text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

5 ideias revolucionárias para reinventar os campus

      
Os centros de educação superior também apoiam aos já profissionais para que atualizem os seus conhecimentos
Os centros de educação superior também apoiam aos já profissionais para que atualizem os seus conhecimentos
  • Com a revolução tecnológica é preciso que seja reconsiderado o design e o funcionamento das instalações do ensino superior para se preparar para uma nova era de aprendizado.
  • Estas mudanças são necessárias à medida que o alunado se diversifica e tem maiores expectativas.
  • Os centros de educação superior estão passando de se centrar somente nos jovens antes de começar a sua carreira profissional a apoiar aos funcionários de mais idade.

Apesar do incremento da formação on-line, o aprendizado no campus continuará sendo fundamental no ensino superior. Entretanto, com métodos de aprendizado mais variados que nunca estão sendo redefinidos os requisitos para os edifícios dos campus. As aulas tradicionais são menos relevantes à medida que cresce a demanda de lugares de trabalho interdisciplinares e flexíveis, espaços tranquilos, laboratórios e centros de inovação.

Responsáveis de educação, designers, promotores e gerentes de instalações devem maximizar as oportunidades para ser mais flexíveis e resistentes com relação às mudanças.

Existem algumas pautas que ajudarão a reinventar os campus:

1) Apagar os limites entre aprender e viver

Os limites entre a vida e o aprendizado se apagam continuadamente. Isto, junto com uma maior autonomia dos estudantes para escolher onde e como desejam investigar ou estudar, está manifestando a necessidade de oferecer uma experiência holística de uma vida laboral no campus. A integração de armários para as compras on-line, envios de comida a domicílio, cuidado de crianças ou serviço de lavanderia podem facilitar o dia a dia dos estudantes, aumentando o tempo que dedicam às atividades significativas no campus.

2) Edifícios flexíveis pelo seu desenho

Existe a necessidade de desenhar espaços que possam se transformar de forma regular, alinhado com os programas de estudo em constante mudança e os requisitos dos estudantes, departamentos e sócios da indústria. Técnicas avançadas como a fabricação digital e a impressão em 3D, que permitem isto, facilitando o desenho de estruturas que se podem construir, deconstruir e depois reconstruir. As estratégias de desenho devem ser consideradas em todo o ciclo de vida dos edifícios, tratando de criar capas adaptáveis que possam se separar e modificar-se facilmente.

3) Fazer com que os resíduos funcionem

As universidades são ambientes ideais para transformar os resíduos em recursos. Por exemplo, os subprodutos, como o calor podem ser utilizados por outras instalações, enquanto que soluções como os tetos azuis podem ajudar a colher a água da chuva. Estas estratégias de desenho serão essenciais para garantir o rendimento financeiro dos campus do futuro.

4) Utilizar os dados para otimizar as instalações

Um problema importante para as universidades é o baixo índice de utilização dos espaços e das instalações. Uma rede da Internet das coisas, em todo o campus, com a inteligência artificial e algoritmos de aprendizado automático, pode ajudar a resolver este problema, permitindo recopilar e assimilar uma ampla gama de dados em tempo real. Desde conhecer o uso dos edifícios até os dados ambientais, como a qualidade do ar e do barulho dos passos, os centros educativos saberão de antemão quais instalações se utilizam diária, semanal ou mensalmente. Isto lhes permitirá maximizar o consumo dos recursos e colocar as suas instalações à disposição de organizações particulares ou públicas.

5) Ser um catalizador da inovação

As instituições acadêmicas têm que desempenhar um papel chave para facilitar a criação e a difusão do conhecimento. A proximidade à comunidade empresarial local pode ajudar a fomentar a inovação regional e proporcionar oportunidades de emprego e aprendizado para os estudantes. Para permitir a colaboração externa e interdepartamental, os edifícios deveriam ter espaços abertos, multifuncionais e adaptáveis que convidem ao co-working.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.