text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Entenda por que estudar para o Enem é cada vez mais importante

      
Fonte: Universia Brasil

O Enem surgiu em 1998 para avaliar o desempenho dos estudantes ao fim do ensino médio, com o objetivo de propor melhorias à qualidade da educação básica no Brasil. A partir de 2009, o exame ganhou nova cara e passou a ser usado como processo seletivo para o ensino superior.

Veja também:
» Resumão Enem 2015: as dúvidas mais comuns de história dos candidatos
» Tudo sobre a redação do Enem 2015
» Todas as notícias sobre o Enem 2015

Cadastre-se aqui para receber novidades sobre o ENEM

 


Hoje, o Enem dá acesso a mais de 200.000 vagas em 128 instituições públicas de ensino superior do país. Além disso, a prova do Enem também é um caminho para outras oportunidades acadêmicas e educacionais. A seguir, entenda 4 motivos para levar o Enem muito a sério:


1 - Prouni

Com o Enem, o aluno pode concorrer ao Programa Universidade para Todos (Prouni), criado pelo Governo Federal para conceder bolsas de estudo integrais ou parciais em instituições privadas de ensino superior;


2 - Diploma do Ensino Médio

Para os estudantes que não têm o ensino médio completo, o Enem funciona como um comprovante de conclusão do curso;


3 - Ciência sem Fronteiras

Ter feito o Enem é um requisito indispensável para os alunos de graduação que queiram participar do programa Ciência sem Fronteiras, que concede bolsas de estudo em universidades de diversos países do mundo;


4 - Estudar em Portugal

As Universidades de Algarve, Aveiro, Beira Interior e Coimbra passaram a aceitar a nota do Enem em seu processo seletivo.


ENEM: A PROVA MAIS IMPORTANTE DO PAÍS


Para Márcio Figueiredo, professor e coordenador no curso preparatório Poliedro, o Enem democratizou o processo de ingresso no ensino superior e abriu um leque de oportunidades aos pré-universitários. “Para o aluno prestar todos os vestibulares que queria era quase impossível, pela questão financeira e também de deslocamento. Nesse sentido, o Enem quebrou fronteiras”, explica.


Além disso, o professor considera o formato da prova muito justo e interessante, pois testa a capacidade de leitura, interpretação e aplicação de conceitos, tornando mais igualitária a concorrência entre os alunos de escola pública e particular. “O exame avalia o candidato como um todo [...] e essa característica torna a seleção mais justa. Quem fez uma escola particular e tem muito conteúdo, não
necessariamente vai bem no Enem, por exemplo”.


Ao olhar para os últimos dois anos de exame, Figueiredo vê uma grande evolução na prova, que, segundo ele, se tornou mais confiável e consistente. “Inclusive, a Fuvest já incluiu a nota do Enem como seleção para alguns cursos e outras universidades de primeira linha, como a Unicamp e a UNESP, já estudam usar a nota da prova como um bônus”, comemora.


Para o coordenador “o Enem é uma tendência, pois facilita todo o processo seletivo e é mais barato para as universidades”. “O que muitas estão fazendo é aguardar para que o exame se consolide e fique mais confiável, mas, daqui a pouco, todas as instituições públicas estarão usando a participação do Enem, mesmo que parcial, como já faz a UNIFESP”, aposta Figueiredo.


O QUE PRECISA MELHORAR

O aluno que presta o Enem pode se candidatar pelo Sisu para, apenas, duas vagas em universidades públicas. Na opinião do professor, “seria interessante que o estudante tivesse a opção de se aplicar a três, quatro ou mais instituições”.

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.