text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Como cai no Enem 2016: zika vírus

      
<p>Neste ano, o Brasil passou por uma grande epidemia de <strong>zika vírus</strong> e continua registrando casos de pessoas afetadas pela doença. Os principais sintomas são febre não muito alta, dor nas articulações e nos músculos, além de manchas na pele e coceira. Por ser um tema altamente noticiado na maior parte dos veículos de comunicação do Brasil e do mundo, pode aparecer nas <a href=https://noticias.universia.com.br/educacao/noticia/2016/04/14/1138322/enem-2016-informaces-importantes-sobre-provas.html title=Enem 2016: as informações mais importantes sobre as provas>provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)</a> que acontecerão nos dias 05 e 06 de novembro. Para que os alunos saibam responder as questões sobre a doença, a <strong> Universia Brasil</strong> conversou com a <strong> professora de Biologia do Curso Poliedro de Campinas Isabel Settin</strong>.</p><p> </p><p><span style=color: #333333;><strong>Você pode ler também:</strong></span><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/tag/como-cai-no-enem-2016/ title=Como Cai no Enem 2016>» <strong>Como Cai no Enem 2016</strong></a><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/06/03/1140443/5-dicas-gabaritar- prova-espanhol-enem-2016.html title=5 dicas para gabaritar a prova de espanhol do Enem 2016 https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/06/03/11>» <strong>5 dicas para gabaritar a prova de espanhol do Enem 2016 https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/06/03/11</strong></a><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-enem-2016/ title=Todas as notícias sobre o Enem 2016>» <strong>Todas as notícias sobre o Enem 2016</strong></a></p><p> </p><p>Ela é causada por um vírus transmitido pelo <strong>aedes aegypti</strong>, inseto artrópode também responsável pela transmissão da <strong>dengue e chikungunya</strong>. Por ter o mesmo vetor transmissor, a docente acredita que esse possa ser um dos pontos abordados nas <strong>provas do Enem</strong>, apontando as diferenças de sintomas entre cada uma delas. “No caso da dengue, a prostração é um sintoma que lembra a gripe. No caso da chikungunya, há uma coceira exagerada e uma vermelhidão que toma conta do corpo inteiro. <strong>Já no zika, você tem dores na articulação</strong>”, explicou.</p><p> </p><p>Outro ponto que pode ser abordado é uma especificidade sobre a transmissão. Isabel explicou que somente as fêmeas são as responsáveis pela contaminação. “<strong>Só a fêmea do pernilongo se alimenta de sangue</strong> e isso pode aparecer em prova. A fêmea de todo o pernilongo é hematófaga, enquanto o macho não. Então <strong>a transmissão acontece por meio das fêmeas</strong>, enquanto o macho se alimenta de néctar”, contou.</p><p> </p><p>Quando aborda doenças como o zika vírus, a prova do Enem tende a se preocupar bastante com a profilaxia, ou seja, as medidas preventivas para quebrar o ciclo da doença. “<strong>A principal prevenção é tentar eliminar o número de vetores</strong>. A gente ainda não tem vacina para essa doença. Há também a prevenção clássica para todos os insetos que são hematófagos: evitar regiões de criadouros, ter telas nas casas e uso de repelente. Acredito que se vier alguma coisa na prova um pouco mais específica seja sobre vírus de maneira geral: qual a característica dele, o que faz ele ser tão diferente de outro ser vivo, talvez de alguma forma a estrutura viral”, apontou.</p><p> </p><p><strong> Para criar uma proposta de intervenção na redação </strong></p><p>No <strong>segundo dia de provas do Enem</strong>, o aluno precisará escrever uma redação e, como as propostas são sempre ligadas a discussões atuais, o zika vírus pode ser o protagonista da dissertação-argumentativa. Nesta prova em específico, é obrigatório que o estudante elabore uma <a href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/07/01/1127583/aprenda-criar-boa-proposta-intervencao-redacao-enem-2015.html title=Aprenda a criar uma boa proposta de intervenção na redação do Enem 2015>proposta de intervenção.</a></p><p> </p><p>Segundo Isabel, o estudante deve focar o último parágrafo do texto em maneiras de trabalhar uma solução mais política, ou seja, focando em ações que podem ser feitas para erradicar a doença. “O aluno pode falar de tratamento de água, de esgoto, de distribuição correta da água no ambiente, evitar a manutenção dessas casas e dos problemas de eliminar a vegetação ciliar que envolve os rios. Sempre um trabalho político por trás da profilaxia deve aparecer na redação. Essa intervenção de ambiente que a gente faz também é uma forma de você trabalhar na redação”, explicou.</p><p> </p><p><strong> Interdisciplinaridade</strong></p><p>O Enem poderá também trazer questões que peçam um conhecimento interdisciplinar do estudante. Isabel pensa que relações fáceis de aparecer são <strong>da biologia com a química ou com a geografia</strong>, nas quais o estudante precisará demonstrar domínio de ambas as disciplinas para acertar a questão.</p><p> </p><p>Considerando o primeiro caso, a docente explica que “você vai falar de temperaturas, de alteração biológica, então toda parte bioquímica da célula sofre alteração quando há uma elevação de temperatura. Há um microorganismo alterando o funcionamento das células”. Já pensando em Geografia, “falamos sobre eliminar criadouros em regiões onde há quantidade de água. O Enem pode tratar sobre relevo, sobre regiões em que o índice pluviométrico é maior e por isso tem mais casos de doenças relacionadas, por exemplo”, disse.</p><p> </p><p><a href=https://www.universiaenem.com.br/ title=universiaenem target=_blank><img style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto; src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/educacion/u/un/uni/universia-enem-banner.jpg alt=width=undefined height=undefined/></a></p>
Fonte: Shutterstock

