currículos, afinal, eles têm uma pilha deles para avaliar, por isso, eles procuram algo que chame atenção logo nos primeiros segundos de leitura. A dica mais óbvia, portanto, é que você seja breve e conciso. Quais as outras?

 

Existem diversos estudos na área de recursos humanos que podem te ajudar a montar um bom currículo. Confira algumas para você fazer um bom currículo:

 

1. Não exagere

 

É lógico que você precisa causar uma boa impressão no seu futuro contratador, mas não exagere. Só adicione informações sólidas e conquistas concretas. Pesquisa publicada no Journal of Business and Psychology mostra que exagerar nas habilidades pessoais e "lapidar" demais o currículo não é uma boa saída. Guarde a sua lábia para entrevista, ela funciona melhor nesta situação.

 

2. Declarações de competências

 

Você deve achar uma forma de concentrar e relacionar as suas competências aos requerimentos do emprego. Em pesquisa divulgada pelo International Journal of Selection and Assessment, aqueles com afirmações mais relevantes foram melhor classificados por recrutadores.

 

3. Experiência acima da educação

 

Infelizmente, a maioria dos recrutadores não está particularmente interessada na sua educação, mas na sua experiência. Portanto, priorize sua experiência no currículo. Isso foi verificado em pesquisa exemplificada no livro Convincing the Recruiter: A Comparison of Resume Formats. A exceção para isso é se você quiser um emprego na própria academia.

 

4. Não economize em informação

 

Tente dar o máximo de informação possível. Os recrutadores não podem ter dúvida alguma ao lerem seu currículo. Não se esqueça, porém, que um bom CV deve ter, no máximo, 2 páginas.

 

5. Não use papel colorido

 

Estudo divulgado no Journal of Business Communication, demonstrou que os recrutadores têm certo preconceito com currículos coloridos. Com um CV desta forma, você vai se destacar da maneira errada.

 

6. Evite use layouts criativos

 

Exceto para carreiras com um foco em design, a maioria dos recrutadores não gosta de layouts criativos. No livro “Impression making by résumé layout: Its impact on the probability of being shortlisted”, pesquisadores chegaram à conclusão de que layouts criativos, em vez dos formais, tinham era duas vezes menos selecionados. Novamente, prefira sempre a formalidade para que seu CV não seja descartado.

 

Aposte em um layout simplificado e de fácil leitura, em que seja fácil identificar cada uma das informações. Conte suas experiências usando palavras-chaves, de forma direta e reduzida, de modo que o empregador consiga escanear as suas principais qualidades de forma rápida e precisa. Na hora de fazer um bom currículo, vale a máxima “menos é mais”.

 

7. Priorize suas qualificações e objetivos

 

É importante que você conheça muito bem as necessidades e habilidades mais valorizadas na área de seu interesse. Dessa forma, é possível planejar o currículo levando em consideração quais características profissionais e pessoais têm mais a ver com o perfil do setor ou empresa para qual está se candidatando.

 

8. Destaque informações mais importantes

 

Informe as informações mais importantes logo no começo, deixando as complementares para o final. É importante que o recrutador já comece a leitura do seu currículo pelos dados principais, tais como sua experiência acadêmica e o seu histórico profissional.

 

9. Pesquise palavras-chave

 

Quando estiver escrevendo o seu currículo, procure usar palavras-chave valorizadas no mercado de trabalho, que o destacam profissionalmente. É importante mostrar à empresa que você está inteirado sobre a sua área profissional, utilizando um vocabulário que se encaixe na sua profissão.

 

10. Escreva sobre seus objetivos

 

Procure elaborar o seu currículo com base nos seus principais objetivos profissionais. Em cada seção do documento, procure usar informações que podem ser atrativas para a vaga, destacando as experiências que mais se encaixam no perfil procurado pela empresa.

 

11. Utilize números quando possível

 

Uma boa dica para atrair a atenção da empresa é utilizar números para descrever suas experiências profissionais anteriores. Trata-se de um ótimo recurso visual para ilustrar as suas principais realizações ao longo da carreira. Você pode usá-los para registrar metas alcançadas, lucros gerados ou a quantidade de atividades realizadas por semana, por exemplo.

 

12. Inclua um portfólio, quando couber

 

É importante separar uma parte do currículo para o seu portfólio, descrevendo os projetos em que você já trabalhou e que podem destacá-lo profissionalmente. Por exemplo: se você é um jornalista, seria uma boa ideia inserir as matérias e entrevistas que foram assinadas em algum veículo midiático ou as atividades com que você se envolveu na faculdade, como elaboração de revistas, locução de rádio, gravação de vídeos, entre outras.

