text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Programa do MEC ampliará acesso de indígenas, negros e pessoas com deficiência a intercâmbio e pós

      
Em outubro, o Ministério dará início ao<strong> Programa de Desenvolvimento Abdias Nascimento</strong>, que é voltado para<a href=https://noticias.universia.com.br/mobilidade-academica/noticia/2013/08/29/1045709/mec-vai-criar-programa-intercambio-negros-e-indigenas.html title=MEC vai criar programa de intercâmbio para negros e indígenas> indígenas, pessoas autodeclaradas pretas e pardas e pessoas com deficiência e transtornos do desenvolvimento</a>. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), em parceria com a Secretaria de Educação Superior (Sesu) e com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).<br/><br/><p><span style=color: #333333;><strong>Você pode ler também:</strong></span><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/educacao/noticia/2016/06/22/1141088/54-brasileiros-aprovam-politica-cotas-sociais-diz-pesquisa.html title=54% dos brasileiros aprovam a política de cotas sociais, diz pesquisa>» <strong>54% dos brasileiros aprovam a política de cotas sociais, diz pesquisa</strong></a><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/estudar-exterior/noticia/2016/08/24/1143032/universidade-da-bolsas-estudo-15-mil-euros-mestrado-holanda.html title=Universidade dá bolsas de estudo de 15 mil euros para mestrado na Holanda>» <strong>Universidade dá bolsas de estudo de 15 mil euros para mestrado na Holanda</strong></a><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/estudar-exterior title=Todas as notícias sobre Bolsas de estudo e prêmios>» <strong>Todas as notícias sobre bolsas de estudo e prêmios<br/><br/></strong></a></p><p>Em anúncio, o ministro da Educação, Mendonça Filho, disse que definiu o orçamento para dar início ao projeto – R$ 25 milhões entre 2016 e 2019 – e destacou alguns pontos da inciativa, como o <strong>intercâmbio com instituições estrangeiras</strong>, que é a base do programa. “É importante tanto para proporcionar aos estudantes selecionados um aprimoramento quanto para destacar, nas universidades internacionais, o reconhecimento da produção científica brasileira”, afirma o ministro.<br/><br/></p><p>Esta será a primeira edição do<strong> programa que democratiza o ensino superior, dando espaço à diversidade</strong>. Ao todo, serão executados 32 projetos de mobilidade acadêmica e 23 de formação pré-acadêmica de acesso à pós-graduação. Entre os programas de mobilidade serão contemplados doutorados-sanduíche e graduações-sanduíche, em que apenas um período do curso é feito na instituição estrangeira. <strong>Estados Unidos, Cuba, Colômbia, Moçambique, Cabo Verde, Portugal, Espanha e Alemanha</strong> são os países envolvidos.<br/><br/></p><p>Já os projetos de formação pré-acadêmica incluem cursos preparatórios para mestrado e doutorado em instituições do ensino superior. A previsão é que a iniciativa já comece a ser executada em outubro deste ano.<br/><br/></p><p><a href=https://www.universia.com.br/estudar-exterior target=_blank><img title=Estudar no Estrangeiro src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/movilidad/e/es/est/estudarnoestrangeiro.jpg alt=width=undefined height=undefined style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto;/></a></p>
Fonte: Shutterstock
Em outubro, o Ministério dará início ao Programa de Desenvolvimento Abdias Nascimento, que é voltado para indígenas, pessoas autodeclaradas pretas e pardas e pessoas com deficiência e transtornos do desenvolvimento. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), em parceria com a Secretaria de Educação Superior (Sesu) e com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Você pode ler também:
» 54% dos brasileiros aprovam a política de cotas sociais, diz pesquisa
» Universidade dá bolsas de estudo de 15 mil euros para mestrado na Holanda
» Todas as notícias sobre bolsas de estudo e prêmios

Em anúncio, o ministro da Educação, Mendonça Filho, disse que definiu o orçamento para dar início ao projeto – R$ 25 milhões entre 2016 e 2019 – e destacou alguns pontos da inciativa, como o intercâmbio com instituições estrangeiras, que é a base do programa. “É importante tanto para proporcionar aos estudantes selecionados um aprimoramento quanto para destacar, nas universidades internacionais, o reconhecimento da produção científica brasileira”, afirma o ministro.

Esta será a primeira edição do programa que democratiza o ensino superior, dando espaço à diversidade. Ao todo, serão executados 32 projetos de mobilidade acadêmica e 23 de formação pré-acadêmica de acesso à pós-graduação. Entre os programas de mobilidade serão contemplados doutorados-sanduíche e graduações-sanduíche, em que apenas um período do curso é feito na instituição estrangeira. Estados Unidos, Cuba, Colômbia, Moçambique, Cabo Verde, Portugal, Espanha e Alemanha são os países envolvidos.

Já os projetos de formação pré-acadêmica incluem cursos preparatórios para mestrado e doutorado em instituições do ensino superior. A previsão é que a iniciativa já comece a ser executada em outubro deste ano.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.