Notícias

Por que e como adquirir uma reserva financeira?

      
reserva financeira
reserva financeira

Formar uma reserva financeira é algo que leva tempo. Por isso, quanto antes dermos início a esse empreendimento, mais cedo poderemos colher os frutos.

É preciso considerar também as recentes mudanças nas leis para aposentadoria, promovidas pelo governo federal. Embora a idade para homens tenha sido mantida em 65 anos, a para mulheres aumentou para 62, e o valor das aposentadorias pagas não é mais integral. Isso significa que o trabalhador vai se aposentar ganhando menos.

Sendo assim, você tem motivos de sobra para pensar desde já em juntar grana o bastante para ter uma aposentadoria segura ou mesmo para realizar outros objetivos. É disso que trataremos ao longo do artigo. Leia com atenção!

Guardar dinheiro de modo que ele renda

A crença de que manter dinheiro guardado em cofres residenciais ou no bom e velho colchão é mais seguro só fazia sentido no tempo dos nossos avós.

Desde que o capitalismo financeiro passou a ditar os rumos da economia mundial, os bancos se tornaram instituições ainda mais confiáveis para não só guardar dinheiro, mas para fazê-lo render. Existem diversos tipos de instituição financeira à sua escolha.

Uma alternativa aos bancos tradicionais são os bancos de investimento. Neles, você poderá abrir uma conta dedicada apenas a aplicações lucrativas, ou seja, que rendam juros e dividendos sobre os recursos depositados.

Agora que você sabe por onde começar, vamos destacar as medidas a serem adotadas para garantir um futuro mais tranquilo.

Eliminar dívidas

Uma característica comum às pessoas que não pensam em formar uma reserva financeira é o elevado grau de endividamento.

Como não têm controle sobre as finanças pessoais, elas acabam por repetir comportamentos pouco previdentes. O mais nocivo deles é contrair empréstimos a juros sem calcular o impacto financeiro. Assim, provocam um efeito “bola de neve”, no qual o não pagamento das dívidas provoca acúmulo de juros sobre juros, até que se atinja um ponto de impossibilidade de pagar o valor total.

Portanto, se você realmente quer ter tranquilidade com suas finanças, encare suas dívidas e busque renegociá-las, para, aí sim, abrir um novo caminho rumo à prosperidade.

Definir o tamanho da reserva

Uma vez que a instituição financeira em que você vai começar a fazer suas economias tenha sido escolhida e que suas dívidas estejam saldadas, é hora de realizar o planejamento para o futuro.

Nessa etapa, é bastante útil traçar um objetivo claro e que seja quantificável. Alguns exemplos são:

  • garantir um salário mensal sem trabalhar;
  • comprar um imóvel;
  • comprar um veículo;
  • pagar os estudos (ou parte deles).

Defina o valor necessário para se chegar à meta proposta e faça uma estimativa de tempo para que o montante seja atingido. Para isso, considere, em paralelo, o seu plano de carreira, afinal, será necessário ter uma fonte de renda compatível com o seu objetivo, certo? No próximo tópico, exemplificaremos como fazer isso.

Pagar previdência privada

Vamos supor que, hoje, você ganhe R$ 1,2 mil em seu estágio remunerado e que, com a efetivação prevista para o próximo ano, você ganhará o dobro, ou seja, R$ 2,4 mil.

Seu objetivo para o futuro é garantir uma renda mensal sem precisar trabalhar e você está com 24 anos de idade.

Para isso, escolheu o plano de previdência privada do banco Santander, que disponibiliza um simulador online, no qual pode calcular os valores.

No nosso cálculo, se você reservar 10% do seu futuro salário após ser efetivado, chegará aos 65 anos, ou seja, na idade para se aposentar, com uma renda vitalícia garantida de R$ 2.363,40. Portanto, quase o valor total do seu salário após a efetivação.

Ter renda extra

Embora seja perfeitamente possível garantir uma renda com base exclusiva no seu salário, é sempre desejável diversificar as fontes.

Por isso, dependendo do curso que esteja pensando em fazer, abrir novas frentes de trabalho pode ser a melhor forma de compor a sua reserva financeira.

Nesse sentido, uma boa maneira de ganhar mais dinheiro e antecipar a realização de suas metas é entrar de cabeça no mercado de trabalho freelancer. Você não deverá abrir mão de seu emprego, pelo menos não no início. O ideal é conciliar ambos os regimes de trabalho, fazendo dos seus “freelas” a fonte de sua renda extra, enquanto o salário será destinado a cobrir suas despesas básicas.

Com o tempo, é possível que o trabalho freelancer até se torne o seu principal. De qualquer forma, até chegar a esse ponto, prefira sempre ter uma fonte de renda fixa como o seu plano A.

Abrir o próprio negócio

Além do trabalho freelancer, outra possibilidade a ser explorada, enquanto você se mantém em um emprego ou estágio, é abrir o próprio negócio.

Na verdade, é melhor se você estiver no estágio — portanto, ainda cursando a faculdade. Isso porque será possível aproveitar um recurso só disponível enquanto se frequentam aulas: a incubadora de empresas universitária.

No Brasil, segundo o Sebrae, a mortalidade de empresas que começam sem orientação é muito alta. Por outro lado, esses índices caem quando são avaliados os negócios que começam como empresas júnior, dentro das incubadoras.

Quando incubada, uma empresa recebe todo o suporte necessário para superar a fase mais difícil de um empreendimento, que são os dois primeiros anos de atuação. É, seguramente, a melhor maneira para começar a empreender.

Até consolidar a marca, ganhar a confiança dos investidores e do mercado, é preciso contar com forças que minimizem os riscos que a inexperiência gera. É exatamente aí que as incubadoras fazem a diferença, já que elas apontam tudo que sua empresa deverá fazer para neutralizar possíveis ameaças e crescer mais rapidamente.

É, portanto, uma forma de aproveitar o seu potencial empreendedor e o que a instituição de ensino oferece para a realização de seus sonhos. Afinal, uma reserva financeira só pode ser formada com muita disciplina, planejamento cuidadoso e a orientação certa.

Parte da informação necessária, você pode ter aqui mesmo, no blog da Universia Brasil. Quer conhecer uma outra forma de fazer seu dinheiro render mais? Acesse já o Guia do Financiamento Estudantil, um e-book completo com tudo que você precisa saber!



    Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.