text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Conhecendo o sistema de ensino finlandês

      
O sistema finlandês é o paradigma entre os sistemas escolares de todo mundo. Com um reconhecido programa de intercâmbio para alunos e professores, este tradicional país escandinavo tenta compartilhar com as demais nações como é a educação na Finlândia.
O sistema finlandês é o paradigma entre os sistemas escolares de todo mundo. Com um reconhecido programa de intercâmbio para alunos e professores, este tradicional país escandinavo tenta compartilhar com as demais nações como é a educação na Finlândia.  |  Fonte: istock

Sendo um dos poucos países do mundo com uma taxa de alfabetização de 100%, a educação na Finlândia é reconhecida mundialmente por sua excelência.

Estrutura do sistema de ensino finlandês

A educação na Finlândia é divida em 3 estágios de acordo com a faixa etária do aluno:

  • Educação Básica

  • Educação Secundária ou Média

  • Educação Superior

A educação básica finlandesa abrange do 1º ao 9º ano, sendo compulsória a frequência de todas as crianças e adolescentes entre 7 e 16 anos. As escolas são, em quase sua totalidade, públicas, gratuitas e possuem turmas que não ultrapassam 20 alunos. Além dos idiomas nacionais, os alunos aprendem ainda mais dois estrangeiros e têm disciplinas não tradicionais como culinária, carpintaria, artes e costura.

Ao concluir o ensino básico obrigatório, os jovens podem escolher entre seguir a vida acadêmica ou não. Caso optem por dar sequência aos estudos, existem duas possibilidades: o sistema vocacional e o acadêmico. O sistema vocacional se assemelha ao ensino técnico no Brasil, com uma formação aplicada à prática, enquanto o acadêmico prepara para o ingresso nas universidades.

Independente da escolha pelo sistema vocacional ou acadêmico, a educação superior oferece caminhos de bacharelado e mestrado. O vocacional é ministrado nas escolas politécnicas e o acadêmico, nas universidades. Este último pode ainda ser desdobrado em licenciatura e doutorado. As politécnicas adotam uma ênfase mais prática e preparam para o mercado de trabalho.

Princípios adotados no ensino finlandês

A educação na Finlândia é extremamente valorizada pela sociedade e, por isso, recebe um tratamento especial marcado por altos investimentos do governo no setor. Pode-se verificar a adoção de orientações e princípios que contribuíram para que o país se tornasse uma referência mundial de ensino.


  1. Investimento e valorização dos professores

Ao contrário do que ocorre no Brasil e em muitos outros países, os professores finlandeses são vistos pela população como profissionais respeitados e, portanto, são extremamente valorizados. Assim, os salários que recebem são condizentes com seu custo de vida e sua formação profissional, sendo muitas vezes considerados elevados quando comparados aos de outros países do mundo.

Além disso, existem requisitos que os professores devem cumprir para assumir as vagas, inclusive as de ensino primário, como possuir um mestrado e suceder na acirrada disputa para se qualificar para as vagas nos programas formação de educadores.

  1. Ensino multidisciplinar e aplicado à prática

A adoção de um método de ensino personalizado e multidisciplinar propicia aos alunos participarem da construção do seu processo de aprendizagem. As escolas trabalham temas, sob a forma de projetos, que são desenvolvidos ao longo do ano, de forma complementar, dentro das diversas disciplinas.

A resolução prática dos problemas estimula os alunos a buscarem as respostas aos problemas propostos em sala de aula no próprio mundo. São frequentes as visitas e saídas aos locais que estão ligados ao conteúdo trabalhado. A ideia por trás disto é que o aluno poderá aprender melhor aquilo que está vivenciando e construindo.

  1. Métodos de avaliação diferenciados

A avaliação, da forma como conhecemos, não existe dentro do sistema de educação da Finlândia. Acredita-se que a ideia de submeter um aluno a uma prova, realizada em silêncio, mais se assemelha a uma forma de punição. Tanto que até completarem o 5º ano, os alunos não passam por avaliações formais e seus pais acompanham seu desenvolvimento através de relatórios.

Os professores são estimulados a não utilizar o sistema de notas e a diversificar os métodos de avaliação. Algumas dessas formas empregadas são a autoavaliação, a avaliação pelos outros alunos e, o mais interessante, uma avaliação dos professores, conduzida pelos próprios alunos.

  1. Emprego de metodologias não tradicionais de ensino

O que é valorizado dentro de sala de aula é a construção colaborativa do conteúdo pelos alunos, que devem propor soluções aos problemas trazidos pelos professores. A busca por tais soluções faz o processo de aprendizagem estar mais próximo do aluno, tendo a figura do professor como um mediador ou facilitador.

Por isso, o próprio formato das salas de aula e a disposição das mesas e cadeiras são diferentes. Muitas salas têm mesas agrupadas, sofás e projetores para facilitar a acomodação de um grupo, favorecer o debate coletivo e incorporar a tecnologia, que é sempre usada a favor do ensino.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.