text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Diferença salarial entre homens e mulheres só deve desaparecer em 135 anos, diz pesquisa

      
<blockquote style=text-align: center;>Confira outras <strong><a href=https://noticias.universia.com.br/tag/notícias-sobre-carreira/ title=notícias sobre carreira>notícias sobre carreira</a></strong> e fique por dentro</blockquote><p>Apesar de a igualdade salarial entre homens e mulheres ser um tema em constante debate, a solução para o problema pode estar longe da nossa realidade. Segundo uma projeção realizada pela <strong><a href=https://www.nccwsl.org/ title=Associação Americana de Mulheres Universitárias target=_blank rel=nofollow>Associação Americana de Mulheres Universitárias</a>,</strong> a diferença salarial de gênero só deve desaparecer em 135 anos.</p><p>De acordo com o estudo <strong><a href=https://www.aauw.org/aauw_check/pdf_download/show_pdf.php?file=The-Simple-Truth title=A Simples Verdade Sobre a Desigualdade Salarial de Gêneros target=_blank rel=nofollow>A Simples Verdade Sobre a Desigualdade Salarial de Gêneros</a></strong>, em 2015, <strong>nos Estados Unidos mulheres que trabalhavam em tempo integral ganhavam 80% a menos do que os homens.</strong> Após uma melhora entre 1960 a 2000, o ritmo de melhorias desacelerou a partir de 2001. Se, por um lado, a diminuição da desigualdade se deu pelo aumento na escolaridade das mulheres, a salarial permanece.</p><p><strong> DESIGUALDADE SALARIAL NO BRASIL </strong></p><p>Segundo o relatório Education at a Glace 2015, desenvolvido pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) <strong><a href=https://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/11/24/1134051/brasil-paises-maior-diferenca-salarial-generos.html title=Brasil é um dos países com maior diferença salarial entre gêneros>a diferença entre os salários de homens e mulheres com mesmo nível acadêmico no Brasil é uma das maiores do mundo.</a></strong>  Aqui, as mulheres ganham 62% do que é pago aos homens.</p><p>Em uma pesquisa realizada pela rede Universia em 2015, <strong><a href=https://noticias.universia.com.br/atualidade/noticia/2015/03/11/1121379/mulheres-trabalho-72-homens-chances-crescer-mercado-aponta-pesquisa.html title=Mulheres no Trabalho: 72% dos homens têm mais chances de crescer no mercado, aponta pesquisa>72% dos participantes afirmou acreditar que homens têm mais chances de crescer no mercado,</a></strong> enquanto o índice de mulheres com oportunidade de crescimento profissional é de 28%.</p><p><span style=color: #333333;><strong>Leia também:</strong></span><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/10/08/1132158/levara-seculo-mulheres-alcancarem-homens-mercado-%20trabalho.html title=Levará mais de um século para as mulheres alcançarem os homens no mercado de trabalho>» <strong>Levará mais de um século para as mulheres alcançarem os homens no mercado de trabalho</strong></a><br/><a href=https://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/03/03/1120805/3-atitudes-mulher-conquistar-espaco-mercado-trabalho.html title=3 atitudes para a mulher conquistar seu espaço no mercado de trabalho>» <strong>3 atitudes para a mulher conquistar seu espaço no mercado de trabalho</strong></a></p>
Fonte: Shutterstock
Confira outras notícias sobre carreira e fique por dentro

Apesar de a igualdade salarial entre homens e mulheres ser um tema em constante debate, a solução para o problema pode estar longe da nossa realidade. Segundo uma projeção realizada pela Associação Americana de Mulheres Universitárias, a diferença salarial de gênero só deve desaparecer em 135 anos.

De acordo com o estudo A Simples Verdade Sobre a Desigualdade Salarial de Gêneros, em 2015, nos Estados Unidos mulheres que trabalhavam em tempo integral ganhavam 80% a menos do que os homens. Após uma melhora entre 1960 a 2000, o ritmo de melhorias desacelerou a partir de 2001. Se, por um lado, a diminuição da desigualdade se deu pelo aumento na escolaridade das mulheres, a salarial permanece.

DESIGUALDADE SALARIAL NO BRASIL

Segundo o relatório Education at a Glace 2015, desenvolvido pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) a diferença entre os salários de homens e mulheres com mesmo nível acadêmico no Brasil é uma das maiores do mundo.  Aqui, as mulheres ganham 62% do que é pago aos homens.

Em uma pesquisa realizada pela rede Universia em 2015, 72% dos participantes afirmou acreditar que homens têm mais chances de crescer no mercado, enquanto o índice de mulheres com oportunidade de crescimento profissional é de 28%.

Leia também:
» Levará mais de um século para as mulheres alcançarem os homens no mercado de trabalho
» 3 atitudes para a mulher conquistar seu espaço no mercado de trabalho


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.