text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Resumo do Barroco no Brasil: o que é preciso saber para Enem e vestibulares

      
A herança barroca é uma das principais marcas de Ouro Preto, cidade histórica em Minas Gerais.
A herança barroca é uma das principais marcas de Ouro Preto, cidade histórica em Minas Gerais.  |  Fonte: iStock

O Barroco foi um período histórico, movimento sociocultural e estilo artístico que se seguiu ao Classicismo dos séculos XIV, XV e XVI. Na arte barroca, a precisão deu lugar à pompa, enquanto a mitologia grega perdeu espaço para o catolicismo.


A forte influência do Barroco no Brasil justifica a sua constante presença no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e em vários outros vestibulares do país. Afinal, pelo menos dois séculos da colonização brasileira foram diretamente marcados por esse movimento, que impactou a arquitetura, a escultura, a pintura e a literatura do país.


Hoje, o Barroco ainda pode ser vivido por meio de visitas a cidades históricas, como Salvador e Ouro Preto, e pela leitura de publicações de autores consagrados, como Gregório de Matos. Incluir esse conteúdo em seu plano de estudos pode fazer a diferença na hora de conquistar a tão sonhada vaga na universidade. Além disso, você vai aprender mais sobre a história do Brasil e enriquecer sua bagagem cultural.


Confira este resumo do Barroco no Brasil e fique afiado nesse conteúdo.

Contexto histórico do Barroco

Para entender o nosso resumo do Barroco no Brasil, é preciso saber mais sobre as origens e as características deste movimento que surgiu na Itália. O Barroco abrange o final do século XVI até meados do século XVIII. Nessa época, a Europa enfrentava um grande conflito: a Igreja, antes o centro de todo o poder, havia sido questionada pela Reforma Protestante.


Durante o Renascimento, a Igreja perdeu importância e fiéis. É a partir do Concílio de Trento, em 1545, que ela começa a se recuperar. Esse conselho convocado pelo Papa Paulo III reformou e reafirmou a importância da Igreja Católica. Foi restaurado o Tribunal da Santa Inquisição (que tinha perdido força), criada a Ordem dos Jesuítas e instaurados impostos padrões para a arte. Livros e quadros eram sujeitos à inspeção da Igreja, tudo para reforçar que não apenas a fé era importante, como também os costumes católicos e a sua doutrina.


Enquanto a arte renascentista apoiava a racionalidade dos protestantes e havia retomado o conceito antropocêntrico (o homem no centro da existência), a arte barroca foi a defesa da Igreja Católica, intimamente ligada à contrarreforma. Ela enalteceu a religião e a sacralidade, ao mesmo tempo que se opôs ao estilo classicista das reformas protestantes.

Principais características

Enquanto o Renascimento buscava a perfeição — tanto humanista quanto da natureza — por meio de austeridade, harmonia, equilíbrio e formalidade, o Barroco tinha como principal objetivo atingir as emoções daqueles que viam as obras, independentemente do que seria necessário para conseguir isso. Portanto, no geral, as obras barrocas apresentam dramaticidade, autenticidade, dinamismo, exuberância, realismo e contrastes de luz e sombra.


A estética barroca é uma estética de conflitos. As obras têm muito contraste e focam na diferença simbólica e visual entre a sombra e a luz. Ela destaca o desequilíbrio entre a alma e o corpo, e aborda temas como a moralidade, prazeres carnais, busca pelo céu e a salvação da alma.


Os temas são tratados com muita dramaticidade e opulência, o que também servia para reforçar como a Igreja era poderosa. A arquitetura barroca, presente nas rebuscadas, altas e imponentes catedrais da época, era uma forma de reafirmar que a Igreja ainda mandava.


O grande objetivo do movimento era reafirmar os dogmas da Igreja Católica; contudo, como o Renascimento ainda era recente, é possível encontrar muitas obras de arte barroca retratando a mitologia grega típica do Classicismo, bem como a vida dos nobres e o cotidiano. No entanto, isso era feito de forma diferente, mais dramática e menos acadêmica, aplicando o estilo rebuscado às figuras clássicas. Ou seja, é preciso prestar atenção não só ao tema, mas também à forma.

Obras barrocas importantes

Madalena Penitente, Georges de la Tour

Madalena Penitente ou, originalmente, La Madeleine aux deux Flammes, é uma das obras mais conhecidas do pintor barroco francês Georges de la Tour, concluída em 1640. A mulher retratada na pintura é Maria Madalena que, segundo a Bíblia, foi uma prostituta defendida por Jesus.


Clique aqui para ver a pintura.


Repare que Madalena tem um crânio sobre o seu colo. Esse é o símbolo da morte e torna a obra bastante intrigante. Além disso, a luz da vela e as cores escuras transmitem à pintura um tom misterioso.

A Festa de Baltazar, Rembrandt van Rijn

A Festa de Baltazar é uma pintura a óleo de 1638, de autoria de um dos mais renomados artistas da história, o holandês Rembrandt van Rijn. A obra retrata uma cena épica do Antigo Testamento.


