text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Mestrado EAD: guia para encontrar o curso perfeito para você!

      
mestrado ead
Um mestrado EAD apresenta vantagens e desvantagens que devem ser analisadas caso a caso.  |  Fonte: iStock

Atualmente, é possível realizar uma série de cursos online, seja de graduação, seja de pós-graduação lato sensu. No entanto, os cursos lato sensu (especializações e MBAs) costumam ter uma duração menor e se aprofundar menos nos temas estudados, enquanto os programas stricto sensu têm um enfoque maior na pesquisa e na inovação. Por isso, até pouco tempo atrás apenas a primeira categoria era permitida na modalidade de Educação a Distância (EAD) no Brasil.

 

Contudo, em 2019, o Ministério da Educação (MEC) aprovou a oferta de cursos EAD stricto sensu, ou seja, de programas de mestrado e até mesmo de doutorado a distância. Quer saber mais sobre o mestrado online no Brasil? Então continue acompanhando este artigo.

 

Requisitos para ingressar em uma pós no Brasil

 

Você precisará saber o que é cobrado dos candidatos aos cursos de pós-graduação pelas instituições de ensino, para, aí sim, recorrer ao financiamento. Vejamos os requisitos:

  • Língua inglesa

No Brasil, parte dos cursos de MBA e mestrado exigem dos seus alunos conhecimentos avançados de inglês. Uma das formas de comprovar que você, de fato, conhece o idioma é apresentar certificados como o teste TOEFL, que tem bastante aceitação pelas instituições de ensino.

  • Análise curricular

Outro aspecto que deve ser considerado antes da escolha de um curso é verificar se a sua experiência profissional é compatível com a graduação desejada.

 

O currículo dos candidatos é sempre um critério decisivo para os selecionadores, o que também pode ser comprovado por meio de publicações em periódicos científicos. Portanto, quanto mais afinada sua trajetória estiver ao curso de escolha, melhor. 

  • Elaboração de projeto

Uma exigência que também é comum para programas de mestrado ou MBA é a apresentação, antes mesmo da matrícula, de um projeto, que será o objeto de discussão do curso.

Ou seja, você deverá, primeiro, mostrar aos avaliadores que tipo de contribuição quer dar para a área de formação e, uma vez que eles entendam essa proposta como interessante, poderá se matricular para receber orientação.

  • Preparação para a entrevista

Há cursos em que o candidato é submetido a uma entrevista presencial, na qual precisa responder a uma bateria de perguntas para confirmar se realmente domina os conhecimentos básicos para ser aceito.

 

Também é uma forma de avaliar o real interesse do candidato no curso em questão, entre outros motivos definidos pelos avaliadores.

De qualquer forma, essa é uma etapa importante e decisiva. Tal como em uma entrevista de emprego, o ideal é procurar dominar o nervosismo e permanecer relaxado, mas atento.

Mestrado online no Brasil: uma boa ideia?

A medida que aprovou os programas de mestrado online no Brasil ganhou apoiadores e críticos. Com o mestrado a distância, muitos profissionais que já atuam no mercado e têm pouco tempo disponível, ou que não encontram cursos de pós-graduação stricto sensu na área desejada na cidade onde residem, passaram a ter acesso aos programas que gostariam de cursar.

 

Por outro lado, o estudo online dificulta o diálogo entre professores e alunos, além de prejudicar o debate entre diferentes alunos e diferentes áreas. Ademais, também é um empecilho para o acesso a determinados materiais, recursos, equipamentos e até mesmo experiências que seriam necessárias para uma boa formação do estudante. 

 

Na área de saúde, por exemplo, a modalidade à distância ainda é pouco aceita, por considerar-se que o contato com os pacientes e a vivência do cotidiano nesse campo são tão importantes.

 

Não é à toa, portanto, que existe uma série de restrições e pré-requisitos para a abertura de programas de mestrado online no Brasil, além de exigências específicas para alguns campos de estudo. 

 

A instituição de ensino superior que pretenda oferecer um curso EAD precisa ter uma avaliação mínima de 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) do MEC ou um programa presencial stricto sensu na mesma área do curso pretendido, com uma avaliação mínima de 4 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Para a área de saúde, especialmente programas de Medicina, as exigências serão ainda mais rígidas.

