text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Unesco defende debate sobre sexualidade e questões de gênero em sala de aula

      
<p>A <strong>Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco)</strong> no Brasil divulgou um comunicado enfatizando a importância do debate sobre sexualidade e gênero em sala de aula, com o objetivo de contribuir para uma <strong>educação mais inclusiva, equitativa e de qualidade</strong>. Segundo o texto, a proposta da Organização é que a legislação do País incorpore planos para a presença desses temas na educação.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Você pode ler também:</strong></span><br/><a title=Escola dos EUA quer proibir transgêneros de usarem banheiros href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/02/24/1136656/escola-eua-quer-proibir-transgeneros-usarem-banheiros.html>» <strong>Escola dos EUA quer proibir transgêneros de usarem banheiros</strong></a><br/><a title=Levará mais de um século para as mulheres alcançarem os homens no mercado de trabalho href=https://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/10/08/1132158/levara-seculo-mulheres-alcancarem-homens-mercado-trabalho.html>» <strong>Levará mais de um século para as mulheres alcançarem os homens no mercado de trabalho</strong></a><br/><a title=Todas as notícias de Educação href=https://noticias.universia.com.br/educacao>» <strong>Todas as notícias de Educação</strong></a></p><p> </p><p>Para a Unesco, a educação é o processo de formação dos cidadãos em dimensões humanas e sociais, fazendo com que a introdução do ensino de gênero seja essencial para <strong><a title=Quase 20% dos alunos da rede pública rejeitam colegas trans, gays e travestis href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/02/18/1136491/quase-20-alunos-rede-publica-rejeitam-colegas-trans-gays-travestis.html>prevenir e erradicar toda e qualquer forma de violência nesse sentido</a></strong>.</p><p> </p><p>No comunicado, a Organização disse que os últimos fatos referentes à violência sexual no País reforçaram seu <strong><a title=Mulheres no Trabalho: 72% dos homens têm mais chances de crescer no mercado, aponta pesquisa href=https://noticias.universia.com.br/atualidade/noticia/2015/03/11/1121379/mulheres-trabalho-72-homens-chances-crescer-mercado-aponta-pesquisa.html>compromisso de garantir os direitos das mulheres</a> </strong>e de <strong>Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros</strong>. A Unesco também salientou sua posição avessa a qualquer tipo de discriminação e violação dos Direitos Humanos, principalmente em espaços destinados à educação.</p><p> </p><p>Por despertar opiniões antagônicas e ser um tema que ainda levanta polêmicas, a pauta chegou a ser retirada do <strong>Plano Nacional de Educação (PNE)</strong> por pressão de representantes mais conversadores. O grande embate entre apoiadores e pessoas contrárias à causa é que a introdução de uma discussão sobre gênero poderia incentivar a homossexualidade, tese que é sustentada por certos religiosos e outros grupos avessos.</p><p> </p><p>A Unesco reforça que essas questões devem, sim, ser apresentadas em sala de aula, para que haja debate sobre o tema, mostrando aos alunos que todos são iguais e têm os mesmos direitos, independente da identidade de gênero.</p>
Fonte: Shutterstock

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil divulgou um comunicado enfatizando a importância do debate sobre sexualidade e gênero em sala de aula, com o objetivo de contribuir para uma educação mais inclusiva, equitativa e de qualidade. Segundo o texto, a proposta da Organização é que a legislação do País incorpore planos para a presença desses temas na educação.

 

Você pode ler também:
» Escola dos EUA quer proibir transgêneros de usarem banheiros
» Levará mais de um século para as mulheres alcançarem os homens no mercado de trabalho
» Todas as notícias de Educação

 

Para a Unesco, a educação é o processo de formação dos cidadãos em dimensões humanas e sociais, fazendo com que a introdução do ensino de gênero seja essencial para prevenir e erradicar toda e qualquer forma de violência nesse sentido.

 

No comunicado, a Organização disse que os últimos fatos referentes à violência sexual no País reforçaram seu compromisso de garantir os direitos das mulheres e de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros. A Unesco também salientou sua posição avessa a qualquer tipo de discriminação e violação dos Direitos Humanos, principalmente em espaços destinados à educação.

 

Por despertar opiniões antagônicas e ser um tema que ainda levanta polêmicas, a pauta chegou a ser retirada do Plano Nacional de Educação (PNE) por pressão de representantes mais conversadores. O grande embate entre apoiadores e pessoas contrárias à causa é que a introdução de uma discussão sobre gênero poderia incentivar a homossexualidade, tese que é sustentada por certos religiosos e outros grupos avessos.

 

A Unesco reforça que essas questões devem, sim, ser apresentadas em sala de aula, para que haja debate sobre o tema, mostrando aos alunos que todos são iguais e têm os mesmos direitos, independente da identidade de gênero.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.