text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Redução do Analfabetismo: maioria dos países descumpriu meta, diz Unesco

      
Redução do Analfabetismo: maioria dos países descumpriu meta, diz Unesco
Redução do Analfabetismo: maioria dos países descumpriu meta, diz Unesco  |  Fonte: Shutterstock

Um relatório liberado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) nesta quarta-feira (15) e apurado pelo G1 apontou que dos 139 países envolvidos no programa Educação Para Todos, apenas 39 – o que representa 28% – cumpriram o acordo de reduzir o analfabetismo. O Brasil faz parte dos que não conseguiram alcançar a meta.

A previsão do programa era que 50% dos índices de analfabetismo fossem reduzidos até 2015. Segundo a Unesco, o mundo possuía 758 milhões de adultos sem a capacidade de ler ou escrever em 2015. Os dados foram divulgados na 3ª edição do Relatório Global sobre Aprendizagem de Adultos e Educação. Em 2015, Cuba foi o único país latino-americano que conseguiu cumprir todas as metas.

Do total, 115 milhões são jovens entre 15 e 24 anos, representando 85% dos analfabetos do mundo. 85% dos países que participaram afirmaram que a alfabetização e habilidades básicas eram prioridade em seus programas e 46% disseram que o investimento inadequado ou mal direcionado foi um fator a impedir a educação.

O Educação Para Todos supervisiona países-membros da Unesco desde 2000 e consiste em seis metas:

1. Expandir a educação e os cuidados na primeira infância, especialmente para as crianças mais vulneráveis.

2. Garantir que em 2015 todas as crianças, especialmente meninas, crianças em situações difíceis e crianças pertencentes a minorias étnicas, tenham acesso a uma educação primária de boa qualidade, gratuita e obrigatória, além da possibilidade de completá-la.

3. Assegurar que as necessidades de aprendizagem de todos os jovens e adultos sejam satisfeitas mediante o acesso eqüitativo à aprendizagem apropriada e a programas de capacitação para a vida.

4. Atingir, em 2015, 50% de melhoria nos níveis de alfabetização de adultos, especialmente para as mulheres, e igualdade de acesso à educação fundamental e permanente para todos os adultos.

5. Eliminar, até 2005, as disparidades existentes entre os gêneros na educação primária e secundária e, até 2015, atingir a igualdade de gêneros na educação, concentrando esforços para garantir que as meninas tenham pleno acesso, em igualdade de condições, à educação fundamental de boa qualidade e que consigam completá-la.

6. Melhorar todos os aspectos da qualidade da educação e assegurar a excelência de todos, de modo que resultados de aprendizagem reconhecidos e mensuráveis sejam alcançados por todos, especialmente em alfabetização, cálculo e habilidades essenciais para a vida.

Do total, o Brasil cumpriu apenas duas das metas: sobre educação primária e a meta voltada à igualdade de gênero. Vale lembrar que a maioria dos 63% de adultos com baixa habilidade de alfabetização é formada por mulheres. O governo brasileiro contestou a Unesco e afirmou que a primeira também foi cumprida.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.