text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Conheça 3 estratégias para melhorar a aprendizagem dos alunos

      
Debates em sala de aula estimulam o engajamento dos alunos e propiciam um aprendizado profundo.
Debates em sala de aula estimulam o engajamento dos alunos e propiciam um aprendizado profundo.  |  Fonte: istock

Pode ser bastante frustrante sentir que, apesar de todos os seus esforços como professor(a), os estudantes não estão de fato absorvendo o conhecimento que você tenta passar a eles.

Os debates acerca dos melhores métodos de ensino ainda não chegaram a um consenso, mas há estratégias para melhorar a aprendizagem dos alunos que têm muitos estudos a seu favor. Conheça 3 delas, a seguir.

1. Ensine o aluno a estudar

O ensino tradicional baseia-se principalmente em aulas expositivas, em que os estudantes ouvem (ou não) passivamente, enquanto o professor lhes “fornece” conhecimento. As aulas, porém, geralmente não são suficientes para que o aluno retenha todas as informações necessárias para passar de ano, para passar no Vestibular e, bem, para se formar tendo de fato aprendido o que a escola tentou lhes ensinar.

Por isso, os professores passam deveres de casa, trabalhos e recomendam sempre que os alunos estudem antes dos exames. Contudo, será que alguém já ensinou esses estudantes a estudar? Foi o que se perguntou o professor Fábio Ribeiro Mendes, formado em Filosofia e Direito, e adepto de uma das mais inovadoras estratégias para melhorar a aprendizagem dos alunos: a de desenvolver a autonomia do aprendizado.

Em suas oficinas de estudo, o professor ensina os alunos a estudar a partir de quatro passos:

1. Leitura panorâmica e superficial do material de estudo.

2. Destaque dos trechos mais relevantes.

3. Anotação das informações mais importantes.

4. Exercícios para testar o conhecimento.

Dedique algum tempo a ensinar os seus alunos a estudar. Isso com certeza beneficiará o aprendizado fora da sala de aula.

2. Incentive debates – e facilite a participação de todos

Há cerca de 200 anos, o ensaísta francês Joseph Joubert disse: “A meta de uma argumentação, ou do debate, não deveria ser a vitória, mas o progresso”. Inserir o debate desde cedo nas salas de aula é uma forma não apenas de tornar os alunos mais interessados e engajados no tema discutido, mas também de estimulá-los a pesquisar sobre o assunto, elaborar seus próprios argumentos e, principalmente, a ouvir o outro.

Quando um professor orienta um debate de forma que ele não seja uma competição, mas uma troca de ideias e um diálogo construtivo, ele não apenas beneficia a aprendizagem dos alunos do tema escolhido, mas também a capacidade de aprender ouvindo o outro e de respeitar o seu interlocutor. Estudos mostram que estratégias que envolvem interação estimulam o aprendizado profundo, em vez de superficial.

Essa estratégia, contudo, apresenta alguns desafios. Uma pesquisa publicada pela Associação Americana de Sociologia, mostrou que debates em sala de aula são geralmente dominados por uma quantidade pequena de alunos: geralmente entre cinco e oito estudantes são responsáveis por uma grande porcentagem (de 75% a 95%) do que é dito.

Como incentivar o resto da sala a participar e criar um debate construtivo? A professora Jocelyn Hollander, ela própria uma aluna tímida e não participativa na adolescência, dá algumas dicas:

  • Pedir que os alunos se preparem para o debate em casa, pesquisando, fazendo anotações e elaborando por escrito suas ideias e argumentos. Isso estimula e facilita a interação dos mais tímidos.

  • Iniciar o debate com algumas considerações em relação ao que é uma boa discussão: lembrar a importância de ouvir o outro, de não interromper, nem fazer comentários julgando o colega ou atacando-o pessoalmente.

  • Estabelecer metas para o debate e solicitar autoavaliações individuais no final.

No caso de uma turma muito grande, pode ser interessante dividi-la em grupos e fazer um debate prévio dentro de cada grupo.

3. Pare de brigar com a tecnologia

Celulares e tablets em sala de aula podem ser uma fonte de distração terrível para os alunos. Porém, a tecnologia também pode ser uma aliada da aprendizagem. Computadores, smartphones, redes sociais e jogos on-line já fazem parte do cotidiano dos estudantes, então por que não inseri-los no ensino de forma produtiva? Veja algumas ideias:

  • Crie apresentações criativas e divertidas.

  • Use o YouTube para mostrar palestras e até vídeos divertidos que tenham a ver com o tema da aula. Você também pode disponibilizar materiais em vídeo que auxiliem o aluno a estudar em casa.

  • Entre na onda da gamificação: introduza elementos de jogos em tarefas para torná-las mais estimulantes.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.