text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

O que analisar ao buscar um curso de coaching?

      
Veja o que estar atento ao escolher um curso de coaching para você!
Veja o que estar atento ao escolher um curso de coaching para você!  |  Fonte: iStock

Coaching: um fenômeno moderno


Você provavelmente já ouviu falar em “coaching”, e é possível que alguém que você conheça tenha um coach ou até mesmo seja um. O coach é uma espécie de orientador, que utiliza uma série de conhecimentos e métodos para ajudar os seus orientandos, os “coachees”, a definirem e alcançarem objetivos.


Essa profissão tem ganhado cada vez mais adeptos e está presente em diversas áreas. Conduzida pela PricewaterhouseCoopers (PwC) e encomendada pela International Coach Federation (ICF), a mais extensa pesquisa realizada sobre essa indústria revelou em 2016 que cerca de 53 mil profissionais já estavam atuando como coaches no mundo, o que representou um aumento de mais de 12% em relação a 2012.


Por outro lado, a popularidade crescente do coaching também significou a entrada de muitos indivíduos nesse mercado sem o preparo necessário para atuar na área. Embora qualquer pessoa, de qualquer profissão, possa se tornar um coach, uma boa formação é essencial para isso. Se você deseja atuar como coach ou quer aplicar essas metodologias à sua própria vida, continue lendo este texto e saiba mais sobre o curso de coaching, como ele funciona e por que fazê-lo.

O que é um curso de coaching?

O coaching não é um processo psicoterapêutico. Portanto, não é preciso ser formado em Psicologia para tornar-se um coach. No entanto, um profissional que deseja se preparar para atuar na área deve buscar um ou mais cursos de qualidade, que o permitam acessar os diversos conhecimentos que embasam o coaching e conhecer os principais métodos e ferramentas para aplicá-lo à sua vida, à sua profissão ou ao processo de orientação de outra pessoa.


Afinal, o coaching faz uso de conhecimentos de diversas áreas, como a Psicologia, a Neurociência e a Administração, e conta com uma série de métodos, ferramentas e técnicas que devem ser compreendidos e bem aplicados pelos coaches.


Há uma série de formações na área disponíveis no Brasil, desde cursos livres até especializações e MBAs. A duração, os pré-requisitos e a certificação adquirida variam conforme o curso, obviamente.


Também há variações no que diz respeito aos nichos de coaching, que localizam-se dentro de duas categorias principais: Coaching Pessoal e Coaching de Negócios. Há desde formações mais gerais até especializações dedicadas a categorias ou a nichos particulares do coaching, como:


  • Coaching de Relacionamentos;

  • Coaching de Emagrecimento;

  • Coaching Vocacional;

  • Coaching Profissional;

  • Coaching de Liderança;

  • Coaching de Equipes;

  • Coaching de Vendas.


Também existem cursos dedicados exclusivamente ao Autocoaching, para pessoas que não estão interessadas em orientar outros indivíduos, mas sim em aplicar o coaching à sua própria vida, carreira ou empresa. Independentemente da especialização escolhida, um bom curso de coaching fornece as teorias e práticas necessárias para desenvolver as competências essenciais de um coach.

Por que fazer um curso de coaching?

Como já dito, um curso de coaching de qualidade é necessário para tornar-se um bom coach, munido dos conhecimentos e dos métodos vitais para promover o seu autodesenvolvimento e/ou o desenvolvimento alheio. Mas há ainda outros motivos para fazer um curso de coaching; confira alguns deles a seguir.


  1. Reconhecimento no mercado


Uma certificação e, especialmente, um diploma que comprove a sua formação é um adicional de grande valor ao seu currículo e, em alguns casos, é indispensável para atuar na área.


  1. Possibilidade de credenciamento


A International Coach Federation (IFC), a maior associação global de coaches, oferece opções de credenciamento que exigem um número mínimo de horas de treinamento, bem como experiência na área e aprovação no exame da IFC. Embora o curso de coaching seja apenas o primeiro passo nesse trajeto rumo ao credenciamento, certamente vale a pena começar a percorrer esse caminho: segundo o estudo “2012 ICF Global Coaching Study”, coaches credenciados apresentam uma renda maior que a média mundial da profissão.


  1. Preparar-se para a regulamentação


O crescimento do coaching no mundo vem banalizando esse termo e atraindo muitos charlatões para a área. Por causa disso, já está em debate no Senado do Brasil uma possível regulamentação do coaching, para garantir que os coaches que atuam no país tenham a formação e a experiência necessária para orientar outras pessoas.


Se você está considerando iniciar um curso de coaching, é interessante ter bem claro quais as principais áreas de atuação e como elas trabalham com o indivíduo.

Coaching pessoal

Na vida, nem sempre temos todas as respostas ou estamos preparados para tudo o que ocorre no dia a dia. Por isso, um coaching pessoal pode ser uma maneira de preparar sua saúde mental e melhorar o seu desempenho.


