text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Os segredos dos países que são exemplos na educação e o que podemos aprender com eles

      
Os segredos dos países que são exemplos na educação e o que podemos aprender com eles
Os segredos dos países que são exemplos na educação e o que podemos aprender com eles  |  Fonte: Shutterstock

Alguns lugares são referência quando se trata do universo educacional. Sempre bem qualificados em rankings globais e tidos como exemplo, esses são modelos que muitos tentam adaptar e seguir. Mas quais serão os segredos dos países que são exemplos na educação?

O Programa de Avaliação Internacional de Alunos, feito pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), realizou uma pesquisa em dezembro de 2016 que colocou locais como Cingapura, Japão e Canadá no topo quando se trata dessa área. O que será que os diferencia e como eles obtêm tais resultados? De acordo com dados levantados pela BBC, muita coisa faz a diferença.

Antes de mais nada, os países mais bem ranqueados no PISA não apenas possuem professores de qualidade, mas investem em tais profissionais. Em geral, os educadores recebem reconhecimento – tanto moral quanto na remuneração – por seu papel na formação de indivíduos e são sempre incentivados a melhorarem a sua qualidade de ensino.

Uma técnica muito utilizada principalmente entre os destaques asiáticos é designar seus melhores professores para alunos com o menor desempenho. A ideia é fazer com que aqueles que possuem dificuldades ou algum déficit consigam se igualar a seus colegas eventualmente, tornando a classe toda forte.

A distribuição e acesso a oportunidades também é um diferencial entre os mais bem posicionados. Há uma preocupação constante de que todos possam ter acesso à mesma qualidade de educação e que todos possam alcançar resultados positivos. Em muitos dos “top list” do ranking, a principal preocupação é com o coletivo, não com os alunos individualmente. A ideia é que os bons resultados devem ser conquistados por todos.

Tais países também visam se inspirar no que há de melhor em outros. Em muitos dos casos, técnicas que se provam efetivas são adaptadas e inseridas na educação local. Há também muito planejamento, a longo e a curto prazo. Medidas voltadas ao presente são pensadas juntamente com aquelas que só renderão frutos no futuro. As decisões são tomadas pensando em como elas se desenrolarão em um prazo maior.

A lição que fica é que, muito mais do que apenas planejamento, há muita dedicação e atenção para a educação. Os países do ranking veem essa como a principal maneira de melhorar a qualidade em outros setores, então, investem e organizam como acreditam ser melhor. É um conjunto de ideias e empenho comunitário atuando para o crescimento de uma área.

Confira outras notícias sobre educação e fique por dentro do universo educativo.

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.