text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Estudantes da Universidade do Texas poderão entrar armados em sala de aula

      
<p>Os estudantes da <strong><a title=Universidade do Texas (UT) href=https://www.utexas.edu/>Universidade do Texas (UT)</a></strong>, nos Estados Unidos, poderão, a partir do próximo ano letivo, frequentar as aulas portando armas de fogo. A medida foi aprovada há alguns meses nas câmaras do Parlamento do estado do Texas, que é controlada por políticos do Partido Republicano americano. Além do uso por estudantes, também foi liberado o porte de armas em vias públicas.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Você pode ler também:</strong></span><br/><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Quase 20% dos alunos da rede pública rejeitam colegas trans, gays e travestis href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/02/18/1136491/quase-20-alunos-rede-publica-rejeitam-colegas-trans-gays-travestis.html>» <strong>Quase 20% dos alunos da rede pública rejeitam colegas trans, gays e travestis</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Universidade americana força alunos a praticarem exercícios físicos href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/02/01/1135967/universidade-americana-forca-alunos-praticarem-exercicios-fisicos.html>» <strong>Universidade americana força alunos a praticarem exercícios físicos</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias de Educação href=https://noticias.universia.com.br/educacao>» <strong>Todas as notícias de Educação</strong></a></p><p> </p><p>A Universidade do Texas é umas das maiores e mais importantes instituições dos Estados Unidos, com mais de 50 mil alunos matriculados. Mesmo com a oposição de seu reitor, presidente e também da maioria da comunidade universitária local, a medida será aplicada. Para seus defensores, a liberação do uso de armas poderá prevenir tiroteios e permitir que os estudantes se defendam.</p><p> </p><p>O presidente da UT, Greg Fenves, disse que a situação tem sido o maior desafio de sua vida. “<strong>Eu não acho que as armas pertençam à Universidade</strong>”, disse o docente, que também explicou que o uso será proibido em eventos esportivos, laboratórios e nas residências dos estudantes dentro do campus.</p><p> </p><p>Para o reitor da universidade, William McRaven, que serviu ao exército americano, e estava no comando da operação em que Osama Bin Laden, líder do grupo Al Qaeda, foi morto, “as armas não têm lugar numa instituição de ensino superior, cuja missão educativa e de investigação <strong>se baseia no debate e na liberdade de expressão</strong>”.</p><p> </p><p>Um fato curioso é que a norma passará a valer a partir do próximo 1º de agosto, aniversário de 50 anos do massacre que matou 14 pessoas e feriu outras 32 dentro da universidade, no campus de Austin. O estudante <strong>Charles Whitman</strong> entrou armado na instituição, no ano de 1966, e protagonizou o tiroteio contra colegas e professores, que durou quase 95 minutos.</p>
Fonte: Shutterstock

Os estudantes da Universidade do Texas (UT), nos Estados Unidos, poderão, a partir do próximo ano letivo, frequentar as aulas portando armas de fogo. A medida foi aprovada há alguns meses nas câmaras do Parlamento do estado do Texas, que é controlada por políticos do Partido Republicano americano. Além do uso por estudantes, também foi liberado o porte de armas em vias públicas.

 

Você pode ler também:

» Quase 20% dos alunos da rede pública rejeitam colegas trans, gays e travestis
» Universidade americana força alunos a praticarem exercícios físicos
» Todas as notícias de Educação

 

A Universidade do Texas é umas das maiores e mais importantes instituições dos Estados Unidos, com mais de 50 mil alunos matriculados. Mesmo com a oposição de seu reitor, presidente e também da maioria da comunidade universitária local, a medida será aplicada. Para seus defensores, a liberação do uso de armas poderá prevenir tiroteios e permitir que os estudantes se defendam.

 

O presidente da UT, Greg Fenves, disse que a situação tem sido o maior desafio de sua vida. “Eu não acho que as armas pertençam à Universidade”, disse o docente, que também explicou que o uso será proibido em eventos esportivos, laboratórios e nas residências dos estudantes dentro do campus.

 

Para o reitor da universidade, William McRaven, que serviu ao exército americano, e estava no comando da operação em que Osama Bin Laden, líder do grupo Al Qaeda, foi morto, “as armas não têm lugar numa instituição de ensino superior, cuja missão educativa e de investigação se baseia no debate e na liberdade de expressão”.

 

Um fato curioso é que a norma passará a valer a partir do próximo 1º de agosto, aniversário de 50 anos do massacre que matou 14 pessoas e feriu outras 32 dentro da universidade, no campus de Austin. O estudante Charles Whitman entrou armado na instituição, no ano de 1966, e protagonizou o tiroteio contra colegas e professores, que durou quase 95 minutos.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.