Se você procura um coaching pessoal, busque um profissional treinado, habilitado e de confiança. Desse modo, o trabalho do coaching pessoal será mais eficiente e você não estará jogando dinheiro fora. Psicólogos especializados em coaching e coachs profissionais podem ser a melhor opção para quem procura um coaching pessoal.


Entrar em um projeto de coaching pessoal é um assunto sério e que irá necessitar toda sua atenção e foco. O objetivo último é alterar sua vida transformando-a em algo melhor para você e para todos que estão ao seu redor. O coaching pessoal trabalhará para que você tenha equilíbrio emocional, força para seguir adiante e atingir os seus objetivos na vida.


O coaching pessoal empregará técnicas da psicologia para desvendar quem você é, como você é, quais seus pontos fortes e quais suas fraquezas. Dessa maneira, você e seu coach estarão aptos a refletir e trabalhar a pessoa que você é para transformá-la em um ser melhor do que você já é.


O foco do coaching pessoal é torná-lo melhor, mas isso depende de cada um. Você deverá discutir com o seu profissional contratado quais as melhores opções de trabalho e em que áreas da sua vida você planeja investir e melhorar como ser humano. Pode ser na área emocional ou profissional, ou até mesmo as duas.


Devemos pensar no coaching pessoal como um auxiliar em nossas vidas e que vai nos ajudar a nos entendermos melhor enquanto nos relacionamos com outras pessoas e com o mundo. Por isso um coaching pessoal é tão importante. Nós não nascemos com as ferramentas e as percepções para lidar com tudo o que a vida impõe em nosso caminho.


Apesar do coaching pessoal ser focado no indivíduo, de maneira passiva ele por vir a influenciar e alterar a vida pessoal dos relacionamentos no trabalho, no amor e na família. Esse é outro ponto que deve ser discutido, pois essas esferas da vida não estão separadas, mas todas elas juntas formam o indivíduo. E sabemos que algum problema em uma dessas áreas podem afetar todas as outras. 


O coaching pessoal vai exigir que você mude hábitos cotidianos, maneiras de pensar, repensar conceitos e rever a vida com outros olhos. Por isso a relação entre o profissional de coaching e seu cliente deve ser de confiança. Todas essas mudanças de hábitos e de pensamento vão exigir muito esforço seu.


Passar por esse processo pode trazer muitos benefícios como melhora na qualidade de vida, melhor comunicação nos relacionamentos interpessoais, aprender a controlar o estresse, o cansaço mental, a irritabilidade e os pensamentos negativos. Além disso você vai poder se tornar uma pessoa mais organizada e focada para planejar suas metas e planos de vida, de carreira ou de estudos.


Por isso, não tenha medo em falhar ou se sentir inseguro com os desafios que a vida coloca contra você, pois além de não estar sozinho nisso, técnicos de coaching pessoal podem ajudar você a se tornar um vencedor.

Coaching de equipes para empresas

Entre as opções de coaching mais procuradas está o formato voltado para formação de equipes, um trabalho que também é feito pelo coaching profissional. Ele é muito utilizado em empresas que valorizam o trabalho em equipe. Trabalhar em equipe supõe atingir metas que uma pessoa não conseguiria. 


O coaching permite definir os papéis e tarefas de cada cargo dentro da própria equipe, para que as tarefas de um colega não interfiram no ritmo da jornada de outro funcionário. Assim, cada profissional tem a possibilidade de ampliar seu olhar para observar o seu trabalho não de um modo individual, mas em um contexto grupal.


Através do coaching de equipes é possível encontrar respostas importantes à própria evolução do grupo. Por exemplo, identificar qual é o freio que está bloqueando a comunicação. Analisar as forças grupais e individuais. Achar uma maneira de transformar um obstáculo em uma oportunidade.


Isto significa um aumento da consciência e a introspecção para transformar desde dentro a potencialidade da equipe, definindo novos objetivos realistas e alcançáveis.


Uma mudança de posição de um dos membros da equipe afeta as relações de todo o grupo. As dinâmicas do coaching de equipes são construtivas porque permitem aos funcionários se conhecer melhor em um contexto diferente da rotina empresarial marcada pela pressão pelos resultados e a gestão do tempo. Este tipo de coaching é vital, porque eleva o salário emocional dos funcionários que recebem um reconhecimento através desta dinâmica.


Quais são seus benefícios para os funcionários?

  • Desenvolve as habilidades e as capacidades de cada pessoa para que as integre em seu trabalho e dê o melhor de si mesma.

  • Potencializa o empoderamento das pessoas, seu sentido de pertencimento à equipe e a habilidade de encontrar soluções criativas para os problemas que surjam.

  • Melhora as relações entre as pessoas e a comunicação. 

