text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Enem no Divã: influência dos pais na escolha da carreira

      
<p>O tema desta quinta-feira (30) da <a title=Série Ilustrativa Enem no Divã - Universia Brasil href=https://noticias.universia.com.br/tag/s%C3%A9rie-enem-no-div%C3%A3/>série ilustrativa Enem no Divã</a>, da <strong>Universia Brasil</strong>, é a <strong>influência dos pais na escolha da carreira dos filhos</strong>. A participação da família nesse processo é importante, mas obrigar o jovem a seguir determinada profissão é errado e prejudicial. Leia as opiniões dos especialistas e saiba o que fazer caso seus pais não concordem com a sua escolha profissional:</p><p><img style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto; src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/educacion/2/2e/2en/2enem-diva-influencia-pais-escolha-carreira.jpg alt=width=undefined height=undefined/></p><blockquote style=text-align: center;><strong>Maria da Conceição Coropos Uvaldo</strong> (psicóloga e coordenadora da orientação profissional da USP)</blockquote><p><br/>Essa é a questão mais debatida. Normalmente quando o pai escolhe uma carreira para o filho, ele tem algumas coisas em mente, como a experiência própria, ter algum conhecido que ganhou muito dinheiro em tal área, queria ter feito aquela carreira, mas não fez e se frustrou por isso ou leu que a profissão está em alta. Nenhum pai vai querer que o filho entre em um curso se ele não tem um motivo para isso, mas a grande questão é que geralmente eles são muito mal informados.</p><p>No Brasil, a gente tem uma defasagem de dados sobre mercado de trabalho, dificultando que os pais busquem informações. O que normalmente aconselhamos para os pais é que participem do processo de escolha dos filhos. É importante ser claro quando achar que determinada carreira é a ideal para o jovem e, a partir disso, participar das escolhas dele. Leia junto, vá em feiras de profissões para tirar dúvidas, pesquise sobre a carreira que ele estiver interessado. Nada de dizer: “não, isso não dá dinheiro, as pessoas morrem de fome”. É essencial que os pais se permitam ter surpresas, porque às vezes o que imaginou pode não ser verdade.</p><blockquote style=text-align: center;><strong>Sandro Caramaschi</strong> (psicólogo e professor da UNESP)</blockquote><p><br/>À medida que o filho faz uma opção, os pais têm o dever de apontar as vantagens e desvantagens das escolhas profissionais sem ser tendencioso. Ao fazer as perguntas certas, aumentam as chances de o aluno tomar uma boa decisão. Muitas vezes eles acabam tomando decisões que são intempestivas, imediatistas. A obrigação dos pais é dar informações para que a decisão seja a mais acertada possível.</p><blockquote style=text-align: center;><strong>Antonio Carlos Amador Pereira</strong> (psicólogo e professor da PUC-SP)</blockquote><p><br/>Toda família tem suas preferências, mas é preciso ter o bom senso de deixar o jovem escolher. Isso não significa não conversar, discutir ou trocar ideias. Você pode ponderar sobre as escolhas do seu filho. Os pais tem que ter o bom senso e até mesmo certa maturidade para encarar que é o outro que escolhe. Se for ele que vai escolher, ele que assuma a responsabilidade das escolhas. Quando você vai pela escolha do outro, a culpa ou o sucesso vai ser sempre dele. É normal as pessoas terem conflitos sobre escolhas, assim como é natural elas experimentarem.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Leia também sobre o Enem 2015:</strong></span><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=5 dicas para escolher a profissão ideal para o seu perfil href=https://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/07/08/1127900/5-dicas-escolher-profissao-ideal-perfil.html>» <strong>5 dicas para escolher a profissão ideal para o seu perfil </strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Tudo sobre a redação do Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/redação-enem-2015>» <strong>Tudo sobre a redação do Enem 2015</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias sobre o Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-enem-2015/>» <strong>Todas as notícias sobre o Enem 2015</strong></a></p><p> </p>
Fonte: Universia Brasil

O tema desta quinta-feira (30) da série ilustrativa Enem no Divã, da Universia Brasil, é a influência dos pais na escolha da carreira dos filhos. A participação da família nesse processo é importante, mas obrigar o jovem a seguir determinada profissão é errado e prejudicial. Leia as opiniões dos especialistas e saiba o que fazer caso seus pais não concordem com a sua escolha profissional:

Maria da Conceição Coropos Uvaldo (psicóloga e coordenadora da orientação profissional da USP)


"Essa é a questão mais debatida. Normalmente quando o pai escolhe uma carreira para o filho, ele tem algumas coisas em mente, como a experiência própria, ter algum conhecido que ganhou muito dinheiro em tal área, queria ter feito aquela carreira, mas não fez e se frustrou por isso ou leu que a profissão está em alta. Nenhum pai vai querer que o filho entre em um curso se ele não tem um motivo para isso, mas a grande questão é que geralmente eles são muito mal informados.

No Brasil, a gente tem uma defasagem de dados sobre mercado de trabalho, dificultando que os pais busquem informações. O que normalmente aconselhamos para os pais é que participem do processo de escolha dos filhos. É importante ser claro quando achar que determinada carreira é a ideal para o jovem e, a partir disso, participar das escolhas dele. Leia junto, vá em feiras de profissões para tirar dúvidas, pesquise sobre a carreira que ele estiver interessado. Nada de dizer: “não, isso não dá dinheiro, as pessoas morrem de fome”. É essencial que os pais se permitam ter surpresas, porque às vezes o que imaginou pode não ser verdade".

Sandro Caramaschi (psicólogo e professor da UNESP)


"À medida que o filho faz uma opção, os pais têm o dever de apontar as vantagens e desvantagens das escolhas profissionais sem ser tendencioso. Ao fazer as perguntas certas, aumentam as chances de o aluno tomar uma boa decisão. Muitas vezes eles acabam tomando decisões que são intempestivas, imediatistas. A obrigação dos pais é dar informações para que a decisão seja a mais acertada possível".

Antonio Carlos Amador Pereira (psicólogo e professor da PUC-SP)


"Toda família tem suas preferências, mas é preciso ter o bom senso de deixar o jovem escolher. Isso não significa não conversar, discutir ou trocar ideias. Você pode ponderar sobre as escolhas do seu filho. Os pais tem que ter o bom senso e até mesmo certa maturidade para encarar que é o outro que escolhe. Se for ele que vai escolher, ele que assuma a responsabilidade das escolhas. Quando você vai pela escolha do outro, a culpa ou o sucesso vai ser sempre dele. É normal as pessoas terem conflitos sobre escolhas, assim como é natural elas experimentarem".

 

Leia também sobre o Enem 2015:
» 5 dicas para escolher a profissão ideal para o seu perfil
» Tudo sobre a redação do Enem 2015
» Todas as notícias sobre o Enem 2015

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.