text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Reduzindo a discriminação de gênero no mercado de trabalho

      
A discriminação de gênero no trabalho ainda é uma realidade no mundo.
A discriminação de gênero no trabalho ainda é uma realidade no mundo.  |  Fonte: iStock

De acordo com a Constituição brasileira, homens e mulheres são iguais perante a lei, mas, infelizmente, tal igualdade não é percebida quando analisamos as oportunidades oferecidas para as mulheres no mercado de trabalho. Até hoje, a discriminação de gênero no trabalho é uma realidade que tem recebido grande atenção das organizações como a Organização Internacional do Trabalho (OIT).


O que é a discriminação de gênero


A conceituação da discriminação de gênero, também conhecida como sexismo, corresponde a um fenômeno social que pode se manifestar através de inúmeras formas, sendo algumas explícitas e outras veladas. Evidenciada através do preconceito em relação a um gênero que julga ser inferior, ela é mais comum quando direcionada às mulheres, o que não significa que não possa existir direcionada aos homens.


Esta discriminação pode se manifestar em qualquer ambiente, mas são especialmente preocupantes quando vistas no ambiente de trabalho e doméstico. Não é difícil observar famílias onde a mulher é encarregada, sozinha, das tarefas do lar e do cuidado dos filhos. 


Esta realidade, infelizmente, contribui para a formação de crianças que acabam normatizando e reproduzindo a discriminação de gênero que viram, em casa, durante sua criação.


Como ela se manifesta no ambiente de trabalho


Quando observamos o mercado de trabalho, nos deparamos com dados alarmantes até hoje. Segundo a OIT:


  • A taxa de participação de mulheres no mercado de trabalho global, em 2018, foi de 48,5%, um valor 26,5% menor que o dos homens;

  • Na taxa de desemprego mundial, as mulheres correspondem a um percentual de 6%, o que significa 0,8% acima da taxa masculina. 

  • A cada 10 empregados homens, existem apenas 6 mulheres ocupando cargos formais no mercado. Lembrando que população mundial apresenta uma taxa média de 1,01 homem para 1 mulher, o que ainda é inferior ao observado no mercado de trabalho.


Quando observamos o cenário mundial, encontramos disparidades entre os países desenvolvidos e os emergentes. A distribuição é desigual, sendo que em estados árabes, a taxa de desemprego feminino pode superar a masculina em até duas vezes.


Outro problema comum no mercado marcado pela discriminação de gênero no trabalho é a redução das oportunidades de progressão na carreira para as mulheres. O IBGE, publicou uma pesquisa em 2018 que indicava a queda das mulheres em cargos de gestão dentro de um período de 4 anos. Em 2019, por sua vez, uma pesquisa da Folha já indicou uma leve melhora neste cenário, possivelmente graças à visibilidade que o tema tem recebido na mídia.


Como podemos ajudar


Quando pensamos em formas de reduzir a discriminação de gênero no trabalho devemos lembrar que ela é resultado de um fenômeno social que abrange outras esferas da nossa sociedade, portanto as políticas públicas podem e devem abranger a igualdade de gênero desde a educação até o mercado.


A conscientização deve começar por nós mesmos e podemos compartilhar algumas sugestões para tentar reduzir ainda mais esta realidade:


  • Invista em bons líderes para a sua empresa - Bons líderes não dependem do gênero, são pessoas que possuem boas ideias, conhecem o negócio, conseguem atuar como bons mentores e trazem bons resultados para a equipe. Ainda que na sua empresa existam homens ocupando posições de liderança, é importante que eles valorizem o trabalho das mulheres tal qual o fazem com o de seus empregados do sexo masculino.

  • Fomente uma cultura de inclusão - Existem inúmeras formas de criar uma cultura organizacional inclusive, onde há espaço para todos aqueles dedicados à empresa. Isto significa ver cada pessoa que trabalha na empresa como um ser humano, portanto é interessante adotar formas de flexibilização de jornada de trabalho, licenças maternidade e paternidade e de acompanhamento dos filhos em consultas médicas.


Se você está entrando no mercado de trabalho neste momento, é claro que ainda não está na posição de contribuir para grandes mudanças, porém é fundamental que você propague esta mentalidade igualitária. 


A discriminação de gênero no trabalho é ainda um dos grandes problemas a ser enfrentado pela nossa sociedade, mas está de tal forma enraizada que é necessária a conscientização de todos para caminharmos para uma realidade melhor no futuro.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.