  • Melhora da produtividade de cada pessoa na equipe.


Quais são os benefícios para a empresa?

  • Ajuda a alinhar a equipe com a cultura da empresa e, portanto, criar uma maior motivação e implicação.

  • Incrementa a cooperação entre os diferentes departamentos da empresa com a melhoria da comunicação e compartilhamento da informação.  

  • Agiliza a tomada de decisões, devido à melhora da confiança e da motivação.

  • Ajuda a aumentar a satisfação dos clientes, já que uma equipe coesa prestará um serviço melhor.

  • Uma equipe não é o mesmo que um grupo. Em uma equipe se trabalha com um fim comum, enquanto que em um grupo cada pessoa tem um objetivo. A principal meta do coaching de equipes é saber se está diante de uma equipe ou de um grupo de trabalho.

  • O coaching cria uma nova mentalidade na empresa, já que os funcionários aprendem a viver em comum o sucesso e também assumem de maneira responsável as possíveis derrotas. O sucesso potencial de uma empresa aumenta a partir da força do conjunto.

Aplicações de um coaching profissional

O coaching profissional vem sendo utilizado com sucesso por indivíduos em busca de crescimento no trabalho, sejam eles executivos e gestores ou não. 


De acordo com uma pesquisa do Personal Management Journal, um grupo de executivos avaliados melhorou em 22,4% a performance depois de um treinamento convencional. Já outros executivos, que foram submetidos às técnicas de coaching, tiveram um progresso avaliado em 88%.


Os estudos comprovam o que já se verifica na prática desde que o treinamento focado no indivíduo e seu desenvolvimento passou a ser um recurso para aprimorar competências: o coaching tem efeitos que, em geral, superam as expectativas.


  • Identifica bloqueios 


No método de treinamento baseado no coaching, o coachee é estimulado a encarar suas limitações de forma honesta e corajosa. Assim, é possível superar as chamadas “crenças limitantes”, ou seja, uma série de comportamentos e convicções que só servem para atrasar o crescimento pessoal.


Entre os comportamentos que limitam o desenvolvimento, por exemplo, está a falta de habilidade de determinados profissionais para dar feedbacks críticos e se comunicar. Há os que são inábeis a ponto de soarem ofensivos, enquanto outros simplesmente não conseguem se expressar. Nesse aspecto, o coaching pode ajudar a restabelecer o equilíbrio, favorecendo a boa convivência sem que isso signifique permissividade.


  • Aprimora competências


O escritor Aldous Huxley disse: “Há um único recanto do universo que podemos ter certeza de melhorar: o nosso próprio eu”. Portanto, ao se abrir à possibilidade de desenvolvimento a partir do coaching, você toma consciência de que é a única pessoa no mundo que pode ser modificada pelas suas ações.


Essa mudança de postura gera reflexos diretos no desempenho profissional como um todo. Se você já é bom em alguma coisa, torna-se ainda melhor. E se precisa desenvolver habilidades, o coaching ajuda a abrir caminhos para alcançar novos horizontes.


  • Potencializa resultados


A consequência direta da superação das próprias limitações por meio do autoconhecimento é a abertura da mente para assimilar novas habilidades ou aprimorar as que já existem. Em termos práticos, significa que os resultados das atividades profissionais e pessoais serão superiores, comparando com o “antigo eu”.


Nesse aspecto, o coaching se revela um programa de crescimento em todos os sentidos. A partir da adoção de uma postura positiva, os resultados aparecem em vários campos. Desde o âmbito profissional até o relacionamento interpessoal, vários aspectos melhoram sensivelmente.


  • Gerencia melhor o tempo


Quantas vezes nos sentimos impelidos a jogar tudo para o alto, sob a justificativa de que não dá tempo de fazer tudo? Pela nova perspectiva que o coaching oferece, o tempo deixa de ser um problema para se tornar um ativo precioso, que deve ser muito bem gerenciado.


Uma das maneiras de tornar a gestão do tempo eficaz é a priorização de tarefas. Primeiro, as coisas mais importantes, depois as menos urgentes e por fim as atividades supérfluas. Assim, você verá que uma nova forma de viver, um dia por vez, é a que realmente funciona melhor.


  • Desenvolve a liderança


Todos temos um líder dentro de nós, mas precisamos criar as condições certas para que essa liderança seja exercida naturalmente. Pelo treinamento com coaching profissional, o coachee aprende que liderar depende menos de ocupar um cargo diretivo e mais de saber como influenciar as pessoas.


E, ao contrário do que muitos pensam, essa influência não se materializa pela ostentação de bens materiais — que, a propósito, são uma consequência, e não um meio para obter sucesso. Os líderes que emergem em função do coaching são, na verdade, pessoas que encontraram recursos interiores muito mais poderosos do que roupas, carros ou dinheiro.