Quando o Brasil terá programas de mestrado online?

Em agosto de 2019, a Capes recebeu pela primeira vez propostas de cursos de mestrado a distância, enviados por instituições de ensino superior brasileiras. Do total de 652 novas propostas de cursos de mestrado, 17 (2%) foram de programas online.

 

Como a aprovação dos cursos de mestrado online no Brasil é recente, e os pré-requisitos para sua aprovação são muitos, a oferta de programas EAD e de vagas disponíveis no país deve caminhar a passos lentos nos primeiros anos.

 

Ainda que o campus virtual venha conquistando cada vez mais espaço no ensino brasileiro, os cursos de graduação e pós-graduação lato sensu devem permanecer os grandes protagonistas dessa tendência. Mesmo porque, ainda que o mestrado online ofereça mais flexibilidade e exija menos tempo do que o programa presencial, ele ainda demanda mais dedicação e aprofundamento do que os cursos de especialização.

Alguns mestrados profissionais já estão disponíveis

Ainda que o mestrado profissional também seja um curso stricto sensu, ele apresenta um foco maior na prática profissional, em detrimento da teoria. No Brasil, alguns mestrados profissionais são uma exceção à regra quando o assunto é a educação a distância de programas de pós-graduação stricto sensu.

 

Isso porque já estão disponíveis cursos de mestrado profissional a distância e semipresenciais, oferecidos para a formação de professores da rede pública brasileira, com bolsas de estudo. Trata-se dos programas de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (ProEB), criados a partir de uma parceria entre a CAPES e instituições associadas. Você pode conhecer melhor esse programa aqui.

 

Para saber mais sobre as diferenças entre pós-graduação stricto sensu, mestrado e doutorado, clique aqui!


O que são cursos semipresenciais? E EAD?


  • Ensino a distância

Nos cursos puramente EAD, ou de ensino a distância, a grande maioria das atividades do aluno é desenvolvida no ambiente virtual respectivo do seu curso, que também é chamado pela sigla AVA, ambiente virtual de aprendizagem. Essa é a interface que reúne os conteúdos relevantes para o estudante, material para disciplinas e avaliações, bem como canais para consultas e solicitações.

 

Sendo assim, nos cursos da modalidade EAD o contato pessoal entre estudantes e professores é reduzido e a maior parte dos atendimentos é realizado a distância. No entanto, os encontros presenciais (como avaliações e aulas específicas ou reuniões de orientação) em pólos locais das instituições continuam existindo, em maior ou menor escala –frequência trimestral ou semestral, por exemplo.

 

A modalidade EAD requer bastante disciplina por parte do aluno, visto que as idas aos pólos são menores e a programação e organização ficam por conta do estudante.

  • Semipresencial 

Cursos do tipo semipresencial podem ser divididos em duas categorias: aqueles que têm origem em cursos presenciais e os de origem em cursos a distância.

 

A primeira categoria abarca cursos presenciais que possuem uma porcentagem das suas atividades realizadas em ambiente virtual. São recomendados se você procura realizar um curso presencial com mais flexibilidade em algumas disciplinas.

 

Já o segundo tipo engloba cursos a distância que incluem maior frequência de encontros presenciais do que nos EAD. Também ocorrem, nesta modalidade, aulas transmitidas ao vivo e outras formas de interações aluno-professor. A ideia é de ter a dinâmica do EAD aliada às conveniências do contato pessoal com docentes e colegas.


Semelhanças entre o curso EAD e semipresencial


Também existem semelhanças entre as ofertas de cursos EAD e semipresenciais. Em ambos, a tecnologia de comunicação é amplamente empregada, garantindo a diminuição de barreiras geográficas, espaciais e até mesmo econômicas (por oferecem opções financeiramente mais acessíveis).

 

Em qualquer caso, procure sempre ter a garantia de que a instituição tem seus cursos todos reconhecidos pelo Ministério da Educação – seria um problemão ganhar um diploma sem valor, correto?


Pós-graduação a distância: vale a pena esse investimento?


