text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Conhecendo a engenharia de produção

      
Por que estudar Engenharia de Produção
Por que estudar Engenharia de Produção  |  Fonte: iStock

Com uma oferta tão diversa de segmentações, que vão desde a Engenharia Civil até a Engenharia de Alimentos, o estudante precisa conhecer cada uma das áreas — suas disciplinas e seu mercado de trabalho — antes de escolher uma delas.

Por isso, no post de hoje destacamos as principais informações para você que pretende estudar Engenharia de Produção. Conheça as características do curso e as habilidades necessárias para o profissional da área.

Atividades do engenheiro de produção

O profissional formado em Engenharia de Produção combina conhecimentos de engenharia com os de administração, atuando no gerenciamento de indústrias e empresas. Ele pode trabalhar, por exemplo, na análise da estrutura empresarial, no gerenciamento financeiro e da mão de obra, trabalhar com a produção de gêneros agrícolas e na comercialização de produtos, entre outras atividades.

Uma das principais funções do engenheiro de produção é fazer com que os custos de produção das empresas seja o menor possível, ao mesmo tempo em que se mantém a qualidade dos produtos. Para isso, é necessário fazer com que os processos produtivos funcionem da melhor forma.

Perfil do profissional

O engenheiro de produção deve ser multidisciplinar para que compreenda e atue eficientemente no processo produtivo. Por isso, espera-se um perfil que tenha interesse em inovações e tendências do mercado, que seja ligado nas novas tecnologias e que tenha disposição com raciocínio lógico.

É preciso também que o profissional tenha bastante jogo de cintura e criatividade para contornar os desafios que surgirem, tanto do ponto de vista estrutural e técnico quanto das relações que envolvem outros profissionais.  

Situação do mercado de trabalho

Os engenheiros de produção costumam ser requisitados em diversas áreas como a industrial, serviços de varejo, turismo, finanças, saúde, entre outras. Por isso, as oportunidades para esses profissionais são bastante abrangentes, já que podem transitar nas diferentes áreas e ocupar diversos cargos. É comum também encontrar empregos nos setores alimentício, siderúrgico, civil e agroindustrial.

Outro ponto importante é que, mesmo em momentos de crise, esses profissionais costumam ser absorvidos com facilidade pelo mercado de trabalho. Isso acontece porque o engenheiro de produção é responsável por repensar o processo produtivo, readequando os processos e reduzindo custos. É um profissional importante para empresas que pretendem inovar e ao mesmo tempo diminuir os gastos nas épocas de crise.

As regiões Sudeste e Sul concentram o maior número de vagas para esses profissionais, embora o Centro-Oeste e o Nordeste também estejam captando cada vez mais engenheiros de produção na agroindústria.

Os salários variam conforme cada área de atuação e dependem do grau de qualificação do profissional, porém o salário médio é de R$ 6.000,00.

Graduação em Engenharia de Produção

O curso de graduação tem duração média de 5 anos e também pode levar o nome de Engenharia Industrial. Além de entrar em contato com o conteúdo básico de Engenharia, o estudante terá algumas disciplinas específicas da sua área, além de matérias oriundas das Ciências Sociais, como Economia e Administração.

Os primeiros semestres do curso são divididos em disciplinas como cálculo, engenharia experimental, física, química, etc. São as disciplinas teóricas mais básicas.

A partir do segundo ano de faculdade, as matérias são mais práticas e direcionadas para determinadas áreas. Conteúdos como eletricidade, planejamento administrativo, logística de produção e acompanhamento de qualidade começam a entrar na grade curricular.

Ao decidir que quer estudar Engenharia de Produção, é importante que o aluno analise se a faculdade escolhida dá ênfase para alguma área específica. Caso isso aconteça, o essencial é verificar se essa é uma área do seu interesse. Os possíveis direcionamentos são em gestão ambiental, construção civil, elétrica, saúde, segurança, finanças, entre outras.

Para que o estudante consiga o diploma, o estágio é fundamental. Além de poder entrar em contato com a realidade do mercado de trabalho, o estagiário consegue aplicar os conhecimentos adquiridos na faculdade e analisar qual a importância do seu papel dentro da sociedade. A boa notícia é que os estágios nessa área são bem remunerados!

