Notícias

O que são as metodologias ativas de aprendizagem e por que vêm sendo cada vez mais valorizadas?

      
Várias pesquisas comprovam os benefícios da aprendizagem ativa para o desempenho de alunos em exames.
Várias pesquisas comprovam os benefícios da aprendizagem ativa para o desempenho de alunos em exames.  |  Fonte: istock

Como afirma o professor e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP), José Moran, no artigo “Mudando a educação com metodologias ativas”, a sociedade atual exige proatividade e colaboração e necessita de novos métodos de aprendizagem, já que os tradicionais – aqueles que privilegiam a mera exposição de informações dos professores para os alunos – só faziam sentido quando o acesso à informação era difícil.

Em uma sociedade conectada pela Internet, repleta de informações e cada vez mais complexa e veloz, é preciso descobrir novas estratégias, que melhorem o aprendizado dos alunos. É aqui que entram as metodologias ativas, buscando atender às novas necessidades da era digital e formar indivíduos mais preparados para o futuro. Quer saber mais sobre o tema? Então continue acompanhando este texto.

O que são as metodologias ativas?

De acordo com o pesquisador Joel Michael, autor do artigo “Where's the evidence that active learning works?”, a aprendizagem ativa é caracterizada pelo processo de engajamento dos estudantes em seu próprio aprendizado. Ela demanda que o “aprendiz” reflita sobre as suas próprias ideias e conhecimentos, seja capaz de avaliar de forma crítica o seu entendimento de conceitos e de lidar ativamente com informações e problemas.

O processo de aprendizado ativo se dá por meio de métodos que permitam adquirir conhecimento de forma ativa e participativa, envolvendo estudantes em atividades de pesquisa, reflexão, questionamento, diálogo e resolução de problemas.

O método expositivo, no qual os alunos “recebem” passivamente os conhecimentos passados por um professor, geralmente de forma oral, continua prevalecendo nas escolas; mas cada vez mais instituições de ensino buscam incorporar novas metodologias, criando um espaço de aprendizado híbrido ou, em alguns casos, totalmente inovador. Mas para quê? É o que veremos a seguir.

Benefícios do aprendizado ativo

Segundo José Moran, os alunos de hoje precisam ser estimulados a se envolver em atividades complexas, a tomar decisões, experimentar possibilidades, mostrar iniciativa e analisar resultados, para se desenvolverem como indivíduos proativos, críticos e criativos.

Além de estimular a autonomia, a proatividade e a capacidade crítica de estudantes, uma série de pesquisas científicas demonstra que as metodologias ativas de aprendizado contribuem também para os resultados de estudantes em um ponto bastante tradicional do universo da educação: os exames. Veja algumas descobertas nesse sentido: 

  • De acordo com um estudo de 2014 realizado por pesquisadores da Universidade de Washington, as notas de alunos de matemática, ciências e engenharia que passaram por sessões de aprendizado ativo foram 6% mais altas do que as de estudantes de aulas tradicionais, enquanto estes últimos apresentaram uma probabilidade mais alta de serem reprovados.

  • Um experimento feito em 2003 por uma pesquisadora da Universidade de Porto Rico mostrou que aulas de biologia ensinadas pelo mesmo professor, mas com metodologias diferentes – uma de forma tradicional e a outra com métodos ativos construtivistas – tiveram resultados muito diferentes. Os estudantes das sessões ativas tiveram notas significativamente mais altas, além de um desempenho melhor em questões que testaram especificamente a sua capacidade de "pensar como um cientista".

Como aplicar as metodologias ativas em sala de aula

Os professores são essenciais para propiciar que o aprendizado ativo aconteça. Os métodos para desenvolver esse processo nas escolas são muitos. A sua aplicação pode envolver desde uma transformação completa e inovadora, que modifica todo o espaço da sala de aula e a grade escolar, como acontece em escolas montessorianas, até a adoção de alguns métodos ativos, alternados com aulas tradicionais.

Métodos como a “Sala de Aula Invertida”, o “Aprendizado Baseado em Projetos” e a “Instrução entre Colegas” (Peer Instruction), bem como diversas atividades em sala – estudos de casos, resoluções de problemas, debates, simulações, entre outras – são algumas formas de permitir que a aprendizagem ativa tenha lugar nas escolas.

Para bons professores, preocupados com o aperfeiçoamento da formação dos seus alunos, as metodologias ativas são certamente indispensáveis no mundo atual. 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.