Fazer uma pós-graduação é ótimo para o seu currículo: além de aumentar as chances de contratação, estudos apontam que profissionais com mestrado ou doutorado ganham em média 137% a mais do que aqueles que têm apenas graduação. 


No entanto, esses cursos exigem um grande investimento de tempo e dinheiro, tornando-se inacessíveis para uma boa parcela da população. Mais flexível e barata, a pós-graduação a distância tem surgido como uma solução a esse problema.

Como funciona uma pós-graduação a distância?

Nem todos os cursos que utilizam recursos multimídia ou oferecem algumas aulas não presenciais podem ser considerados cursos de Ensino a Distância.

 

De acordo com a definição do Ministério da Educação (MEC), a educação superior a distância é “a modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos.”

 

Ou seja: educação a distância é a modalidade em que professores e alunos não compartilham do mesmo espaço físico, mas realizam o processo de ensino e aprendizagem juntos, com a ajuda de internet ou de outros recursos como videoaulas e fóruns de discussão.

 

Cursos de todas as modalidades, da graduação ao doutorado, podem ser oferecidos na modalidade a distância. Desde que sejam aprovados pelo MEC e cumpram os requisitos obrigatórios determinados pelo órgão, os cursos não presenciais contam oficialmente a mesma validade que os cursos presenciais.

 

Quais são as vantagens de fazer um curso a distância?


Fazer um curso a distância traz uma série de vantagens: flexibilidade de horários, preços acessíveis, autonomia e independência no aprendizado, desenvoltura com tecnologias, entre outras. Falaremos aqui um pouco mais sobre cada uma delas.

  • Flexibilidade

A primeira grande vantagem de um curso EaD é a flexibilidade: de horários, de cronograma e de local de estudos.

 

No ensino a distância, você decide em qual momento assistirá às aulas e quando fará seus exercícios. Os prazos existem, mas como você lidará com eles é uma decisão totalmente sua. Por isso, essa modalidade é a ideal para quem precisa conciliar a pós-graduação com um trabalho ou com obrigações familiares.

 

Além disso, o EaD também é interessante para pessoas que preferem, ou precisam, estudar em horários não tradicionais, como madrugadas, feriados e fins de semana.

 

Quem opta por uma pós-graduação a distância também tem total liberdade para escolher os dias em que se dedicará aos estudos. Quem prefere diluir o conteúdo pode assistir a uma aula por dia e separar alguns exercícios por semana. Já aqueles que preferem dedicação intensa podem resolver todas as tarefas da semana em um único dia.

 

A flexibilidade também diz respeito ao local de estudo. Na pós-graduação a distância, desde que você tenha um computador ou tablet com acesso à internet, qualquer local pode se tornar a sua universidade. Isso significa que você pode aprender em casa, na biblioteca, no parque, no café, ou seja, no lugar mais confortável para você, sem precisar perder tempo no trânsito nem dinheiro com o transporte.

  • Preço da mensalidade

Espaços físicos demandam muito dinheiro. Afinal, há contas de água, luz, internet, manutenção, limpeza, compra ou aluguel de espaço, entre outros. Em cursos a distância, esse problema não existe, já que todas as interações acontecem pela internet.

 

Além disso, em cursos a distância, as turmas podem ser muito maiores do que em cursos tradicionais. Ao contrário de salas físicas, turmas na internet podem ser ilimitadas. Isso faz com que os custos do curso (pagamento de professores e produção de materiais didáticos) sejam pulverizados entre muito mais pessoas, tornando-se bem mais acessíveis.

 

Por isso, as mensalidades de um curso EaD podem ser até 75% mais baratas que as mensalidades de um curso tradicional. 

  • Desenvolvimento de Habilidades

Além disso, cursos a distância desenvolvem uma série de habilidades no aluno. A primeira delas é a disciplina: nessa modalidade, o jovem está no comando e precisará ser extremamente responsável para chegar à conclusão do curso. Essa característica é muito valorizada no mercado de trabalho.

 

Outra habilidade desenvolvida pelos alunos de EaD é a proatividade. Embora professores e tutores sejam muito importantes no curso a distância, o aluno precisará ser capaz de tomar decisões sozinho.