Baltazar foi o último rei da Babilônia. Conta-se que, certa vez, ele realizou uma festa em sua casa com os amigos e usou taças sagradas, roubadas de um templo. Por causa disso, uma enorme mão surgiu ao seu lado e mostrou-lhe o julgamento de Deus diante deste ato. Depois disso, seu reinado chegou ao fim.


Clique aqui para ver a pintura


É possível encontrar na pintura o contraste e a dramaticidade do estilo barroco, através das expressões dos personagens, da textura espessa e da oposição entre luz e sombra. 

As Meninas, Diego Velázquez

As Meninas é uma pintura de 1656 do famoso artista espanhol Diego Velázquez. Ela representa a jovem princesa Margarida Teresa, cercada por figuras da corte espanhola.


Clique aqui para ver a pintura


Observe como a obra é enigmática e apresenta uma composição complexa. Há um espelho que reflete o rei e a rainha da Espanha, um homem misterioso ao fundo e o próprio Diego Velázquez, quase na penumbra. O artista se encontra representado na obra pintando uma grande tela e olhando diretamente para o observador.

Características da literatura barroca

Na literatura, o Barroco é caracterizado pelo grande cuidado com a linguagem e pelo estilo formal, como meio de convencer e maravilhar o leitor. Para isso, as obras se utilizam de inúmeras metáforas, elipses, antíteses, hipérboles, paradoxos e outros “truques” de linguagem como artifícios retóricos.


Da mesma forma que as pinturas barrocas queriam criar a sensação de emoção, dualidade, contraste, oposição, etc., a literatura barroca buscava a mesma coisa, por meio das palavras.


Outro aspecto marcante da literatura barroca é o conflito interno: os autores desse estilo falavam muito sobre o dilema entre os prazeres carnais e mundanos e a salvação da alma. É o conflito entre antropocentrismo e teocentrismo. Por causa disso, as obras tendem ao pessimismo, à intensidade, às dúvidas e às incertezas.

Resumo do barroco no Brasil

O barroco chegou no século XVIIao Brasil, trazido pelos missionários católicos, que tinham como objetivo catequizar os índios brasileiros. Não é de se surpreender, portanto, que a arte barroca tenha tido um cunho extremamente religioso e pragmático por aqui.


Além das suas qualidades tradicionais, a arte e literatura tiveram um caráter muito prático: elas eram um instrumento para a absorção da doutrina católica. Os discursos eram retóricos, a religião tinha uma presença ostensiva e a mitologia era extremamente rara, já que o Brasil não teve um classicismo forte.


Grande parte do estilo barroco brasileiro está presente nas esculturas, na arquitetura e na literatura. Os autores mais renomados são Gregório de Matos, Bento Teixeira, Manuel Botelha de Oliveira e Padre Antônio Vieira, enquanto o artista mais famoso é o escultor e arquiteto Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho. 

Principais artistas do Barroco no Brasil

Padre Antônio Vieira

Jesuíta português.

1608-1697.


O Padre Antônio Vieira escreveu mais de 200 sermões no Brasil. Até hoje, os principais deles são examinados de forma a contribuir para o entendimento do Barroco no Brasil e em Portugal.

O seu estilo de escrita era limpo, direto e conciso. Assim como era característico do Barroco brasileiro, o Padre tinha um objetivo muito claro: catequizar. E ele fazia o possível para garantir que o seu recado fosse entregue de forma eficiente.


Vieira foi um grande defensor da catequização dos índios (e não da escravização). Mas cuidado para não retratá-lo como um “herói”: defender a catequização só significava que ele protegia os interesses da Igreja, não que fosse um defensor da liberdade das populações indígenas.

Gregório de Matos

Poeta.

1636-1696.


Gregório de Matos foi um poeta luso-brasileiro que não tinha envolvimento com a catequização indígena; por isso, seus poemas mostram um lado diferente do Barroco no Brasil. Sua escrita era satírica e criticava a todos, inclusive os nobres e a Igreja.


Sua crítica ia tão longe que ele recebeu o apelido de "Boca do Inferno" ou "Boca de Brasa". É apenas nos seus últimos escritos que ele parece se arrepender dessas ofensas, ao criar poemas religiosos, como “Buscando a Cristo”.

Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho)

Escultor, entalhador e arquiteto.

1738-1814.


Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho) nasceu em Vila Rica, Minas Gerais. Era filho de um arquiteto português com uma escrava e começou a desenvolver uma doença degenerativa por volta dos 40 anos de idade, o que fez com que, aos poucos, fosse perdendo os movimentos das mãos e dos pés. Por esse motivo, Aleijadinho costumava pedir a um ajudante que amarrasse as ferramentas no seu pulso, para que conseguisse entalhar. 


Suas esculturas eram caracterizadas pela religiosidade. Uma das obras mais famosas de Aleijadinho é o conjunto dos Doze Apóstolos, 12 esculturas dispostas pela cidade de Congonhas. Sua obra é considerada barroca – e também genial. Porém, esse reconhecimento só foi conquistado por conta da Semana de Arte Moderna, pois o barroco de Aleijadinho havia caído no esquecimento antes do evento de 1922.


