text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Habilidades Socioemocionais na educação

      
As habilidades emocionais integram a Base Nacional Curricular Comum.
As habilidades emocionais integram a Base Nacional Curricular Comum.  |  Fonte: iStock

Em boa hora, as habilidades emocionais integram a Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e estão presentes em todas as 10 competências gerais. Sendo assim, elas deverão ser contempladas nos currículos de todas as escolas do Brasil até o ano de 2020. 


Ver https://basenacionalcomum.mec.gov.br/implementacao/praticas/caderno-de-praticas/aprofundamentos/195-competencias-socioemocionais-como-fator-de-protecao-a-saude-mental-e-ao-bullying


Mas o que faz das habilidades socioemocionais algo tão importante na educação? É o que discutiremos neste artigo.


Façamos, portanto, um esforço para compreendermos a importância das habilidades socioemocionais e como elas contribuem de fato para o processo de ensino-aprendizagem. 


COMO SURGIU A IDEIA DE EDUCAÇÃO SOCIOEMOCIONAL?


O conceito de educação socioemocional está literalmente atrelado ao de inteligência emocional, tanto pelo seu fundador quanto pelo momento em que foi criado. 


A ideia de inteligência emocional foi cunhada pelo psicólogo e jornalista americano Daniel Goleman, que a partir de estudos e viagens que fez à Índia durante a década de 70 para estudar a psicologia da consciência, descobriu a importância das emoções para o desenvolvimento cognitivo e humano em geral. 


Em 1994, o Professor Goleman foi convidado e assistido financeiramente pelo Instituto Fetzer para aplicar os seus estudos de inteligência emocional no campo da educação. Para isto, o Instituto Fetzer organizou uma série de encontros entre Goleman e profissionais da educação no mesmo ano, foi aí que nasceu a ideia de educação socioemocional, e também um grupo de estudos chamado CASEL (Iniciativa para o Avanço e Aprendizagem Socioemocional, em tradução livre). 


Não é por acaso que o best seller de Goleman, onde ele divulga suas ideias pela primeira vez ao grande público (“Inteligência Emocional”), foi publicado em 1995. 



Ver https://www.febracis.com.br/blog/daniel-goleman/


Por outro lado, a história do fundador do Instituto Fetzer, é a de um grande empresário americano do ramo da comunicação, John Earl Fetzer (1901-1991) que, assim como Goleman, acreditava na junção entre ciência e espiritualidade para melhorar a vida da humanidade.


Ver https://fetzer.org/about/founder


E é no próprio site da CASEL que encontramos uma das definições mais sucintas para a educação socioemocional, que segundo eles é o “processo pelo qual crianças e adultos compreendem e administram emoções, estabelecem e atingem objetivos positivos, sentem e demonstram empatia pelos outros, estabelecem e mantém relações positivas e tomam decisões responsáveis” (traduzido livremente de  https://casel.org/what-is-sel/ ).


Passados mais de 20 anos, a educação socioemocional integra o documento da UNESCO, “Educação para a Cidadania Global”, publicado em 2015, e o BNCC brasileiro (Ver https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000234311 )


HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS NA ESCOLA


No site da BNCC, é possível vermos de que maneira se esperar desenvolver as habilidades socioemocionais no ambiente escolar. Isto se dá pelo desenvolvimento das seguintes competências: Autoconsciência, Autogestão, Consciência social, Habilidades de relacionamento, Tomada de decisão responsável.


Tudo isto se relaciona, como visto, ao conceito de educação emocional como estabelecido pelo CASEL.


Se levarmos em conta que o Professor Goleman, bem como John Fetzer, possuíam uma preocupação genuína o distanciamento entre as pessoas promovido por uma sociedade cada vez mais tecnológica, e o quanto isso tem afetado negativamente as crianças e jovens na escola, teremos toda a razão para darmos todo nosso apoio à implementação e o desenvolvimento das habilidades socioemocionais nas escolas. 


Apesar disso, estimular o desenvolvimento de habilidades socioemocionais pode ser feito por qualquer educador ou responsável por seus filhos ou alunos, dentro ou fora da escola. Isto foi tema de um artigo do site Universia em 2015, ano em que a educação socioemocional entrou na agenda da UNESCO.


Ver https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/11/16/1133740/ensinar-simples-estimular-desenvolvimento-habilidades-socioemocionais.html


Em suma, o desenvolvimento de habilidades socioemocionais desde a pré-escola até o ensino médio, ou mesmo em adultos, é algo extremamente importante e atual, pois casos de violência nas escolas são, infelizmente, cada vez mais recorrentes. e o correto manejo das emoções pode impedir muitas tragédias.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.