text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Por que estudar Ciências Humanas

      
Por que estudar Ciências Humanas
Por que estudar Ciências Humanas  |  Fonte: Universia Brasil

O relacionamento é um dos componentes mais valorizados em termos de carreira. A habilidade para interagir com outras pessoas, no atendimento ou no contexto do trabalho em equipe, tem figurado entre as competências básicas em diversas áreas.

Considerando esse aspecto e muitos outros, as chamadas Ciências Humanas, envolvidas diretamente com os homens, suas relações, sua história e seus pensamentos, ganham ainda mais relevância.

O mercado de trabalho, a exemplo da maioria das atividades produtivas, tem passado por modificações nos últimos anos. Isso inclui todas as carreiras ligadas às humanidades.
Você já está matriculado em um curso da área, pensa em fazer vestibular ou apenas quer saber mais? Então, está lendo o artigo certo!

O que mudou na carreira para profissionais de Ciências Humanas

O mito de que os cursos de humanas formam apenas professores tem sido superado, e o que se verifica é que as empresas requisitam os profissionais do ramo para prestar consultoria e até mesmo para auxiliar no planejamento.

Por outro lado, a mudança também influencia os conteúdos e estruturas dos cursos. Enquanto abre-se espaço em novos setores do mercado de trabalho, os estudantes precisam se adaptar a cargas horárias mais extensas e acumular mais competências.

Um exemplo disso é o curso de Letras, que, em algumas instituições, inclui na grade curricular a disciplina de Educação Ambiental. Portanto, a formação hoje é mais ampla, tendo em vista a necessidade por profissionais mais versáteis e multidisciplinares.

O incremento nos estudos também impacta a capacidade de intervir na sociedade. O novo profissional de humanas tem que aplicar as habilidades em prol das empresas e das equipes que venha a integrar. Assim, naturalmente, ele dará sua contribuição social.

As perspectivas para uma carreira acadêmica

Estar mais antenado com novas frentes de trabalho não significa que as portas para a carreira dentro das salas de aula tenham se fechado.

O atual estágio de desenvolvimento da área de humanas é uma via de duplo sentido, em que cursos, instituições e profissionais se adaptam às necessidades do mercado. Em contrapartida, o mercado responde com novos desafios, que os profissionais de humanas podem ser úteis em solucionar.

De qualquer forma, o entrelaçamento entre vida acadêmica e profissionais de humanas continua. Portanto, quem sonha em lecionar ou se dedicar à pesquisa ainda tem amplas possibilidades de sucesso se optar pelo caminho das instituições de ensino.

O estudante que pretende ingressar na área de humanas deve estar atento a essa diferença no momento de escolher seu curso.

Determinadas carreiras da área têm sua formação voltada para o mercado, enquanto outras se dedicam ao preparo de conteudistas. Em resumo, os cursos de humanidades estão divididos entre os que adotam uma perspectiva mais tradicional/filosófica e outra mais moderna/prática.

Mercado diversificado

Portanto, ao escolher seu curso, vale uma revisada no plano de carreira. Essa escolha tem relação imediata com o seu perfil. Considere, de um lado, os cursos voltados para o mercado e, de outro, os que estão mais voltados para uma formação com viés pedagógico.

Com as empresas descobrindo novas ocupações para os estudantes e profissionais das humanidades, as chances estão maiores em todos os campos, inclusive para cursos como Ciência Política e Filosofia.

Com a maior abertura, cada carreira tende a se adaptar a nichos específicos de mercado. Se a referência é um profissional de Letras, a tendência é que ele vá se profissionalizar, em especial, na área de educação.

Já em biblioteconomia, a habilidade em manipular grandes volumes de informação naturalmente capacita os profissionais formados a exercer cargos ligados à TI, pelo menos em caráter de suporte consultivo.

Em outra vertente, pedagogos vêm sendo requisitados para estruturar e conduzir programas de treinamento nas empresas, em função da formação voltada à cognição.

Nas Ciências Sociais, profissionais estão sendo recrutados para trabalhar em consultoria, assessoria e também no planejamento de políticas públicas.

Mas há ainda muitas outras possibilidades, conforme veremos a seguir.

Cursos e possibilidades

Em virtude da abrangência dos cursos de humanas, é possível requalificar profissionais que, até pouco tempo, estariam restritos à carreira acadêmica.

Vamos saber um pouco mais sobre o que o mercado reserva para as áreas de:

História

Conforme já destacamos, os profissionais ligados às humanidades estão se reinventando; com isso, as empresas passaram a olhar de forma mais cuidadosa para o novo perfil que se desenha.

A carreira de História é uma das que melhor representam essa mudança de paradigma. Há pouco tempo, imaginava-se que a licenciatura e a posterior carreira acadêmica eram algo inevitável, mas hoje, felizmente, os desafios são outros.

É o caso do cargo de historiador corporativo, criado por empresas que desejam manter registros permanentes de suas atividades pela perspectiva histórica.

Geografia

Em relação ao curso de Geografia, é preciso destacar que as faculdades permitem a formação em licenciatura ou bacharelado. Portanto, ao escolher licenciatura, você estará automaticamente dizendo para o mercado de trabalho que quer apenas dar aulas.

Não significa que você não poderá ser contratado para exercer outras atividades, no entanto, suas perspectivas serão menores do que as dos geógrafos bacharéis.

O agronegócio, em franco crescimento no Brasil, é um dos setores da economia que mais vem recrutando profissionais formados em Geografia, abrindo possibilidades de crescimento consistente na carreira.

Letras

Já falamos um pouco das alternativas que o mercado de trabalho vem abrindo para quem se forma em Letras, mas há ainda mais para explorar.

Um bom exemplo disso são as agências de marketing digital, que contratam pessoas formadas em Letras para atuar como revisores de textos.

Dada a enorme exigência por conteúdo de qualidade, bem-escrito e com informações relevantes, cresce de importância a figura do profissional especialista em escrita.

Portanto, essa é mais uma carreira que, até pouco tempo atrás, se imaginava limitada às salas de aula e que mostra o quanto é extremamente importante também para o mercado de trabalho “não acadêmico”.

Antropologia

O curso de antropologia era um dos mais estigmatizados entre todos da área de Ciências Humanas. Afinal, que tipo de empresa contrataria um profissional dedicado ao estudo do homem?

Quem ainda pensa dessa forma precisa rever rapidamente os seus conceitos. Já ficou para trás o tempo em que as empresas não olhavam para as competências desse especialista: grandes empresas já estão contratando antropólogos com objetivos muito bem-definidos, para se dedicarem a desafios de mercado.

É o caso das marcas que recorrem ao antropólogo para que, com seu conhecimento sobre Ciências Humanas, ajude a definir estratégias de mercado.

E você, está convencido de que a área de humanas é realmente promissora? Amplie seus conhecimentos acessando agora o artigo em que destacamos as profissões do futuro e como se preparar para elas!


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.