text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Reitor e gestores da Unicap visitam Suape

      

Uma comitiva formada pelo Reitor, Padre Pedro Rubens, pelos Pró-reitores Miguel Martins (Comunitário), Junot Matos (Acadêmico) e Luciano Pinheiro (Administrativo), diretores de centro, coordenadores de cursos e gestores da Universidade Católica de Pernambuco visitaram, quarta-feira (02) o Complexo Industrial Portuário de Suape. A visita foi intermediada pelo Reitor e pelo coordenador Geral de Estágio, professor Hélio Lima.

A comitiva foi recebida no Centro Administrativo pelo diretor da Suape Global, empresa que gerencia o complexo, Sílvio Leimig. O contato inicial para organizar o encontro foi articulado em agosto deste ano, durante o Café com Energia, evento realizado pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Na ocasião, o Reitor teve a oportunidade de conhecer Sílvio Leimig.

Segundo Sílvio Leimig, o objetivo do complexo é transformar Pernambuco em provedor de bens e serviços para o mundo. "Nossa visão não é apenas o Brasil, mas o mundo", disse. O diretor da Suape Global falou, ainda, sobre as constantes revisões que são feitas no Plano Diretor do porto, realizadas em parceria com o porto de Roterdam, na Holanda, para trazer melhorias ao projeto.

Outra preocupação da direção do porto é a de formar profissionais pernambucanos capazes de assumir os postos de trabalho que estão sendo criados. "Nós não queremos apenas que o porto esteja em Pernambuco, queremos os pernambucanos fazendo parte desse projeto", disse.

Em seguida, o Reitor e os demais integrantes da Unicap acompanharam a apresentação de um vídeo institucional mostrando a infrãstrutura portuária, dados técnicos a respeito da quantidade de investimentos, o número de empresas que compõem o complexo portuário e industrial e a capacidade que o porto ainda tem de absorver investimentos.

Depoimentos

A preocupação com a falta de mão de obra qualificada em Pernambuco também é compartilhada pelo coordenador Geral de Estágio, professor Hélio Lima. Ele aponta a capacitação como a alternativa para que não seja preciso buscar trabalhadores em outros estados. Para o professor, a visita serviu para que a Católica identificasse a demanda de Suape e analisasse como pode contribuir.

"O Porto de Suape é o maior investimento do Governo Federal em nosso estado. A Universidade Católica de Pernambuco estando situada no mesmo estado que Suape e os investimentos estando direcionados para esse local, nada mais natural que a Católica procure conhecer como está se desenvolvendo o trabalho e como pode participar desse processo", disse o professor.

Para o diretor do Centro de Ciências e Tecnologia (CCT), professor José Orlando, a Unicap pode firmar parcerias com Suape principalmente nas áreas de meio ambiente, através do curso de Engenharia Ambiental, e em temas relacionados a petróleo e gás, por intermédio do curso de Engenharia Química. O professor destacou, ainda, a colaboração que pode ser dada pelo curso de Engenharia Civil através das pesquisas que são desenvolvidas.

Para a professora de Engenharia Ambiental Leoni Asfora, o curso pode fazer convênios com empresas instaladas em Suape e oferecer serviços de capacitação e qualificação para os funcionários.

O Reitor, Padre Pedro Rubens, destacou a dinamicidade do projeto de Suape e a necessidade de acompanhar de perto o processo evolutivo do local. Ele destacou, ainda, a possibilidade de interação entre a Universidade e Suape nas áreas de sustentabilidade social e ambiental. Para Padre Pedro, o primeiro contato serviu como o início da formação de uma agenda em comum entre Suape e a Unicap.

Porto de Suape

Com mais de 30 anos desde a sua criação, o Porto de Suape foi construído para substituir o Porto do Recife. Localizado 40km ao sul da capital pernambucana, entre os municípios do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, o porto possui uma posição privilegiada em relação aos demais portos da região Nordeste.

Ao contrário do que muitos pensam, a palavra Suape não é nenhuma sigla institucional terminada com a palavra Pernambuco. De origem indígena, o nome fala sobre os ?caminhos sinuosos? que os rios da região fazem. Hoje, os caminhos sinuosos vistos são os que os caminhões que operam no porto trafegam. Por conta do grande número de empresas que estão se instalando, a estrutura de acesso e logística, que já conta com mais de 40km de rodovias e 30km de ferrovias, está sendo ampliada.

Segundo matéria publicada pela versão online da revista Exame, o porto de Suape é o maior polo de investimentos no país. Até 2010, os 23 projetos que estão em curso absorverão 6,2 bilhões de dólares. São eles: a Refinaria Abreu e Lima, construída em parceria pela Petrobras e a empresa estatal Petróleos de Venezuela (PDVISA), o complexo Petroquímico, o Estaleiro Atlântico Sul e o moinho da Bunge, o maior da América Latina.

Outro atrativo do porto são os incentivos fiscais oferecidos nas esferas federal, estadual e municipal. Até 2010 o número de trabalhadores deve chegar a 18 mil. No último mês, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, anunciou a criação de mais um estaleiro, sendo este último capaz de construir plataformas de petróleo.

No ano passado, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) apontou o Porto de Suape como o terceiro melhor porto do Brasil, sendo o primeiro quando avaliados apenas os públicos.

Sustentabilidade Ambiental

Uma preocupação do grupo Suape Global é a criação de reservas ambientais. De acordo com o Plano Piloto, 45% dos 13.500 hectares que compõem o Complexo Industrial Portuário de Suape não podem ser retirados. Além dessas reservas, o Porto mantém estufas onde são produzidas mudas da vegetação de mangue e enviadas para áreas danificas.

Fonte: Unicap

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.