Neste ano, o Brasil passou por uma grande epidemia de zika vírus e continua registrando casos de pessoas afetadas pela doença. Os principais sintomas são febre não muito alta, dor nas articulações e nos músculos, além de manchas na pele e coceira. Por ser um tema altamente noticiado na maior parte dos veículos de comunicação do Brasil e do mundo, pode aparecer nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que acontecerão nos dias 05 e 06 de novembro. Para que os alunos saibam responder as questões sobre a doença, a Universia Brasil conversou com a professora de Biologia do Curso Poliedro de Campinas Isabel Settin.

 

Você pode ler também:
» Como Cai no Enem 2016
» 5 dicas para gabaritar a prova de espanhol do Enem 2016 https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/06/03/11
» Todas as notícias sobre o Enem 2016

 

Ela é causada por um vírus transmitido pelo aedes aegypti, inseto artrópode também responsável pela transmissão da dengue e chikungunya. Por ter o mesmo vetor transmissor, a docente acredita que esse possa ser um dos pontos abordados nas provas do Enem, apontando as diferenças de sintomas entre cada uma delas. “No caso da dengue, a prostração é um sintoma que lembra a gripe. No caso da chikungunya, há uma coceira exagerada e uma vermelhidão que toma conta do corpo inteiro. Já no zika, você tem dores na articulação”, explicou.

 

Outro ponto que pode ser abordado é uma especificidade sobre a transmissão. Isabel explicou que somente as fêmeas são as responsáveis pela contaminação. “Só a fêmea do pernilongo se alimenta de sangue e isso pode aparecer em prova. A fêmea de todo o pernilongo é hematófaga, enquanto o macho não. Então a transmissão acontece por meio das fêmeas, enquanto o macho se alimenta de néctar”, contou.

 

Quando aborda doenças como o zika vírus, a prova do Enem tende a se preocupar bastante com a profilaxia, ou seja, as medidas preventivas para quebrar o ciclo da doença. “A principal prevenção é tentar eliminar o número de vetores. A gente ainda não tem vacina para essa doença. Há também a prevenção clássica para todos os insetos que são hematófagos: evitar regiões de criadouros, ter telas nas casas e uso de repelente. Acredito que se vier alguma coisa na prova um pouco mais específica seja sobre vírus de maneira geral: qual a característica dele, o que faz ele ser tão diferente de outro ser vivo, talvez de alguma forma a estrutura viral”, apontou.

 

Para criar uma proposta de intervenção na redação

No segundo dia de provas do Enem, o aluno precisará escrever uma redação e, como as propostas são sempre ligadas a discussões atuais, o zika vírus pode ser o protagonista da dissertação-argumentativa. Nesta prova em específico, é obrigatório que o estudante elabore uma proposta de intervenção.

 

Segundo Isabel, o estudante deve focar o último parágrafo do texto em maneiras de trabalhar uma solução mais política, ou seja, focando em ações que podem ser feitas para erradicar a doença. “O aluno pode falar de tratamento de água, de esgoto, de distribuição correta da água no ambiente, evitar a manutenção dessas casas e dos problemas de eliminar a vegetação ciliar que envolve os rios. Sempre um trabalho político por trás da profilaxia deve aparecer na redação. Essa intervenção de ambiente que a gente faz também é uma forma de você trabalhar na redação”, explicou.

 

Interdisciplinaridade

O Enem poderá também trazer questões que peçam um conhecimento interdisciplinar do estudante. Isabel pensa que relações fáceis de aparecer são da biologia com a química ou com a geografia, nas quais o estudante precisará demonstrar domínio de ambas as disciplinas para acertar a questão.

 

Considerando o primeiro caso, a docente explica que “você vai falar de temperaturas, de alteração biológica, então toda parte bioquímica da célula sofre alteração quando há uma elevação de temperatura. Há um microorganismo alterando o funcionamento das células”. Já pensando em Geografia, “falamos sobre eliminar criadouros em regiões onde há quantidade de água. O Enem pode tratar sobre relevo, sobre regiões em que o índice pluviométrico é maior e por isso tem mais casos de doenças relacionadas, por exemplo”, disse.

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.