text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Cientista de dados é a carreira mais promissora para 2016, diz pesquisa

      
Fonte: Shutterstock

O site norte-americano de empregos CarreerCast.com lança, anualmente, um ranking com as melhores e piores profissões do país. Ao todo, são analisadas 200 carreiras, seguindo critérios de avaliação como salário, estresse, ambiente, tipos de demandas, entre outros. A seguir, confira o cenário referente a 2016:

 

Grátis: cadastre aqui seu CV e veja vagas

Você pode ler também:
» As 5 universidades com ex-alunos mais bem pagos
» Conheça 5 domínios digitais que todo profissional do futuro precisa desenvolver
» Todas as notícias de Emprego

 

Melhores profissões de 2016

As profissões envolvendo matemática ocupam parte das primeiras posições da lista de melhores carreiras para 2016. No primeiro lugar está cientista de dados, com um salário anual de US$ 128.240.

 

A área faz parte de um novo campo de atuação, que surgiu da necessidade de coletar e organizar quantidades massivas de dados, principalmente aqueles gerados no ambiente on-line. O mercado de trabalho para esta profissão é bastante amplo, com vagas nos setores de Tecnologia da Informação, saúde, finanças, entre outros.

 

Em segundo lugar, apareceu o profissional de estatística, com salário de US$ 79.990 por ano, seguido pelo analista de segurança, com US$ 88.890. As duas carreiras também demandam profissionais que tenham formação em cursos da área de exatas e estão ligadas ao universo de organização, coleta e segurança de dados.

 

A seguir, confira a lista completa:

1) Cientista de dados
2) Estatístico
3) Analista de segurança da informação
4) Audiologista / Otorrinolaringologista
5) Médico especializado ultrassonografista
6) Matemático
7) Engenheiro de software
8) Analista de sistemas da computação
9) Fonoaudiólogo
10) Atuário / Analista de riscos

 

Piores profissões de 2016

Para descobrir quais são as carreiras em baixa no mercado de trabalho norte-americano, o site CarreerCast.com analisou cada um dos ambientes profissionais das 200 atividades, bem como o desgaste emocional e físico, a possibilidade de um aumento salarial, abertura de vagas e oportunidade para desempregados e também o estresse gerado no dia a dia de trabalho.

 

Repórter de jornal impresso ocupa o primeiro lugar do ranking, com um salário médio anual de US$ 37.200. Isso quer dizer que a profissão é a pior aposta para 2016, por conta, principalmente, do mercado de atuação cada vez mais restrito.

 

“O setor de mídia mudou drasticamente nos últimos anos, mas não de um jeito bom”, disse Ann Baldwin, em entrevista ao site. Ann trabalhava como jornalista em um canal de televisão, mas resolveu mudar de área e hoje atua como Relações Públicas. “Sinto como se tivesse pulado de um barco naufragando”, desabafa a RP.

 

A seguir, confira a lista completa das 10 piores carreiras para 2016:

1) Repórter de jornal impresso
2) Lenhador
3) Jornalista em rádio ou TV
4) DJ
5) Militar
6) Especialista em controle de pragas
7) Vendedor de produtos em varejo
8) Publicitário
9) Taxista
10) Bombeiro


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.