text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

5 coisas que você precisa saber para fazer um doutorado fora do Brasil

      
Se você quer fazer um doutorado no exterior, comece já a se preparar!
Se você quer fazer um doutorado no exterior, comece já a se preparar!  |  Fonte: istock

Muitos brasileiros optam por cursar um doutorado em outro país. Os motivos são muitos. Financiamento, busca de novos conhecimentos, desejo de estudar em uma instituição específica ou simplesmente vontade de morar fora.

Porém, o processo de escolher o curso, candidatar-se, passar pelo processo seletivo, ser aceito(a) e se mudar de país para passar cerca de quatro anos estudando e, muitas vezes, também trabalhando, não é fácil.

Você quer fazer um doutorado fora do Brasil e está perdido(a) nesse processo? Confira aqui as 5 principais coisas que você precisa saber para tornar esse sonho realidade.

1. Busque instituições de ensino bem-conceituadas

Uma boa forma de começar a pesquisar por instituições de ensino às quais se candidatar é consultando rankings internacionais de universidades. O QS University Rankings, por exemplo, permite efetuar pesquisas por país ou até mesmo por disciplina. Um outro ranking de renome é o Shanghai Academic Ranking of World Universities, que tem como principal foco a pesquisa acadêmica das instituições – algo essencial para um doutorado.

Faça uma lista de instituições de renome e, então, pesquise cada uma individualmente, afinal, talvez algumas universidades tenham que ser eliminadas por apresentarem pré-requisitos que não podem ser atendidos por você ou preços acima do seu orçamento, sem a possibilidade de bolsa.

2. Pesquise sobre a cidade e o custo de vida

Um curso de doutorado dura cerca de quatro anos. Isso é bastante tempo! Nesse período, não só a instituição de ensino será muito importante para a sua experiência, mas também a sua localização. Pesquisar sobre o país e a cidade onde você vai estudar é importante principalmente por questões práticas, como avaliar o seu orçamento.

Alguns sites, como o Numbeo, disponibilizam informações sobre preços e diferenças de custo de vida entre diversas cidades, o que pode ajudar a calcular melhor os seus gastos ao longo desses quatro anos e compará-los ao seu orçamento ou à sua bolsa.

Porém, ao avaliar a(s) sua(s) candidatura(s), lembre-se de considerar uma série de outros aspectos em relação à localização e ao que você considera importante. Por exemplo:

  • Clima;

  • qualidade de vida;

  • sistema de transporte público;

  • disponibilidade de moradia;

  • possibilidade de trabalhar;

  • oportunidades de emprego.

3. Descubra se – e como – você poderá trabalhar

Talvez você esteja planejando pagar o doutorado, ou uma parte dele, trabalhando durante meio período no país de destino. Bem, esse plano pode não dar certo em alguns lugares. Infelizmente, muitos países não permitem que estrangeiros com visto de estudo trabalhem legalmente em seu território.

Veja alguns países populares entre estudantes brasileiros onde é permitido ao doutorando trabalhar:

É essencial, claro, averiguar as especificidades de cada país, já que eles apresentam características e restrições particulares. Alguns exigem, por exemplo, uma autorização especial do governo e/ou da universidade.

4. Fique atento(a) aos pré-requisitos – e aos prazos

Com raras exceções, um curso de doutorado exige a conclusão prévia de um mestrado. Além disso, cada doutorado possui seus próprios pré-requisitos e processo seletivo, que você deve conhecer com antecedência.

Histórico acadêmico, publicações, carta de recomendação de professores universitários e provas costumam ser algumas exigências, além, claro, de um certificado de proficiência no(s) idioma(s) necessários para participar do curso.

Lembre-se de que no hemisfério norte os cursos começam no segundo semestre do ano, entre agosto e novembro. Portanto, se esse é o seu destino, o ideal é começar a pesquisa de cursos e instituições entre dezembro e fevereiro, para participar dos processos seletivos entre março e julho. Os cronogramas dependem, claro, de cada país e universidade, portanto, quanto antes você começar a se informar, melhor!

5. Fique de olho nas bolsas para fazer um doutorado fora do Brasil

Se você está interessado(a) em fazer um doutorado no exterior, é possível que consiga uma bolsa de doutorado oferecida por diferentes financiadores. Confira os principais:

Pronto, você já tem as 5 informações vitais para iniciar sua jornada rumo a um doutorado fora do Brasil. Boa sorte!


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.