 

Uma terceira habilidade importante é a familiaridade com a tecnologia. Ao oferecer plataformas intuitivas, os cursos de ensino a distância ajudam os alunos a acostumarem-se com tecnologias mais avançadas.

E quais as desvantagens de um curso a distância?

  • Menos oportunidade de Networking

Uma das principais vantagens da pós-graduação tradicional é o ambiente universitário. Nele, alunos têm acesso a uma série de eventos, como mesas de debate, palestras e seminários. Esses eventos são muito importantes para a construção de uma rede profissional de relacionamentos, também conhecida como networking.

 

Além disso, em cursos tradicionais, é mais fácil a integração com os colegas e a aproximação com professores. Isso acontece exatamente porque todos ocupam o mesmo espaço físico e encontram-se diariamente em corredores, bibliotecas e cafés da universidade.

 

Por último, o ambiente universitário tradicional proporciona ainda uma experiência multicultural, com estudantes de todas as partes do país e do mundo. Ele também estimula a interdisciplinaridade, já que os alunos, de modo geral, podem assistir a aulas ou eventos de outros cursos. Na modalidade EaD, isso é muito raro.

  • Menos prestígio no mercado de trabalho

Cursos a distância podem ser, e muitos realmente são, tão bons quanto cursos tradicionais, mas muitas vezes o mercado de trabalho não enxerga dessa forma. Atualmente, esse cenário já está mudando. 

 

De acordo com um estudo realizado pela Sagah, 51% do mercado de trabalho em 2023 será composto por alunos que se graduaram a partir de cursos EaD. Mesmo assim, ainda é possível que, em uma eventual disputa por um cargo, você seja preterido em relação a algum candidato que tenha uma pós-graduação tradicional.

  • Difícil Adaptação

Por último, um dos maiores problemas de fazer uma pós-graduação a distância é a adaptação a esse método de ensino tão flexível e independente. Embora ele seja ideal para pessoas com essas características, muitos estudantes acabam não conseguindo lidar com tanta liberdade e abandonam o curso gradualmente.

 

A Educação a Distância tem crescido muito no Brasil nos últimos anos, e com a pós-graduação não é diferente. Ela oferece muitas vantagens, como maior flexibilidade, menores custos e desenvolvimento de uma série de habilidades. No entanto, alguns contras também precisam ser levados em consideração: cursos a distância dificultam o networking, ainda sofrem preconceito no mercado de trabalho e não são adequados a todos os perfis de estudantes.
 

O que estar atento ao escolher o seu

Se você está em busca de um curso EAD, é interessante estar atento a alguns aspectos antes de fazer sua escolha. 

  • Verificar se o curso requer alguma atividade presencial, como prova ou aulas 

Caso haja essa necessidade, você deve ponderar se conseguirá comparecer ou não. Nesse caso, não escolha um curso muito distante de onde mora.

  • Cursos de instituições estrangeiras

É ideal ter o domínio do idioma utilizado no curso, já que você precisará enviar trabalhos e fazer avaliações, que não costumam ser traduzidas. Ainda que as aulas tenham legendas, isso não significa que o curso vá aceitar trabalhos em idioma diverso daquele no qual é dado.

  • Esteja atento não apenas a carga horária, mas ao prazo para cumprir todas as atividades

Geralmente, os cursos EAD dispõe de aulas gravadas que podem ser assistidas no momento que for melhor para o aluno. Porém, os cursos sempre estabelecem um prazo máximo para sua conclusão e entrega de todas as atividades. Portanto, ao iniciar um curso, você deve ter claro esse prazo final ou correrá o risco de perder todo o seu progresso e ter seu acesso bloqueado antes da conclusão dos estudos.

  • Emissão de certificado ou diploma

Existem sites que oferecem cursos sob duas modalidades: cursos gratuitos, onde você terá acesso ao conteúdo como “ouvinte”, e cursos pagos, onde há emissão de certificado para aqueles alunos que cumprirem todas as avaliações e obtiverem a nota mínima para aprovação. Se você precisa do diploma ou certificado, é bom ficar de olho para ver se o curso que você está interessado tem essa possibilidade, ainda que paga.

