text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Terceirização trabalhista na prova do Enem 2015

      
<p>No último domingo (18), circularam na internet duas supostas propostas de redação do <strong>Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015</strong>. Uma delas tratava da questão da terceirização trabalhista, indagando o aluno sobre seus benefícios e malefícios.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Veja também:</strong></span></p><p><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Enem 2015: intolerância religiosa na redação href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/10/21/1132670/enem-2015-intolerancia-religiosa-redacao.html>» <strong>Enem 2015: intolerância religiosa na redação</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Enem no Divã: veja o que fazer caso você saiba de um vazamento no Enem href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/10/20/1132598/enem-diva-veja-fazer-caso-saiba-vazamento- enem.html>» <strong>Enem no Divã: veja o que fazer caso você saiba de um vazamento no Enem</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias sobre o Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-enem-2015/>» <strong>Todas as notícias sobre o Enem 2015</strong></a></p><p> </p><blockquote style=text-align: center;>Cadastre-se <span style=text-decoration: underline;><a id=REGISTRO USUARIOS class=enlaces_med_registro_universia title=Cadastre-se aqui para receber novidades sobre o Enem href=https://usuarios.universia.net/registerUserComplete.action?idC=2&idS=NOTICIAS_BR target=_blank>aqui</a></span> para receber novidades sobre o <strong>ENEM</strong></blockquote><p>O <strong>Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)</strong> disse que o material era falso e o encaminhou à Polícia Federal para investigação. No entanto, apesar da proposta sobre terceirização ser hipotética, ela foi alvo de uma imensa polêmica no início do ano e merece destaque e explicações mais aprofundadas.</p><p> </p><p>Pensando na possibilidade de o assunto aparecer na prova de verdade, conversamos com a coordenadora de redação do curso Poliedro Gabriela Carvalho, que trouxe reflexões mais aprofundadas sobre a questão. Além disso, a especialista criou um <strong><a title=Enem 2015: o passo a passo para garantir uma boa nota na redação href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/10/19/1132469/enem-2015-passo-passo-garantir-boa-nota-redacao.html>passo a passo para construir uma boa introdução, desenvolvimento e proposta de intervenção</a></strong>. Confira as dicas!</p><p> </p><p><strong>Terceirização trabalhista na prova do Enem 2015</strong></p><p>No início do ano, foi aprovado pela Câmara dos Deputados o <strong>Projeto Lei 4330/2004</strong>, que regulamenta a terceirização trabalhista no Brasil. A terceirização nada mais é do que a contratação de uma empresa prestadora de serviços por outra empresa, para que ela realize uma atividade específica. Nesses casos, não há vínculo entre quem contrata e os trabalhadores terceirizados.</p><p> </p><p>A prática de terceirização de empresas-meio, ou seja, que realizam atividades complementares ao foco principal de investimento da empresa, como limpeza, informática, consultoria e segurança, já era comum no Brasil. Com o novo Projeto Lei, permite-se que qualquer tipo de serviço, seja ele complementar, acessório ou inerente, possa ser contratado em regime terceirizado.</p><p> </p><p><strong>Tema da redação do Enem: Terceirização</strong></p><p>Para a professora Gabriela, a possibilidade de o tema cair exatamente como nas supostas provas divulgadas na internet é pequena. “Normalmente, o Enem apresenta um problema para o aluno resolver, então acho difícil que a prova peça que ele mostre benefícios e malefícios, ao invés de propor soluções para a questão”, conta.</p><p> </p><p>Contudo, se o tema aparecer na prova, ela acredita que será pedida ao candidato uma proposta de intervenção aos problemas da terceirização. “Os possíveis problemas podem ser a precarização do trabalho e o distanciamento das relações humanas, que pode fragmentar a sociedade, perdendo ideais como cidadania, união e trabalho em equipe”, opina.</p><p> </p><p><strong>Introdução da redação</strong></p><p>A professora da Poliedro acredita que uma boa forma de iniciar o texto é citando fatos históricos e dados geopolíticos. “O aluno pode explicar, por exemplo, como se construiu a história do capitalismo no Brasil para que a proposta de terceirização tenha se tornado viável. Ele também pode apresentar o contexto social da questão, mostrando sua bagagem de conhecimento externo”, aconselha.</p><p> </p><p><strong>Desenvolvimento</strong></p><p>No desenvolvimento, <strong><a title=Por dentro da redação do Enem 2015: 5 maneiras de elaborar uma boa argumentação href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/07/07/1127920/dentro-redacao-enem-2015-5-maneiras-elaborar-boa-argumentacao.html>o candidato precisa estar focado em convencer seu leitor de que o problema apresentado por ele é, de fato, um problema e merece atenção</a></strong>. Esse é o momento de apresentar argumentos convincentes e preparar o corretor para a proposta de intervenção.</p><p> </p><p>“Eu usaria os parágrafos de desenvolvimento para dar uma pincelada no que já feito em relação a leis trabalhistas, dizendo que brigamos pela implantação do regime CLT, pela jornada de 8 horas de trabalho e outros benefícios. Por isso, seria interessante continuar a luta por melhorias, ao invés de desprezar esse histórico”, sugere Gabriela.</p><p> </p><p><strong>Proposta de intervenção</strong></p><p><strong><a title=Aprenda a criar uma boa proposta de intervenção na redação do Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/07/01/1127583/aprenda-criar-boa-proposta-intervencao-redacao-enem-2015.html>Para a proposta de intervenção, o aluno deve focar em sugerir mudanças</a></strong> que não envolvam somente os órgãos públicos e autoridades, mas também a população. É preciso mostrar o que cada um pode fazer em seu dia a dia para melhorar a situação em questão. No caso da terceirização, a professora cita a luta trabalhista por direitos e benefícios compatíveis com a necessidade de quem trabalha.</p>
Fonte: Universia Brasil

