text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Posto Ecológico da UnB ganha certificação da Petrobrás

      
O Posto Ecológico da Universidade de Brasília (UnB) está com uma movimentação incomum entre os dias 20 e 23 de agosto. São pessoas andando pelo posto com tubos na mão, jalecos e óculos de proteção.

Muitas vezes, eles estão agachados próximo aos tanques de combustível do posto, ou então testando o álcool, a gasolina e o óleo diesel comercializados no local. Esses estranhos passantes são técnicos de qualidade da Petrobrás de toda a região Centro-Oeste, reunidos em Brasília para treinamento.

Segundo Ricardo Gonzalez, engenheiro mecânico formado na Universidade de Brasília e Coordenador do Programa de Olho no Combustível na região Centro-Oeste e Norte da Petrobrás, o Posto Ecológico da UnB serve como uma escola para o treinamento porque segue estritamente as normas que levaram à certificação pelo programa De Olho no Combustível, criado em 1996 para garantir a qualidade dos combustíveis comercializados em postos com a bandeira Petrobrás.

O dono do posto precisa cumprir uma série de exigências e ter um sistema de qualidade implantado para conseguir a certificação. A partir daí, a distribuidora faz visitas mensais, de surpresa, para verificar se os procedimentos necessários são cumpridos. "Quem garante a qualidade é o próprio posto já no recebimento do caminhão. Nós só emitimos a certificação quando verificamos tudo isso", explica Ricardo.

Controle rígido - Para reconhecer um posto que possua o certificado, basta procurar um cartaz pendurado no teto (veja acima).

De acordo com o coordenador do programa no Centro-Oeste e Norte, o diesel e a gasolina, por exemplo, são produtos perecíveis e precisam de rígido controle para não sofrer adulterações naturais que danifiquem os motores. Essa verificação impede ainda que o posto receba combustíveis adulterados.

"Para garantir uma longa vida útil para qualquer automóvel, o dono precisa estar atento a três itens: revisões periódicas, troca de lubrificantes no prazo determinado pelo fabricante do veículo e qualidade do combustível", afirma Ricardo.

O coordenador acrescenta ainda que, de acordo com a portaria ANP 248/00, qualquer consumidor tem o direito de pedir o teste do combustível na hora do abastecimento. "Pouca gente sabe disso, mas os postos não podem se recusar", ensina.

Para recolher o combustível de dentro dos tanques do posto os técnicos utilizam uma bomba de sucção portátil. O equipamento permite que se retire o que está mais no fundo do tanque e a verificação se há água, sujeira ou ferrugem acumuladas.

"A certificação também é benéfica para o posto porque, em caso de alguém entrar na justiça questionando a qualidade do combustível, o posto recebe todo o respaldo jurídico da Petrobrás, que garante a qualidade. Mas, para isso, o posto precisa fazer parte do De Olho no Combustível", afirma Ricardo.

Fonte: UnB
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.