text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Os 7 melhores países para estudar Ciências

      
Fonte: Shutterstock

Para os alunos que se interessam por Ciências ou pensam em seguir carreira como pesquisador, fazer uma especialização fora do país, seja por meio de bolsas de estudo internacionais ou programas de pesquisa remunerados, pode ser uma ótima maneira de turbinar o currículo.

 

Você pode ler também:
» Cientista de dados é a carreira mais promissora para 2016, diz pesquisa
» 5 cientistas que fizeram a diferença durante o século XX
» Todas as notícias de Educação

 

No final do ano passado, a Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OECD) lançou seu último relatório global sobre Ciência, Tecnologia e Indústria, que ranqueou os melhores países do mundo, quando o assunto é educação científica. O critério utilizado na pesquisa foi o número de estudantes universitários que se formaram em carreiras como tecnologia, engenharia ou matemática.

 

A seguir, veja quais são os 7 países que mais formam cientistas e que tem maior estrutura para estudos e pesquisas:

 

7º - Estônia

Conta com 26% de estudantes formados em áreas científicas, sendo que 41% são mulheres.

 

6º - Grécia

Também registrou um total de 26% de seus graduandos vindos de áreas relacionadas às Ciências. No país, 84% da população acredita que os estudos de Ciências e Tecnologia têm impactos positivos na sociedade. Esse percentual é um dos maiores do mundo.

 

5º - França

27% dos alunos que se formam na graduação serão futuros cientistas. No país, a maioria dos pesquisadores estão empregados no setor da indústria.

 

4º - Finlândia

Na Finlândia, o percentual é de 28% dos estudantes formados. Um fato curioso é que a maior parte das pesquisas realizadas no país são de áreas relativas à medicina.

 

3º - Suécia

Também conta com 28% de seus formandos seguindo carreira no campo das Ciências. Na Suécia, três quartos da população utiliza computadores em seu trabalho, sendo o segundo país do mundo a explorar mais intensamente esse recurso (o primeiro é a Noruega).

 

2º - Alemanha

Na Alemanha, o percentual é de 31% dos formandos, contabilizando um total de 10 mil alunos. O número só perde para os EUA e a China, que têm populações muito maiores que o país europeu. Portanto, em termos proporcionais, a Alemanha é uma potência científica.

 

1º - Coréia do Sul

Na Coréia do Sul, o número de formandos é de 32%. Apesar de o número ter caído 7% desde 2002, o país ainda é a maior potência global em formação de cientistas.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.