No último domingo (18), circularam na internet duas supostas propostas de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015. Uma delas tratava da questão da terceirização trabalhista, indagando o aluno sobre seus benefícios e malefícios.

 

Veja também:

» Enem 2015: intolerância religiosa na redação
» Enem no Divã: veja o que fazer caso você saiba de um vazamento no Enem
» Todas as notícias sobre o Enem 2015

 

Cadastre-se aqui para receber novidades sobre o ENEM

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disse que o material era falso e o encaminhou à Polícia Federal para investigação. No entanto, apesar da proposta sobre terceirização ser hipotética, ela foi alvo de uma imensa polêmica no início do ano e merece destaque e explicações mais aprofundadas.

 

Pensando na possibilidade de o assunto aparecer na prova de verdade, conversamos com a coordenadora de redação do curso Poliedro Gabriela Carvalho, que trouxe reflexões mais aprofundadas sobre a questão. Além disso, a especialista criou um passo a passo para construir uma boa introdução, desenvolvimento e proposta de intervenção. Confira as dicas!

 

Terceirização trabalhista na prova do Enem 2015

No início do ano, foi aprovado pela Câmara dos Deputados o Projeto Lei 4330/2004, que regulamenta a terceirização trabalhista no Brasil. A terceirização nada mais é do que a contratação de uma empresa prestadora de serviços por outra empresa, para que ela realize uma atividade específica. Nesses casos, não há vínculo entre quem contrata e os trabalhadores terceirizados.

 

A prática de terceirização de empresas-meio, ou seja, que realizam atividades complementares ao foco principal de investimento da empresa, como limpeza, informática, consultoria e segurança, já era comum no Brasil. Com o novo Projeto Lei, permite-se que qualquer tipo de serviço, seja ele complementar, acessório ou inerente, possa ser contratado em regime terceirizado.

 

Tema da redação do Enem: Terceirização

Para a professora Gabriela, a possibilidade de o tema cair exatamente como nas supostas provas divulgadas na internet é pequena. “Normalmente, o Enem apresenta um problema para o aluno resolver, então acho difícil que a prova peça que ele mostre benefícios e malefícios, ao invés de propor soluções para a questão”, conta.

 

Contudo, se o tema aparecer na prova, ela acredita que será pedida ao candidato uma proposta de intervenção aos problemas da terceirização. “Os possíveis problemas podem ser a precarização do trabalho e o distanciamento das relações humanas, que pode fragmentar a sociedade, perdendo ideais como cidadania, união e trabalho em equipe”, opina.

 

Introdução da redação

A professora da Poliedro acredita que uma boa forma de iniciar o texto é citando fatos históricos e dados geopolíticos. “O aluno pode explicar, por exemplo, como se construiu a história do capitalismo no Brasil para que a proposta de terceirização tenha se tornado viável. Ele também pode apresentar o contexto social da questão, mostrando sua bagagem de conhecimento externo”, aconselha.

 

Desenvolvimento

No desenvolvimento, o candidato precisa estar focado em convencer seu leitor de que o problema apresentado por ele é, de fato, um problema e merece atenção. Esse é o momento de apresentar argumentos convincentes e preparar o corretor para a proposta de intervenção.

 

“Eu usaria os parágrafos de desenvolvimento para dar uma pincelada no que já feito em relação a leis trabalhistas, dizendo que brigamos pela implantação do regime CLT, pela jornada de 8 horas de trabalho e outros benefícios. Por isso, seria interessante continuar a luta por melhorias, ao invés de desprezar esse histórico”, sugere Gabriela.

 

Proposta de intervenção

Para a proposta de intervenção, o aluno deve focar em sugerir mudanças que não envolvam somente os órgãos públicos e autoridades, mas também a população. É preciso mostrar o que cada um pode fazer em seu dia a dia para melhorar a situação em questão. No caso da terceirização, a professora cita a luta trabalhista por direitos e benefícios compatíveis com a necessidade de quem trabalha.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.