text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Enem no Divã: como evitar a competitividade em ano de Enem e vestibular

      
<p>O <strong>Enem</strong> e os demais vestibulares são processos seletivos que acabam estimulando a competitividade entre os jovens. Veja o que pensam os especialistas convidados desta quinta-feira (01) da <a title=Série Ilustrativa Enem no Divã - Universia Brasil href=https://noticias.universia.com.br/tag/s%C3%A9rie-enem-no-div%C3%A3/>série ilustrativa Enem no Divã</a>, da <strong>Universia Brasil</strong>:</p><p><img style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto; src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/educacion/e/en/ene/enem-no-diva-evitar-competitividade.jpg alt=width=undefined height=undefined/></p><blockquote style=text-align: center;><strong>Maria da Conceição Coropos Uvaldo</strong> (psicóloga e coordenadora da orientação profissional da USP)</blockquote><p><br/> O grande risco de pessoas competitivas é que elas podem escolher os cursos mais difíceis e quererem vencer de qualquer jeito, tornando tudo mais complicado. Todo ano eu recebo gente que entrou em Medicina, fez um mês e percebeu que não era o curso que queria, já que na verdade só queria passar na faculdade. Talvez a competição cega: você quer muito ser o melhor e perde o motivo pelo qual está fazendo aquilo. Não é a mesma coisa que em um campeonato, que você quer ganhar uma taça e ser campeão. Vestibular e Enem são competições, não tem o menor problema ser competitivo, mas basta você entender que são só provas. O risco de você gostar mais da competição do que do curso que você escolheu para fazer é muito grande.</p><blockquote style=text-align: center;><strong>Antonio Carlos Amador Pereira</strong> (psicólogo e professor de da PUC-SP)</blockquote><p><br/> É preciso ter clareza do que se quer. Quer entrar na faculdade? Tudo bem. Então estude para entrar. Agora, do que vale estudar para ser o primeiro colocado no vestibular? O que significa isso? O que isso vai mudar na sua carreira? N-a-d-a. O vestibular foi inventado porque existem muito mais candidatos que vagas. As pessoas tinham que fazer uma prova para que fosse escolhido um determinado número de interessados. Você não é mais inteligente que o mundo porque tirou o primeiro lugar no vestibular. Não existe isso. Vai depender muito mais da sua dedicação. Então, competitividade é perda de tempo e energia. Muitas vezes a pessoa quer fazer isso para provar alguma coisa para alguém no entorno. Ela tem que entender que está se sobrecarregando, colocando energia a mais. Se não conseguir refletir adequadamente sobre isso, deve procurar uma terapia.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Leia também sobre o Enem 2015:</strong></span><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=6 tópicos imprescindíveis de Literatura para o Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/09/15/1131109/6-topicos-imprescindiveis-literatura-ene m-2015.html>» <strong>6 tópicos imprescindíveis de Literatura para o Enem 2015</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Tudo sobre a redação do Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/redação-enem-2015>» <strong>Tudo sobre a redação do Enem 2015</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias sobre o Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-enem-2015/>» <strong>Todas as notícias sobre o Enem 2015</strong></a></p><p> </p>
Fonte: Shutterstock

O Enem e os demais vestibulares são processos seletivos que acabam estimulando a competitividade entre os jovens. Veja o que pensam os especialistas convidados desta quinta-feira (01) da série ilustrativa Enem no Divã, da Universia Brasil:

Maria da Conceição Coropos Uvaldo (psicóloga e coordenadora da orientação profissional da USP)


"O grande risco de pessoas competitivas é que elas podem escolher os cursos mais difíceis e quererem vencer de qualquer jeito, tornando tudo mais complicado. Todo ano eu recebo gente que entrou em Medicina, fez um mês e percebeu que não era o curso que queria, já que na verdade só queria passar na faculdade. Talvez a competição cega: você quer muito ser o melhor e perde o motivo pelo qual está fazendo aquilo. Não é a mesma coisa que em um campeonato, que você quer ganhar uma taça e ser campeão. Vestibular e Enem são competições, não tem o menor problema ser competitivo, mas basta você entender que são só provas. O risco de você gostar mais da competição do que do curso que você escolheu para fazer é muito grande".

Antonio Carlos Amador Pereira (psicólogo e professor de da PUC-SP)


"É preciso ter clareza do que se quer. Quer entrar na faculdade? Tudo bem. Então estude para entrar. Agora, do que vale estudar para ser o primeiro colocado no vestibular? O que significa isso? O que isso vai mudar na sua carreira? N-a-d-a. O vestibular foi inventado porque existem muito mais candidatos que vagas. As pessoas tinham que fazer uma prova para que fosse escolhido um determinado número de interessados. Você não é mais inteligente que o mundo porque tirou o primeiro lugar no vestibular. Não existe isso. Vai depender muito mais da sua dedicação. Então, competitividade é perda de tempo e energia. Muitas vezes a pessoa quer fazer isso para provar alguma coisa para alguém no entorno. Ela tem que entender que está se sobrecarregando, colocando energia a mais. Se não conseguir refletir adequadamente sobre isso, deve procurar uma terapia".

 

Leia também sobre o Enem 2015:
» 6 tópicos imprescindíveis de Literatura para o Enem 2015
» Tudo sobre a redação do Enem 2015
» Todas as notícias sobre o Enem 2015

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.