text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Veja por que começar a estudar para o Enem 2014 hoje é uma boa ideia

      
Crédito: Universia Brasil
Crédito: Universia Brasil

 

Mesmo que ainda não exista uma data definida para o Enem 2014, começar a estudar desde já é uma boa ideia para aqueles que contam com o exame para ingressar em uma boa universidade. No ano passado, a prova se assemelhou muito aos outros vestibulares e foi uma prova essencialmente conteudista, exigindo mais esforço por parte dos estudantes, o que justifica a necessidade de montar um plano de estudos que comece desde já.

 







Leia também:
» MEC considera incluir novos idiomas como opção no Enem
» MEC cria plataforma de estudo online para candidatos ao Enem 2014
» Vídeos: professores comentam provas do segundo dia do Enem 2013

 

Ao priorizar o conteúdo, o Enem fez com que os conhecimentos adquiridos previamente tivessem uma importância maior do que o raciocínio em si. Os alunos que estudaram ganharam uma vantagem em relação àqueles que confiaram na sua lógica. Por esse motivo, um dos conselhos de Alex Barros, coordenador do Sistema de Ensino Poliedro em São Paulo, é que o aluno comece a pensar no Enem 2014 desde já.

 

“Se o aluno conseguir adiantar os seus estudos agora, depois vai ficar mais tranquilo para ele quando começarem as aulas”, comentou. Aproveitar o fim das férias para estudar conteúdos que são recorrentes no Enem e nos vestibulares dá a chance de desenvolver um planejamento que permita o pensamento voltado ao exame sem deixar isso prejudicar o desempenho escolar do estudante.

 

Porém, se você acha que o certo seria estudar todas as matérias nesse período que falta para começarem as aulas, saiba que a recomendação do coordenador é pegar leve. Para ele, “não precisa ser muita coisa, o estudante pode escolher uma matéria e dar atenção para ela. Um bom exemplo é a matemática básica, um assunto comum no Enem e em todos os vestibulares”.

 

A grande vantagem desse estudo se dá ao fato de que o Enem está cada vez mais parecido com os vestibulares em geral. “A última prova do Enem não difere muito da Fuvest e da Unicamp”, disse Alex. Um bom exemplo disso é a comparação feita entre a prova de inglês do ano passado que, segundo professores, a do Enem 2013 teve uma dificuldade muito maior do que o nível cobrado pela Fuvest.

 

Sobre a redação, o coordenador do Poliedro adverte que o aluno precisa treinar a conciliação entre a forma e o conteúdo. O tema da redação sempre possui relevância nacional e pode ser qualquer assunto atual que chame a atenção do país durante o ano vigente. Porém, de nada adianta ser um estudante atualizado e ignorar a estrutura do texto dissertativo-argumentativo cobrado pelo exame. “Esse é um dos piores erros que o estudante pode cometer”, concluiu.

 

 

Universia BrasilImage Map

 

 

 

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.