text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

O que é empregabilidade e como melhorá-la?

      
Trabalhe os aspectos certos e melhore sua empregabilidade!
Trabalhe os aspectos certos e melhore sua empregabilidade!  |  Fonte: iStock

Empregabilidade: origens e conceito


Diz-se que a origem do termo empregabilidade data dos anos 50. No entanto, foi apenas na década de 90 que ocorreu sua difusão e consolidação no mercado de trabalho. 


A popularização do termo foi, aos poucos, crescendo. A medida em que as vagas de trabalho passaram a ser disputadas por mais empregados, a qualificação e as habilidades individuais se tornaram o diferencial que faz alguém ganhar ou perder a posição. A alta concorrência no mercado se tornou uma preocupação dos profissionais e das empresas.


Nesse contexto, a empregabilidade surge como um indicador das habilidades do profissional, que devem corresponder ao que o mercado está buscando. O que antes era visto como um diferencial no currículo, hoje é tido essencial, como é o caso do domínio da língua inglesa e dos conhecimentos básicos de informática.


Destrinchando a empregabilidade


Mas como podemos observar a empregabilidade na prática? É simples! Basta olhar para o profissional e avaliar a sua bagagem de conhecimento e emocional. 


Houve uma época em que era exigido apenas o conhecimento técnico exigido para o cargo a ser desempenhado, mas o mercado atual quer mais. É essencial a assimilação de atributos pessoais como experiência, capacidade de liderança, inteligência emocional, resolução de conflitos e outros.


Como o próprio nome diz, a empregabilidade está ligada a capacidade de uma pessoa de se manter empregada. Para tanto, é necessário reunir o necessário para se destacar, aprimorando seu perfil profissional para além do técnico.


Principais fatores da empregabilidade


Existem alguns fatores que contribuem para que alguém aumente a sua empregabilidade perante o mercado. São eles:


  • Grau de escolaridade


Ainda que existam diversas profissões em que não se exige um diploma de nível superior, as pesquisas indicam que aqueles que avançam na vida acadêmica recebem salários mais altos. 


Existem diversos países onde não há uma grande discrepância salarial entre aqueles que cursaram uma graduação e os que optaram pelo mercado de trabalho logo após a conclusão do ensino médio. Isso não ocorre no Brasil. 


De acordo com a OCDE, o brasileiro com diploma de graduação recebe, em média 140% a mais que o jovem que só concluiu o Ensino Médio. Os números são ainda maiores quando observamos quem tem pós-graduação, que chega a receber 350% a mais. Essa realidade torna claro que o nível de escolaridade ainda exerce enorme influência na empregabilidade e na valorização do perfil do profissional no Brasil.


  • Experiência profissional


Quem já atua no mercado de trabalho sabe: a formação acadêmica não traz a vivência do dia a dia de trabalho. Assim, um currículo que combina a técnica com a prática se destaca na frente dos demais. Essa é uma realidade que os jovens recém formados percebem sozinhos. 


Uma pesquisa do IBGE revelou que 58,8% dos jovens entrevistados atribuem não ter tido sucesso em uma entrevista de emprego a falta de experiência profissional na sua área de atuação.


  • Sede de conhecimento


Não é apenas o ensino formal que é valorizado. Os jovens que demonstram uma busca incessante pelo conhecimento também recebem maior destaque. 


A ideia de que os estudos acabam quando você recebe o diploma estão ultrapassadas. Com as constantes inovações tecnológicas e o surgimento de novas ferramentas a cada dia tornam vital que o indivíduo esteja constantemente atualizado com o que há de mais novo. 


Se a sua lista de habilidades parou de crescer quando você se formou na faculdade, você provavelmente está ultrapassado no que há de mais moderno na sua profissão.


  • Outras habilidades sociais


Por fim, podemos listar diversas habilidades sociais que vão ter um impacto variado a depender do cargo almejado:



A boa notícia é que todas essas habilidades são passíveis de serem desenvolvidas pelo profissional. 


E agora, como melhorar sua empregabilidade?


Não existe uma receita de bolo. Cada profissão pode ser mais ou menos sensível a determinados atributos. Em linhas gerais, você pode aumentar sua empregabilidade de diversas formas, tendo em mente os aspectos que mencionamos.


Vejamos:


  1. Dê seguimento os estudos. Essa opção pode encontrar limitadores de custo e tempo, mas você pode encontrar boas ofertas de cursos online hoje em dia e diversificar a sua qualificação.

  2. Entre no mercado de trabalho o quanto antes. Mesmo uma experiência profissional em uma loja no shopping vai ajudar o seu currículo. Você ganhará pontos de experiência, determinação e poderá demonstrar que tem um bom relacionamento com o público.

  3. Mantenha-se atualizado no que há de mais moderno. Busque saber em periódicos o que está acontecendo no mercado em que atua. Aprofunde o conhecimento com livros e participe de congressos.

  4. Invista no networking. Montar uma rede de contatos abre portas e te oferece referências das suas habilidades.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.