text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Grupo da Unesp/São Paulo apresenta O despertar da primavera

      
Durante todas as sextas-feiras entre os dias 14 de outubro e 25 de novembro na oficina cultural Oswald de Andrade, o Grupo Bilontra de Teatro Experimental, formado por alunos do curso de Educação Artística do Instituto de Artes da Unesp, campus de São Paulo, apresentou a peça: O despertar da Primavera de Frank Wedekind

Além da apresentação da peça, prêmio de sonoplastia no Festival de Teatro Estudantil em Caraguatatuba, SP em outubro desse ano, o grupo realizou também, como parte de um projeto, que teve o apoio do programa de bolsa: VAI valorização de iniciativas culturais, concedido pela prefeitura, algumas oficinas com os alunos da rede pública de ensino sobre o tema expressionismo (movimento artístico do qual a peça foi predecessor). As oficinas aconteceram a partir de um interesse comum e um desdobramento natural do nosso curso, como um trabalho de formação de público, diz Valéria Cirilo, uma das integrantes do grupo.

Houve jogos teatrais, leituras de imagens e análise de filme, tudo para deixar os alunos mais familiarizados com a estética desse estilo, conta Thais Frois, também integrante do grupo. A proposta, também, é refletir sobre a situação dos adolescentes, uma vez a peça aborda questões como gravidez, escola, pais e outros temas adolescentes, completa Valéria.

As oficinas ocorreram nas escolas Getúlio Vargas e Carlos de Campos e, segundo o grupo, o contato foi complicado. Essas foram as escolas que mais se mostraram receptivas, nos conta Carlos Fernandes jr., terceiro integrante do grupo, Renato Rea e Carolina Bonfim completam a formação.

Questionado sobre uma possível falta de interesse das escolas o grupo creditou ao transtorno e problemas de final de ano e a complicação que é organizar uma oficina com poucos meses de antecedência. Apesar desses contratempos o grupo não desanima: A arte educação esteve nos planos do grupo desde o inicio, afirma Carlos.

Para finalizar, o grupo agradece à oficina cultural Oswald de Andrade, que sempre se mostrou prestativa como diz Carlos; à secretaria municipal de cultura e ao professor Alexandre Mate, cujas aulas serviram como embrião para o projeto.

Fonte: Unesp/IA/São Paulo

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.