A boa notícia é que essa descoberta está ao alcance de todos, basta querer.


  • Reeduca as emoções


Um dos problemas que mais nos afetam, pessoal e profissionalmente, é a imaturidade emocional. Por não desenvolver desde a infância vínculos afetivos sólidos e outras razões apontadas pela Psicologia, acabamos nos fechando para sentir emoções verdadeiras. Esta seria uma das razões para comportamentos defensivos ou mesmo autodestrutivos.


Lidar de forma madura com os próprios sentimentos, portanto, é mais um dos benefícios proporcionados pelo treinamento orientado por um coach. Reduzindo a ansiedade, são vencidas barreiras que até então pareciam intransponíveis, como a dificuldade de falar em público.


  • Reflete em mais organização


Depois de adotar uma nova postura diante da vida, do tempo, dos desafios e das emoções, o coachee consegue visualizar com mais clareza em que pontos precisa melhorar e onde está falhando consigo mesmo.


Na verdade, ao ajudar a romper os antigos bloqueios, o coaching profissional acaba por permitir que um indivíduo controle o seu próprio destino por meio do planejamento pessoal.


Sem as amarras que antes eram impostas por comportamentos destrutivos, tudo começa a fluir melhor e sem o caos que havia antes. Tudo isso reflete em mais organização para todas as atividades, sejam elas relacionadas ao trabalho ou não.


  • Aumenta a produtividade


Outro problema comum entre pessoas que buscam a orientação de um coach são as queixas de diminuição na produtividade. Geralmente vinculados ao estresse e às pressões no trabalho ou em casa, os prejuízos no desempenho geram um sentimento de impotência. Afinal, o que fazer quando não conseguimos identificar as causas da redução das capacidades profissionais?


Novamente, o coaching surge como resposta para questões que até então pareciam insolúveis. Um olhar treinado e externo está em condições muito mais favoráveis de perceber onde se encontram as causas da queda na performance.


Não são raros os casos em que a sensação de falta de controle em aspectos da vida torna-se uma causa subjacente para a redução da motivação. Profissionais menos engajados pioram seu rendimento no trabalho, logo, cabe ao coach orientar atividades coordenadas que permitam neutralizar focos de insatisfação.


Também é importante perceber que o coaching profissional pode se estender a todo e qualquer aspecto da vida em que as coisas pareçam não fluir bem, indo muito além do trabalho. Forma física e aparência, finanças ou relacionamentos são alguns dos outros pontos que podem ser trabalhados e melhorados por essa prática, que ganha cada vez mais adeptos.

Problemas nos programas de coaching

Assim como os atletas se tornam mais fortes sob a orientação de um bom coach, o mesmo acontece com os professores. Uma nova análise que estudou o coaching para os professores descobriu que os benefícios diminuem à medida que os programas tentam alcançar mais docentes


Investigadores começaram a estudar rigorosamente o coaching no final da década de 1990 e tentam identificar se a atividade funciona. Agora, uma equipe de pesquisadores chegou a uma conclusão frustrante: o coaching pode ajudar, mas ninguém descobriu como expandir com sucesso programas para que atinjam muitos professores.


Matthew Kraft, professor da Brown University, começou a sua pesquisa sobre coaching junto com o colega David Blazar quando ainda eram estudantes da Harvard Graduate School of Education. Eles ficaram perplexos com os resultados de um estudo em que estavam a trabalhar em Nova Orleans, onde o ensino melhorou durante o primeiro ano de coaching em 2011, mas não tanto nos segundo e terceiro anos. Os investigadores queriam entender estes resultados e se havia lições a tirar para quem implementa políticas.


Eles calcularam os resultados de 60 programas e descobriram que, em média, o coaching melhorou muito a qualidade da instrução na sala de aula, conforme avaliado por observadores externos. Mas o impacto na média do desempenho acadêmico dos alunos, medida por avaliações de leitura ou matemática, foi reduzido.


Desse estudo aplicado ao coaching para professores, pode-se depreender alguns problemas que se repetem em outros tipos de programa. São eles:


  • Qualidade do coaching se deteriora - Pequenos programas de coaching são muitas vezes desenvolvidos por acadêmicos que fazem coaching em si próprio ou em um pequeno grupo de forma específica, o que acaba por ter previsíveis e perdem a eficácia com o tempo.


  • Motivação - Em programas pequenos e bem sucedidos, os investigadores descobriram que os professores gostavam do processo de coaching e queriam melhorar as suas técnicas de ensino. Quando o coaching se torna obrigatório, nem todos estão abertos a ouvir comentários críticos e mudanças.


  • Agendamento - É difícil encontrar momentos convenientes para os professores e os coaches se encontrarem, o que dificulta que o programa se desenvolva corretamente. Este aspecto tem sido contornado de maneira satisfatória através dos recursos tecnológico, como a internet.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.