text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Compreendendo growth hacking

      
Compreendendo growth hacking
Compreendendo growth hacking  |  Fonte: istock

Este é, em resumo, o conceito de growth hacking, que foi desenvolvido e cunhado em 2010 por um jovem empreendedor americano chamado Sean Ellis, que utilizou o método nas empresas em que trabalhou (Eventbrite, Dropbox, LogMeIn e Lookout), como consultor de marketing, antes de fundar a sua própria: GrowthHackers (ver https://growthhackers.com/ )

Vamos analisar mais detidamente os fundamentos filosóficos do growth hacking, para que num primeiro momento possamos apreender tudo o que ele implica e de que forma ele revoluciona o marketing, e após iremos estudar as possibilidades de aplicação do processo de growth hacking, como Sean Ellis prefere chamá-lo.

FUNDAMENTOS FILOSÓFICOS

Os fundamentos filosóficos do growth hacking encontram-se na tradição empírica inglesa, desenvolvida no contexto da Idade Moderna, principalmente através do filósofo Sir Francis Bacon. 

Apesar de parecerem distantes no tempo, se aprendemos o que Sir Francis Bacon trouxe de novo para o campo do pensamento, compreenderemos que o growth hacking não é nada além da aplicação didática dos conceitos do filósofo.

Bacon foi o principal promotor do método empírico na Europa moderna, ou seja, ele era a favor de organizarem e analisarem os dados da experiência para, a partir deles, se se extraírem axiomas, ou seja, juízos e verdades.

Isto é a base da ciência moderna. Diferentemente do método lógico-aristotélico, que partindo de premissas lógicas buscava enquadrar os dados da experiência dentro das mesmas, Bacon crias o método indutivo de investigação, que conferia à experimentação um lugar de destaque na investigação natural (Sobre Francis Bacon ver https://www.todamateria.com.br/francis-bacon/ ).

Podemos dizer, seguramente que Sir Francis Bacon é um dos pais da ciência moderna. E é na linha de Bacon, que o growth hacking de Sean Ellis se enquadra. 

GROWTH HACKING NAS PALAVRAS DE SEAN ELLIS

Segundo Sean Ellis, os experimentos com growth hacking de maiores taxas de sucesso, são aqueles nos quais uma equipe buscar entender os motivos que levaram certo experimento a dar certo, e buscam então aplicá-lo em um novo. 

As ideias de think tank e brainstorming também permeiam o growth hacking, na medida em que se espera que as ideias para os experimentos partam de uma equipe engajada no trabalho.

Como no growth hacking a experimentação constante é valorizada, naturalmente um grupo de pessoas dedicadas a isto é bem melhor do que deixar toda esta responsabilidade para um só.

EXEMPLOS DE SUCESSO

Citaremos alguns exemplos de ideias que partiram de experimentos de growth hacking, começando pela empresa onde trabalho o criador do conceito, Sean Ellis.

DROPBOX - Entre 2008 e 2010, a DropBox cresceu de 100.000 para 4.000.000 de usuários, fruto de uma ideia ousada de Sean Ellis. Para cada novo cliente indicado, o amigo que indicou ganhava 500 MB de armazenamento extra. E a partir da análise de comportamento dos usuários inferido deste comportamento, a DropBox fez outros experimentos bem sucedidos, e   hoje é uma das maiores empresas do ramo.

NETFLIX - A Netflix é um ótimo exemplo de empresa que, apesar da posição consolidada no mercado, não cessa de experimentar. Praticamente, todo mês a Netflix lança uma série ou filme que traz um novo conceito. Dependendo da reação dos usuários, eles irão continuar investindo naquele modelo ou não.

É importante lembrar que no Growth Hacking nem sempre os experimentos darão certo, mas é a partir dos erros e dos poucos acertos que se trabalhará ainda mais para o sucesso.  Identificando as falhas e investindo no que dá efetivamente certo.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.