Notícias

Ensinar é simples: 5 dicas para aplicar a dinâmica dos games em sala de aula

      
Fonte: Shutterstock

A gamificação, como é chamada a técnica, pode ser aplicada a partir de iniciativas simples, como as que são destacadas a seguir na opinião da startup Eruga, especializada em soluções inovadoras para as escolas:

Veja também:
» Siga a coluna Ensinar é Simples


1. Transforme tarefas em missões

Pense em modos de reunir as tarefas diárias em um plano que represente para os alunos o cumprimento de missões. Você pode nomear cada missão de forma lúdica. Por exemplo, na missão “Sangue bom”, os alunos devem cumprir um número mínimo de tarefas entre diversas opções disponíveis, como preencher um questionário de perguntas, realizar uma pesquisa sobre os elementos do sangue ou explicar para a turma a diferença entre os tipos sanguíneos. O importante é que as tarefas tenham coerência no contexto da disciplina e sejam complementares.


2. Permita a conclusão das missões de diferentes formas

O que torna os atuais games eletrônicos interessantes é que há diversas maneiras de se alcançar a vitória, ou seja, o jogador pode escolher quais caminhos seguir dentre várias opções, sempre tendo regras claras. Aplique esse princípio nas missões dos alunos, dessa forma eles terão mais liberdade, o que poderá aumentar o engajamento nas disciplinas. Estimular a participação em eventos fora da escola pode ser um jeito interessante de levar os alunos a estudarem além do tempo das aulas. O professor pode criar eventos em redes sociais com hora marcada para que a turma assista determinado vídeo e na sequência interaja por troca de mensagens.


3. Reconheça pequenas conquistas

Não espere que a turma alcance todos os objetivos para só então oferecer algum tipo de reconhecimento. Estabeleça pequenos marcos ao longo do processo, de forma que os estudantes saibam que chegaram a pontos importantes dentro da estratégia. Deixe claro todas as regras e esteja atento ao fato de que todos os alunos devem ter as mesmas condições de alcançar a vitória ou concluir os desafios.


4. Tenha um sistema de recompensas

O esforço para cumprir as tarefas e completar as missões deve receber recompensas que despertem o interesse. Um ponto extra na próxima prova de matemática para quem completar a missão no menor tempo ou com o maior número de acertos, por exemplo, pode ser um bom chamariz. Avalie também a possibilidade de recompensar bons comportamentos, como a pontualidade ou a entrega dos trabalhos em dia.


5. Peça ajuda para criar novas estratégias

Depois de aplicar a primeira estratégia de gamificação, peça o feedback dos alunos sobre a ação, solicitando sugestões que possam ser aproveitadas em novas oportunidades. Pergunte de que forma as missões facilitaram o aprendizado e estimule a troca de informações sobre a experiência entre os participantes.


Sobre a Eruga:

A Eruga é uma startup curitibana que desenvolve sistemas educacionais com o uso de realidade aumentada. Seu objetivo é facilitar o aprendizado de temas complexos e tornar o ensino mais simples.

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.