text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Boa música o ano todo

      
Eduardo Tristão Girão

A música erudita está em alta em Minas Gerais. A proximidade dos festivais de inverno que são realizados no interior, somada às programações regulares de entidades espalhadas por diversas cidades do estado, chama a atenção para o grande volume de iniciativas envolvendo orquestras, coros e escolas. Muitos projetos se transformaram em referências nacionais e atrãm gente de todo o país e até do exterior. Cidades como Prados, Juiz de Fora, São Brás do Suaçuí, Ouro Preto, Ouro Branco, Mariana e São João del-Rei oferecem, além de apresentações, oficinas, palestras e convidados estrangeiros, em eventos que contemplam principalmente música colonial, sacra e antiga.

Criada em 2000 como um projeto acadêmico, a Orquestra Experimental da Universidade Federal de Ouro Preto é um dos destaques da cidade, localizada na região central do estado. "Um dos nossos objetivos é a divulgação da música da escola de compositores mineiros dos séculos 18 e 19. Também nos dedicamos a difundir repertórios mais raros, muitas vezes inéditos, de compositores contemporâneos ligados à nossa orquestra, como Rufo Herrera, Chiquinho de Assis, Ian Guest e Ernani Aguiar. Daí a denominação experimental", diz Ronaldo Toffolo, coordenador da orquestra.

Este ano, a orquestra iniciou uma série concertos em formatos camerísticos na sala de concertos do Grêmio Literário Tristão de Ataíde, em Ouro Preto. Além dos músicos do grupo, participam nomes da música erudita vindos da capital mineira, Rio de Janeiro e São Paulo. Nessa sexta-feira, a comemoração dos 250 anos de nascimento do compositor austríaco Mozart servirá de tema para apresentação da orquestra em Belo Horizonte, na Fundação de Educação Artística. Concerto para oboé e Thamos - Rei do Egito são os destaques do repertório, que também será interpretado no sábado, em Ouro Preto, na Igreja Nossa Senhora do Carmo. O grupo, composto por 18 músicos de cordas, será regido pelo mãstro Sílvio Barbato, regente titular da Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e contará com a participação especial de Alexandre Barros (oboé) e de José Gallisa (baixo).

Os músicos da orquestra também estão percorrendo 13 distritos de Ouro Preto, com duas formações distintas, tocando gratuitamente peças eruditas e populares em praças e igrejas. Até o final do ano, cada cidade terá sido contemplada com dois concertos.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.