text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Estudo mostra que escolarização dos pais afeta rendimento dos filhos

      
<p>Os resultados da <strong>Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2014)</strong> foram divulgados essa semana. O estudo levou em consideração o grau de instrução, a formação profissional e a renda dos pais e comparou os dados ao rendimento econômico dos filhos, e a formação escolar que eles tinham.</p><p><span style=color: #333333;><strong>Leia também:</strong></span><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-sobre-educação/ title=Educação>» <strong>Todas as notícias sobre educação</strong></a><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/educacao/noticia/2016/09/14/1143629/entenda-pernambuco-estados-melhor-educacao-publica-brasil.html title=Entenda por que Pernambuco é um dos estados com a melhor educação pública do Brasil>» <strong>Entenda por que Pernambuco é um dos estados com a melhor educação pública do Brasil</strong></a></p><p>Foi encontrada uma ligação entre os dados, possibilitando a afirmação de que pessoas com o mesmo nível de educação podem receber mais ou menos, dependendo da formação dos pais. E que o grau de educação também muda, levando-se em consideração a educação dos pais.</p><p>Um exemplo claro de que a educação dos pais afeta o salário dos filhos, encontrado pela pesquisa, é que, em 2014, uma pessoa com nível superior ganhava, em média:<br/><strong>R$ 2.603 quando o pai não tinha instrução</strong><br/><strong> R$ 6.739 quando o pai tinha nível superior</strong></p><p>Outro ponto observado pela pesquisa foi que a presença da mãe no domicilio contribui para que o filho atinja um nível maior de escolarização. O percentual de pessoas sem instrução que moravam sem a mãe é bem maior que aqueles com influência materna. Observe: <br/><strong>Moravam apenas com a mãe (10,3%)</strong><br/><strong> Moravam com o pai e a mãe (10,8%)</strong><br/><strong> Moravam apenas com o pai (16,2%)</strong></p><p>O mesmo ocorre com a taxa de término do ensino médio:<strong></strong><br/><strong>14,4% quando moravam com pai e mãe</strong><br/><strong> 11,9% se moravam somente com a mãe</strong><br/><strong> 9,6% quando moravam somente com o pai</strong></p><p>Juntamente com a educação e a renda, o nível de educação dos pais também influencia a possibilidade de ascensão no grupo sócio-ocupacional. <br/><strong>47,4% conseguiram mobilidade ascendente</strong><br/><strong> 33,4% dos filhos reproduziram a ocupação do pai</strong></p><p>A pesquisa completa pode ser acessada no <a href=https://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/mobilidade_socio_ocupacional_2014/default.shtm title=site do IBGE target=_blank>site do IBGE</a>.</p>
Fonte: Shutterstock

Os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2014) foram divulgados essa semana. O estudo levou em consideração o grau de instrução, a formação profissional e a renda dos pais e comparou os dados ao rendimento econômico dos filhos, e a formação escolar que eles tinham.

Leia também:
» Todas as notícias sobre educação
» Entenda por que Pernambuco é um dos estados com a melhor educação pública do Brasil

Foi encontrada uma ligação entre os dados, possibilitando a afirmação de que pessoas com o mesmo nível de educação podem receber mais ou menos, dependendo da formação dos pais. E que o grau de educação também muda, levando-se em consideração a educação dos pais.

Um exemplo claro de que a educação dos pais afeta o salário dos filhos, encontrado pela pesquisa, é que, em 2014, uma pessoa com nível superior ganhava, em média:
R$ 2.603 quando o pai não tinha instrução
R$ 6.739 quando o pai tinha nível superior

Outro ponto observado pela pesquisa foi que a presença da mãe no domicilio contribui para que o filho atinja um nível maior de escolarização. O percentual de pessoas sem instrução que moravam sem a mãe é bem maior que aqueles com influência materna. Observe:
Moravam apenas com a mãe (10,3%)
Moravam com o pai e a mãe (10,8%)
Moravam apenas com o pai (16,2%)

O mesmo ocorre com a taxa de término do ensino médio:
14,4% quando moravam com pai e mãe
11,9% se moravam somente com a mãe
9,6% quando moravam somente com o pai

Juntamente com a educação e a renda, o nível de educação dos pais também influencia a possibilidade de ascensão no grupo sócio-ocupacional.
47,4% conseguiram mobilidade ascendente
33,4% dos filhos reproduziram a ocupação do pai

A pesquisa completa pode ser acessada no site do IBGE.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.