  • Avalie o material didático

Não esqueça que, no EAD, a obrigatoriedade de estar todos os dias sentado em uma sala de aula é substituída pela dinâmica de adequação do conteúdo ao ritmo de produção e estudo do aluno. Nesse cenário, é fundamental que o conteúdo oferecido pela IES seja de qualidade. Os ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) também devem ser alvos de rigorosa avaliação pelo candidato ao EAD. São essas plataformas que vão gerenciar o dia a dia do aluno na jornada pelo diploma. O que se espera é que esses ambientes sejam funcionais e sirvam como incentivo ao estudo. 

  • Carga horária

Um curso superior EaD sério deverá sempre respeitar os valores de carga horária mínima e máxima para integralização do curso definidos pelo MEC. Esse é um dos fatores que garante o credenciamento do curso e a não-distinção quanto ao tipo de modalidade escolhida na emissão do diploma. A legislação sobre o tema está disponível neste link

  • Professores qualificados

Essa é uma regra na escolha de qualquer curso, seja presencial ou a distância: quanto mais qualificados forem os seus professores e coordenadores, mais qualificada será a educação à qual você terá acesso. 

Você pode conferir essa informação por conta própria fazendo uma pesquisa preliminar sobre eles. Consulte o currículo e a experiência profissional de cada um. Veja em quais instituições de ensino superior eles se formaram, descubra se possuem mestrado, doutorado, especializações e PhD. 

Procure o currículo lattes, cheque publicações em revistas científicas, participações em congressos e eventos científicos, entre outros detalhes. Você também pode (e deve) conversar com ex-alunos desses professores para informar-se sobre o nível das aulas e de didatismo e dinamismo de cada um.

  • Adequação à legislação mais atual

A legislação da Educação a Distância no Brasil evoluiu bastante nos últimos anos e continua evoluindo. Por isso, na hora de escolher uma faculdade à distância, é importante que você esteja sempre atualizado e atento às mudanças. Procure garantir que o seu curso respeite todas as exigências e esteja dentro dos requisitos mínimos estipulados pelo MEC para o funcionamento.

As dificuldades da EaD

Embora a maior parte dos alunos, cerca de 83%, que ingressaram em cursos de graduação no ano de 2018 tenham entrado em instituições de ensino privadas, as instituições públicas continuam sendo as mais disputadas no país, com algumas delas figurando entre as melhores universidades do mundo. Nestes espaços acadêmicos, os cursos a distância ainda não ganharam tanto espaço quanto nas instituições particulares.

 

Se em 2017 observou-se um crescimento de 11,3% no número de ingressantes na rede pública, já em 2018, registrou-se uma queda de 1,5%. O motivo? A redução, na rede federal, de 34.763 (55,8%) vagas oferecidas em cursos a distância.

 

Algumas instituições de ensino e até mesmo empresas ainda têm dificuldades para aceitar a validade da educação a distância? Sim, e alguns dos motivos incluem a formação dos docentes (há menos doutores entre os docentes da EaD), o desempenho inferior dos cursos EaD no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e a menor interação entre alunos e professores e alunos entre si, além da desconfiança pela falta de formação prática dos estudantes.

 

Contudo, com o crescimento constante do número de ingressantes e, especialmente, de concluintes em programas de graduação na modalidade de educação a distância, é possível que, em breve, vejamos uma mudança nesse cenário.

 

Já ouviu falar em pós graduação gratuita?

 

Segundo artigo do acadêmico de Letras da Universidade Católica de Petrópolis Alan Ricardo Costa, a Educação a Distância possui um viés social inegável pois permite uma maior democratização do ensino superior.

 

Por outro lado, apesar das vantagens desta oferta extraordinária de formação de nível superior no mercado, fruto também da democratização digital, devemos estar atentos à qualidade dos cursos. 

 

O governo brasileiro em 2005, se antecipando a estas problemáticas lançou um portal chamado Universidade Aberta do Brasil, onde são listados todos os cursos superiores (graduação e pós) oferecidos por várias universidades do país nos diversos estados da federação. 