A obra mais famosa de Aleijadinho, o conjunto de 66 esculturas da Via Sacra, representa o caminho de Jesus até a crucificação. As esculturas dramáticas e em tamanho natural estão expostas em seis capelas independentes de Congonhas e recebem visitantes do mundo inteiro, de todas as idades.

Como saber mais sobre o movimento Barroco no Brasil?

Nada melhor do que aliar os estudos à experiência prática para fixar bem o conteúdo. Além das apostilas e dos livros escolares, é possível vivenciar o Barroco no Brasil por meio de viagens a cidades históricas e da leitura dos clássicos desse movimento no país. Preparamos uma lista de locais e de publicações que você precisa conhecer. Vamos lá!

Cidades históricas

Confira as principais representantes da arquitetura barroca no Brasil.

Salvador (Bahia)

Primeira capital do Brasil, Salvador reúne diversas igrejas construídas em estilo barroco. No Pelourinho, área localizada no centro histórico, é possível encontrar o conjunto arquitetônico mais representativo da arquitetura e arte barroca no Brasil. São mais de 800 construções que hoje abrigam pousadas, bares e restaurantes.

Cairu (Bahia)

Segundo a obra A invenção do barroco brasileiro: a igreja franciscana de Cairu, do arquiteto e professor universitário Alberto José de Sousa, a fachada da igreja franciscana de Cairu marcou o início da arquitetura barroca no Brasil. Construída a cerca de 90 quilômetros ao sul de Salvador, na segunda metade do século XVII, esta fachada teve importantes repercussões para o barroco religioso nordestino e impactou a arquitetura de várias outras igrejas do país.

Ouro Preto (Minas Gerais)

Localizada a menos de 100 quilômetros de Belo Horizonte, Ouro Preto se destacou no século XVIII, quando ainda era chamada de Vila Rica, pela forte atividade de mineração. A herança barroca é uma das principais marcas da cidade. Não por acaso, foi declarada pela Unesco, em 1980, como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, devido à riqueza arquitetônica de suas construções.

Olinda (Pernambuco)

A cidade de Olinda preserva boa parte das construções feitas durante o período colonial. Entre as atrações, há diversas igrejas, conventos e casas edificadas sob influência barroca. Destaque para o Centro Histórico, também conhecido como Cidade Alta, que abriga boa parte desse registro do passado.

Paraty (Rio de Janeiro)

O Centro Histórico de Paraty é considerado pela Unesco o “conjunto barroco mais harmonioso do Brasil”. A cidade preserva desde o calçamento (feito em pedras pé de moleque vindas de Portugal) até as principais construções — como a Igreja Matriz da Nossa Senhora dos Remédios.

Obras literárias

A seguir, confira as principais obras literárias do Barroco no Brasil. É possível baixá-las gratuitamente no portal Domínio Público, uma biblioteca digital lançada em 2004 pelo governo brasileiro.

Gregório de Mattos

  • Crônica do Viver Baiano Seiscentista;

  • Seleção de Obras Poéticas.

Bento teixeira

  • A Prosopopéia.

Manuel Botelho de Oliveira

  • A Ilha da Maré.

Padre Antônio Vieira

  • O Sermão do Bom Ladrão;

  • Sermão do Mandato;

  • O Sermão da Sexagésima;

  • De Profecia e Inquisição.

Como o Barroco cai no vestibular?

Veja uma questão do vestibular da Universidade Federal de Mato Grosso do Sulsobre o Barroco no Brasil, para ter uma ideia de que tipo de pergunta você pode encontrar pela frente. Tente acertar a resposta e descubra qual é a alternativa certa no fim do texto.


(UFSM 2007)

“Por isto são maus ouvintes os de entendimentos agudos. Mas os de vontades endurecidas ainda são piores, porque um entendimento agudo pode-se ferir pelos mesmos fios e vencer-se uma agudeza com outra maior; mas contra vontades endurecidas nenhuma coisa aproveita a agudeza, antes dana mais, porque quando as setas são mais agudas, tanto mais facilmente se despontam na pedra. Oh! Deus nos livre de vontades endurecidas, que ainda são piores que as pedras.”

(Sermão da Sexagésima, de Pe. Antônio Vieira.)


Pelo trecho reproduzido, pode-se concluir que o Sermão da Sexagésima trata da:


a) Problemática da pregação religiosa, considerando as figuras dos pregadores e dos fiéis.

b) Necessidade do engajamento dos fiéis nas batalhas contra os holandeses.

c) Perseguição sofrida pelo pregador em função do apoio que emprestava a índios e negros.

d) Exortação que o pregador fazia em favor de seu projeto de criar a Campanha das Índias Ocidentais.

e) Condenação aos governantes locais que desobedeciam aos princípios do mercantilismo seiscentista.


Já sabe qual é a resposta certa? Se você respondeu a letra “a”, então acertou.


Gostou do nosso resumo de Barroco no Brasil? Acompanhe nossos perfis nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas postagens sobre Enem, vestibular e vida universitária. Estamos no Facebook, no Twitter, no LinkedIn e no Instagram.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.