O que você vai aprender na prática

Na prática, a depender da sua ênfase no curso, você vai aprender:

  • administrar a estrutura das organizações;

  • avaliar a mão de obra, materiais, logísticas e prestações de serviços;

  • verificar a qualidade do processo produtivo;

  • planejar finanças;

  • controlar e simular processos para produção e inovação;

  • pensar estrategicamente a comercialização e distribuição de produtos.

Essas são algumas das principais habilidades e capacidades que você vai desenvolver ao longo da sua formação.

Possibilidades de especialização

Como a exigência do mercado profissional é alta, uma especialização sempre pode turbinar o currículo e aumentar as chances de conquistar bons empregos. Por isso, existem diferentes especializações na área de Engenharia de Produção.

As pós-graduações stricto ou lato senso permitem direcionar a formação para uma determinada área de atuação, já que, como você percebeu, o engenheiro de produção tem uma formação bastante ampliada. Nesse sentido, é possível se especializar no seu campo de interesse e se tornar um profissional mais qualificado para determinados tipos de trabalho.

Lembre-se também que fluência em outro idioma e experiências internacionais, como intercâmbios, são sempre bem-vindos para as empresas!

Estudar Engenharia de Produção pode ser uma boa opção para quem tem um perfil dinâmico e ao mesmo tempo atento aos métodos. Ao unir conhecimento exato ao conhecimento social e humano, o curso oferece uma formação bastante rica para o aluno. Além disso, as opções variadas no mercado de trabalho também permitem uma formação sempre contínua e uma renovação necessária para o aprimoramento do profissional e do seu trabalho.

Gostou de saber mais sobre esse campo profissional? Leia também sobre o cenário da Engenharia no Brasil.  

Quando pensa na sua vocação, Juliano Evaristo Corrêa quer fazer gastronomia. Mas o estudante, de 18 anos, acha que se cursar engenharia de produção terá pela frente um mercado de trabalho mais promissor. Assim como Juliano, 42,14% dos entrevistados que estão em dúvida sobre a profissão não sabem se optam por uma carreira da qual gostam muito ou pelas que estão em alta no mercado. Como gastronomia só é oferecida em faculdades particulares, nas públicas o estudante deverá optar pela engenharia.

- Penso no retorno financeiro. Minha família me apoiará, independentemente da decisão, mas sei que o mercado para gastronomia é restrito. E se tiver de fazer um curso pago, talvez seja até melhor estudar fora do país - diz Juliano, aluno do Colégio Notre Dame, que já fez curso de sushiman.- Foi bom ter feito esse curso para saber como é o mercado. Deveria ser assim em todas as carreiras. Mas em geral as pessoas entram num curso sem conhecer.

ONDE ESTUDAR?

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA UNISAL

Observando atentamente as principais demandas do mercado profissional, o UNISAL (Centro Universitário Salesiano de São Paulo) lança o curso de graduação em Engenharia de Produção. Com duração de cinco anos, as aulas serão ministradas no UNISAL Campus São Joaquim, em Lorena.


Dentro da grade de ensino, serão três as áreas mais contempladas pelo conteúdo programático do curso: Gestão de Negócios, Gestão de Produção e Sistemas Técnicos. Durante os dois primeiros anos, predominarão as disciplinas de conhecimento básico, como cálculo, física, química e materiais.


Já nos anos seguintes, na área de gestão são abordadas as disciplinas ligadas à estratégia e organização empresarial, ao processo do negócio e comportamento do consumidor. Na área de gestão de produção, incluem-se as temáticas de gestão da qualidade, otimização da produção, logística, apropriação de custos e controle industrial da qualidade. E, em sistemas técnicos, abordam-se a concepção e os processos de fabricação e a manutenção desses sistemas.


A infraestrutura do curso contará com laboratório para as práticas em física e química, laboratório de simulação de sistemas produtivos e biblioteca. Além disso, as salas são climatizadas, possuem projetores, e rede WIFI.


A coordenação do curso ficará a cargo do profº José Lourenço Júnior, Doutorando em Engenharia de Produção, Mestre em Administração, Engenheiro Elétrico e Professor universitário em cursos de graduação e pós-graduação do UNISAL , com atuação há mais de 25 anos na área.


"Em muitas universidades, a Engenharia de Produção é um dos cursos mais disputados no vestibular. O mercado carece de profissionais especializados. No UNISAL vimos essa importância e não será diferente, estamos aportando recursos apropriados, práticas de ensino de primeiro nível e a expertise de profissionais e professores de elevada qualidade", afirma o Coordenador.