 

Para aqueles que desejam cursar a pós graduação em uma universidade particular, existe a possibilidade do crédito universitário. Não é exatamente estudar de graça, mas o estudante só fica responsável em pagar o banco depois que já estiver trabalhando. O Banco Santander possui um programa que fornece este tipo de serviço, onde o aluno que for correntista, caso já tenha sido aprovado em uma pós, pode solicitar o crédito preenchendo um simples formulário e passando por uma análise de crédito. 

 

Mais uma vez, que fique claro, a modalidade de pós graduação gratuita já existia bem antes nas universidades públicas do país. E os alunos mais bem classificados no processo seletivo ainda poderiam ser agraciados com bolsas de mestrado e doutorado no valor de 1.400 reais, para auxiliar nos estudos. 

 

O que mudou dos anos 2000 para cá foi a facilidade de acesso para alunos de regiões mais distantes e também o aumento da oferta dos cursos em si, devido também a criação de novas universidades federais e campi universitários. 

 

Mas além disso, muitas universidades com campi físicos, passaram também a oferecer cursos gratuitos na modalidade virtual, como é o caso da UNIFESP ( Universidade Federal do Estado de São Paulo) que possui alguns cursos de pós graduação gratuita na modalidade EAD voltados para a gestão pública. 

 

Em suma, a melhor maneira de escolher uma pós graduação gratuita é acessando o portal do governo Universidade Aberta do Brasil, e a partir dali escolher o curso que melhor se enquadra nas suas necessidades profissionais e acadêmicas. Lembrando que caso se queira estudar em uma instituição privada, existe a possibilidade do crédito universitário junto ao Banco Santander, que possui um dos menores juros do mercado.

 

Como conseguir financiamento para pós-graduação?

 

Os programas de financiamento estudantil para o nível superior já são bastante divulgados. O que nem todos conhecem são as possibilidades de financiamento para pós-graduação. É a chance de subir na carreira para quem busca especialização, mas não conta com recursos para custear as altas mensalidades dos cursos nesse nível.

1. PROUNI

Quem já tem uma graduação e sonha em fazer uma pós teve uma boa notícia em 2017. Foi aprovado projeto parlamentar que tem como objetivo de estender O Programa Universidade para Todos (Prouni), do governo federal, para estudantes de pós-graduação. 

2. PRAVALER

Nos moldes de uma instituição financeira, o Pravaler abrange modalidades de financiamento para pós-graduação, MBA e mestrado. Os períodos se dividem da seguinte forma:

 

  • cursos de 12 meses — até 27 meses de prazo para financiamento;

  • cursos de 18 meses — limite de até 46 meses para financiamento.

 

A vantagem é poder pagar em prazos maiores as parcelas dos cursos, conforme a duração atribuída, dando ao estudante mais chances de financiar sem se apertar.

 

Por outro lado, as taxas de juros são relativamente altas. Sendo assim, o ideal é que você faça as contas e avalie criteriosamente se realmente vai valer a pena o investimento.

 

Faça uma simulação no site do programa para confirmar qual seria a melhor alternativa.

3. EDUCA MAIS BRASIL

Outro caminho possível para quem busca formas de financiar um curso de pós-graduação é o programa Educa Mais Brasil.

 

No portal, o candidato ou candidata poderá fazer uma busca, selecionando a modalidade que pretende cursar (presencial ou EAD), a cidade em que deverá estudar e, claro, o curso a ser feito.

 

De acordo com o site, são oferecidas bolsas de até 70%, o que torna o Educa Mais Brasil uma das alternativas mais atraentes para quem quer continuar os estudos e tem pouca grana.

4. BANCO SANTANDER

Entre as instituições bancárias no Brasil, o Santander é uma das que concedem crédito para financiar um curso de pós-graduação.

 

Chamada de Financiamento Pós-Graduação, essa é uma linha especialmente pensada para estudantes de cursos de mestrado, MBA e pós-graduação em instituições de ensino reconhecidas pelo MEC.

 

Os pagamentos podem ser feitos em até 60 meses, com taxa de 1,99% a.m., e a contratação está sujeita a análise de crédito pelo banco. Uma vez aprovado, o valor total do curso poderá ser coberto, com possibilidade de pagamento com débito em conta.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.