text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Primeira professora com Síndrome de Down recebe prêmio de educação

      
<p>Há 10 anos, Débora Seabra, 34 anos, trabalha como professora na Escola Doméstica, instituição de ensino particular, que fica em Natal, no Rio Grande do Norte. A diferença entre ela e os outros docentes da instituição? <strong>Débora tem Síndrome de Down</strong>.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Veja também:</strong></span><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Maria da Penha elogia tema da redação do Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/10/28/1132991/maria-penha-elogia-tema-redacao-enem-2015.html>» <strong>Maria da Penha elogia tema da redação do Enem 2015</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Mulheres representam mais da metade dos candidatos ao Enem 2015 href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/10/06/1132053/mulheres-representam-metade-candidatos-enem-2015.html>» <strong>Mulheres representam mais da metade dos candidatos ao Enem 2015</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias de Educação href=https://noticias.universia.com.br/educacao>» <strong>Todas as notícias de Educação</strong></a></p><p> </p><p>Nesta terça-feira (27), a professora potiguar foi homenageada com o <strong><a title=Prêmio Darcy Ribeiro de Educação 2015 href=https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/ce/premiodarcyribeiro target=_blank>Prêmio Darcy Ribeiro de Educação 2015</a></strong>, que é organizado pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e elege, anualmente, três pessoas consideradas destaques na área de educação do país.</p><p> </p><p>Da infância ao curso de magistério, Débora estudou em escolas regulares, o que a tornou uma defensora da inclusão de pessoas com Síndrome de Down nessas instituições de ensino. Essa luta por oportunidades semelhantes às que teve durante sua formação fez com que a educadora se tornasse uma referência e fosse indicada ao prêmio.</p><p> </p><p>Além de ser a <strong>primeira professora do Brasil com Síndrome de Down</strong>, a potiguar integra um grupo de teatro e lançou recentemente um livro chamado <strong>“Débora conta Histórias”</strong>, que reúne fábulas infantis com mensagens de apoio ao direito de ser diferente. Débora também roda o Brasil e outros países, como Portugal, dando palestras sobre o combate ao preconceito.</p><p>Atualmente, o Brasil conta com cerca de <strong>300 mil cidadãos com Síndrome de Down</strong>. No entanto, segundo a <strong><a title=Federação Brasileira de Associações de Síndrome de Down href=https://www.federacaodown.org.br/portal/>Federação Brasileira de Associações de Síndrome de Down</a></strong>, apenas 60 delas inciam cursos profissionalizantes por ano.</p>
Fonte: Divulgação

Há 10 anos, Débora Seabra, 34 anos, trabalha como professora na Escola Doméstica, instituição de ensino particular, que fica em Natal, no Rio Grande do Norte. A diferença entre ela e os outros docentes da instituição? Débora tem Síndrome de Down.

 

Veja também:
» Maria da Penha elogia tema da redação do Enem 2015
» Mulheres representam mais da metade dos candidatos ao Enem 2015
» Todas as notícias de Educação

 

Nesta terça-feira (27), a professora potiguar foi homenageada com o Prêmio Darcy Ribeiro de Educação 2015, que é organizado pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e elege, anualmente, três pessoas consideradas destaques na área de educação do país.

 

Da infância ao curso de magistério, Débora estudou em escolas regulares, o que a tornou uma defensora da inclusão de pessoas com Síndrome de Down nessas instituições de ensino. Essa luta por oportunidades semelhantes às que teve durante sua formação fez com que a educadora se tornasse uma referência e fosse indicada ao prêmio.

 

Além de ser a primeira professora do Brasil com Síndrome de Down, a potiguar integra um grupo de teatro e lançou recentemente um livro chamado “Débora conta Histórias”, que reúne fábulas infantis com mensagens de apoio ao direito de ser diferente. Débora também roda o Brasil e outros países, como Portugal, dando palestras sobre o combate ao preconceito.

Atualmente, o Brasil conta com cerca de 300 mil cidadãos com Síndrome de Down. No entanto, segundo a Federação Brasileira de Associações de Síndrome de Down, apenas 60 delas inciam cursos profissionalizantes por ano.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.