O corpo docente do curso será composto por aproximadamente 35 professores, todos com mestrado, doutorado e reconhecida capacidade e vivência em organizações industriais e de serviços.


Mais informações sobre a graduação em Engenharia de Produção e sobre os outros cursos podem ser encontradas no site do UNISAL: www.unisal.br


Fonte: Assessoria de Comunicação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL DA UNIPAN

O curso de Engenharia de Produção Agroindustrial da UNIPAN (União Pan-Americana de Ensino) foi criado com o objetivo de suprir o mercado com profissionais especialmente adaptados a se envolver com o Sistema Agroindustrial, bem como gerar conhecimentos, através de pesquisas, que possam aumentar a qualidade e produtividade das unidades produtoras.


Segundo o coordenador do curso de Engenharia de Produção Agroindustrial professor Evandro Konopatzki, o curso procura formar profissionais capazes de atuarem nos três grandes macro-segmentos que formam as cadeias de produção agroindustriais: agropecuária, industrial e comercial.


O coordenador salienta que os trabalhos aliam conhecimentos técnicos de produção peculiares a cada um destes segmentos e uma sólida formação em metodologias de gestão, além de indispensável compreensão das interfaces entre estes segmentos.


"O mercado de trabalho na área de Engenharia Agroindustrial pode ser explorado, porque hoje muitas indústrias da região possuem pessoas que exercem a função, mas sem a habilitação. Geralmente, são funcionários que entram na empresa e acabam assumindo o cargo porque esta não consegue encontrar um profissional especializado na área", comenta o coordenador.


Por ser uma região que vive basicamente da agricultura, os profissionais dessa área podem trabalhar em várias empresas voltadas a agroindústria, a armazenagem de grãos e na área alimentícia. Um exemplo de grandes empresas que esperam profissionais especializados é a Sadia (Toledo) e a Coopavel (Cascavel).


Novidades - Ao concluírem o curso de Engenharia de Produção Agroindustrial os acadêmicos poderão atuar nas áreas de gerência, logística e desenvolvimento de produtos.


Além das matérias curriculares da grade de ensino, os professores estão planejando mini-cursos de aperfeiçoamento para os alunos do quarto período. Esses mini-cursos terão como objetivo colocar em prática tudo o que foi ensinado em sala de aula, ou seja, oferecer ao aluno a oportunidade de ter contato com a realidade do seu mercado de trabalho.


Nos minicursos que serão realizados nas próprias dependências da UNIPAN, os alunos trabalharão na área de pesquisa de energia, refrigeração e termodinâmico.


Aulas de Pós Graduação iniciam-se dia 15 - As aulas de Pós Graduação terão início a partir, do dia 15 de março, nas próprias dependências da UNIPAN (União Pan-Americana de Ensino). O curso que tem o objetivo capacitar os alunos nas diversas áreas do conhecimento, oferecendo subsídios metodológicos para a compreensão e articulação da prática educativa.


Para maiores informações entrar em contato com a CEPEX - Coordenadoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, na Avenida Brasil, 7.210 ou pelo telefone (45) 222-4411. Internet www.Unipan.br


O curso tem como principal objetivo capacitar egressos das diversas áreas do conhecimento, oferecendo-lhes subsídios metodológicos para a compreensão e articulação da prática educativa, visando à formação e a apropriação de saberes inerentes ao magistério superior.


Um dos fatores para a implantação do curso de graduação é a crescente demanda de profissionais qualificados para atuar no magistério superior sinaliza para a necessidade de formação específica que privilegie os conhecimentos didáticos, inerentes ao processo de ensino e aprendizagem.

MESTRADO E DOUTORADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

As Universidades Federais de Paraná e de Pernambuco oferecem o curso de Mestrado em Engenharia de Produção


O curso de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Paraná já formou 282 profissionais desde 2007. Já o programa de pós-graduação possui duas áreas de concentração e um programa de bolsas: engenharia de produção e pesquisa operacional.


Já a Universidade Federal de Pernambuco oferece o curso de Mestrado Profissional em Engenharia de Produção desde o ano 2000 e já formou mais de 230 profissionais. O curso de Doutorado Profissional foi aprovado pela CAPES em 2019, e foi o primeiro do país na área de Engenharia de Produção.


Já o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (Mestrado e Doutorado) da Escola Politécnica da USP possui uma abordagem multidisciplinar e cinco linhas e concentrações de pesquisa. A página do programa disponibiliza provas e editais anteriores.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.