text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Enem no Divã: devo parar de estudar para trabalhar?

      
<p>Alguns estudantes que estão prestando o Enem são desencorajados a seguir estudando para poder trabalhar e contribuir financeiramente para a sobrevivência da família. Este é tema da <a title=Série ilustrativa Enem no Divã - Universia Brasil href=https://noticias.universia.com.br/tag/s%C3%A9rie-enem-no-div%C3%A3/>série ilustrativa Enem no Divã</a>, da <strong>Universia Brasil</strong>, desta segunda-feira (28). Leia as recomendações dos especialistas:</p><p><img style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto; src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/educacion/d/de/dev/devo-parar-estudar-para-trabalhar-enem.jpg alt=width=undefined height=undefined/></p><blockquote style=text-align: center;><strong>Sandro Caramaschi</strong> (psicólogo e professor da Unesp)</blockquote><p><br/> Isso tem que ser negociado, não tem regra pronta. Ele precisa conversar com os pais, entender a realidade financeira da família. Pode ser uma necessidade real. Também pode ser uma atitude dos pais em relação a um estudo que não auxilia na formação geral da pessoa. Eles podem argumentar, talvez até pressionando com determinadas atitudes, mas não há nada que substitua o diálogo.</p><blockquote style=text-align: center;><strong>Helio Roberto Deliberador</strong> (psicólogo e professor da PUC-SP)</blockquote><p><br/> O melhor caminho é o diálogo e apoio da família. A participação de padrinhos, tios e de outras pessoas nesse processo é fundamental para que determinada situação chegue a um consenso. O ideal é que o jovem possa seguir seu projeto e sua busca pessoal.</p><blockquote style=text-align: center;><strong>Antonio Carlos Amador Pereira</strong> (psicólogo e professor da PUC-SP)</blockquote><p><br/> Esse jovem precisa refletir sobre o que ele quer e como poderá conseguir isso. Muitas vezes, a família não é contra simplesmente porque quer. Ela tem medo de que ele pare de trabalhar e pare de ajudar. Por isso que muita gente continua trabalhando e vai estudar à noite. Ao mesmo tempo, é possível perceber que, ao estudar mais, terá condições de evoluir na carreira, portanto, a médio e longo prazo, vai ganhar mais também.</p><blockquote style=text-align: center;><strong>Sérgio Medeiros</strong> (psicólogo e coordenador do IBMR)</blockquote><p><br/> Um aspecto que seria interessante de ser trabalhado com os pais é que os alunos poderão ter empregos melhores e ter uma condição econômica melhor com uma formação acadêmica. Se os pais não compreenderem isso, estão condenando os filhos a ocuparem eternamente empregos mais subalternos na estrutura social. A forma que eles tem de superar essa dificuldade é exatamente a partir da formação acadêmica.</p><p> </p><p>É possível também estudar e ter um rendimento através dos estágios. Muitas vezes pode-se dizer que não paga muito bem, mas um emprego sem formação acadêmica não vai ser muito diferente. Na verdade, para muitos jovens, o que ele receberá trabalhando 8 horas por dia como um profissional não vai ser muito diferente do que ele vai receber como estagiário, que no caso está buscando uma oportunidade de mudar essa realidade.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Leia também sobre o Enem 2015:</strong></span><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Confira o guia online para quem desejar estudar e trabalhar no exterior href=https://noticias.universia.com.br/atualidade/noticia/2014/06/06/1098374/confira-guia-online-desejar-estudar-trab alhar-exterior.html>» <strong>Confira o guia online para quem desejar estudar e trabalhar no exterior</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Tudo sobre a redação do Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/redação-enem-2015>» <strong>Tudo sobre a redação do Enem 2015</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias sobre o Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-enem-2015/>» <strong>Todas as notícias sobre o Enem 2015</strong></a></p><p> </p>
Fonte: Shutterstock

Alguns estudantes que estão prestando o Enem são desencorajados a seguir estudando para poder trabalhar e contribuir financeiramente para a sobrevivência da família. Este é tema da série ilustrativa Enem no Divã, da Universia Brasil, desta segunda-feira (28). Leia as recomendações dos especialistas:

Sandro Caramaschi (psicólogo e professor da Unesp)


"Isso tem que ser negociado, não tem regra pronta. Ele precisa conversar com os pais, entender a realidade financeira da família. Pode ser uma necessidade real. Também pode ser uma atitude dos pais em relação a um estudo que não auxilia na formação geral da pessoa. Eles podem argumentar, talvez até pressionando com determinadas atitudes, mas não há nada que substitua o diálogo".

Helio Roberto Deliberador (psicólogo e professor da PUC-SP)


"O melhor caminho é o diálogo e apoio da família. A participação de padrinhos, tios e de outras pessoas nesse processo é fundamental para que determinada situação chegue a um consenso. O ideal é que o jovem possa seguir seu projeto e sua busca pessoal".

Antonio Carlos Amador Pereira (psicólogo e professor da PUC-SP)


"Esse jovem precisa refletir sobre o que ele quer e como poderá conseguir isso. Muitas vezes, a família não é contra simplesmente porque quer. Ela tem medo de que ele pare de trabalhar e pare de ajudar. Por isso que muita gente continua trabalhando e vai estudar à noite. Ao mesmo tempo, é possível perceber que, ao estudar mais, terá condições de evoluir na carreira, portanto, a médio e longo prazo, vai ganhar mais também".

Sérgio Medeiros (psicólogo e coordenador do IBMR)


"Um aspecto que seria interessante de ser trabalhado com os pais é que os alunos poderão ter empregos melhores e ter uma condição econômica melhor com uma formação acadêmica. Se os pais não compreenderem isso, estão condenando os filhos a ocuparem eternamente empregos mais subalternos na estrutura social. A forma que eles tem de superar essa dificuldade é exatamente a partir da formação acadêmica.

 

É possível também estudar e ter um rendimento através dos estágios. Muitas vezes pode-se dizer que não paga muito bem, mas um emprego sem formação acadêmica não vai ser muito diferente. Na verdade, para muitos jovens, o que ele receberá trabalhando 8 horas por dia como um profissional não vai ser muito diferente do que ele vai receber como estagiário, que no caso está buscando uma oportunidade de mudar essa realidade".

 

Leia também sobre o Enem 2015:
» Confira o guia online para quem desejar estudar e trabalhar no exterior
» Tudo sobre a redação do Enem 2015
» Todas as notícias sobre o Enem 2015

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.