 

Estágios, saibam como é um bom currículo!

 

Na hora de obter vagas de estágio e trainee, um currículo bem estruturado pode ser uma ferramenta decisiva no processo de seleção.

 

Um currículo bem estruturado pode ser uma ferramenta decisiva no processo de seleção. Entre as dicas mais importantes sugeridas por especialistas para jovens que ainda não têm experiência profissional, está a valorização de aspectos de voluntariado e atividades extracurriculares. A escolaridade, nesse caso, não é tão determinante, já que o nível de concorrência é bem parecido de um candidato para o outro. 

 

  • Não negligencie os dados pessoais

 

O cabeçalho é o primeiro item do documento. Nele, deve constar seus dados pessoais, como nome completo, endereço, telefones e e-mail. Todas essas informações precisam estar atualizadas e devidamente anexadas no topo da página.

 

No campo do objetivo, o candidato deve colocar a função que pretende assumir na empresa. Em seguida, destaque as suas experiências profissionais, na ordem da mais recente para a mais antiga.

 

Mas, se você ainda não possui atuação profissional, não se apavore. Basta citar as habilidades que o fazem se destacar perante outras pessoas: atividades extracurriculares na escola, prêmios recebidos, trabalhos voluntários, entre outros.

 

  • Inclua sua formação acadêmica

 

Neste campo, é essencial que o estudante informe o curso e horários de aulas para conciliar com o estágio. Não deixe de fora a informação sobre o ano de conclusão dos estudos. Na sequência, especifique os conhecimentos em informática e idiomas, bem como cursos que achar relevante para o preenchimento da vaga desejada. 

 

Se está cursando ou concluindo a graduação, o ideal é priorizar as informações relativas à educação e posicioná-las no topo do currículo, logo abaixo dos objetivos profissionais. Primeiro, coloque o nome da Instituição de ensino em que estudou e também do curso. Em seguida, faça uma lista objetiva com os principais aprendizados, diferenciais do seu curso, perfil acadêmico, especializações, etc.

 

  • Atenção ao português

 

Parece não ter muita importância, mas o uso de fonte de fácil leitura, formatação adequada do texto e a atenção à escrita correta fazem muita diferença aos olhos de quem está avaliando o currículo. Erros graves de gramática e ortografia podem custar o não preenchimento da vaga do estágio ou do trainee.  

 

  • Seja verdadeiro

 

O currículo precisa estar coerente com o discurso que o candidato vai assumir na hora da entrevista. Contradições no bate papo em relação ao que está escrito no papel podem complicar a vida do estudante. Recrutadores de estagiários sabem que seus candidatos não possuem uma vasta experiência, não é necessário criar o que não é real.

 

  • Intercâmbios são um diferencial

 

Se você tiver realizado um intercâmbio não deixe de informar isso no currículo pelo qual pretende conseguir o seu estágio. Experiências de trabalho ou estudo no exterior normalmente são um diferencial durante a seleção.

 

Também é essencial citar os programas e projetos que participou durante a faculdade, como intercâmbios, empresas juniores, laboratórios e trabalhos voluntários.

 

Currículos para profissionais desempregados

 

Você ficou um longo período desempregado? Não sabe como lidar com currículos e entrevistas de emprego? 

 

Ficar desempregado durante um longo período pode ser um inconveniente na hora de fazer um currículo. Muitas pessoas acreditam que essa é uma informação que deve ser omitida das suas fichas, no entanto, existem várias formas de dizer a verdade sem se prejudicar.

 

Quando você for fazer um currículo, procure chamar a atenção para informações como cursos e empresas anteriores, desviando o foco de datas e períodos de trabalho. Conquiste seu recrutador por aquilo que você fez e não pela época em que desempenhou a tarefa.

 

O currículo é um documento que deve apenas mostrar seus dados, sem maiores explicações. A fase de argumentação ocorrerá durante as entrevistas, portanto é bom que você esteja preparado para narrar situações, motivos e consequências com cautela e controle de sentimentos. Treinar suas respostas antes de encontrar seu futuro chefe pode ajudá-lo.

 

Não se esqueça de que existem outros documentos que podem ser apresentados junto ao seu currículo, como portfólios e cartas de apresentação. Aproveite-os ao máximo.

 

Caso você sinta vergonha da sua situação passada, supere esse sentimento. O mercado de trabalho é amplo e com certeza existe uma vaga adequada a sua competência. A Universia Brasil está torcendo por você.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.