text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

UNICAP: Curso de Jogos Digitais promove palestra sobre Produção de Games Internacionais

      

A Universidade Católica de Pernambuco, em parceria com o International Game Developers Association (Igda-Recife), promoveu, na noite desta segunda-feira (21), a segunda palestra do ano de 2009 dentro da programação do novo curso Superior Tecnológico de Jogos Digitais, que começa em 2010.1. Intitulada Produção de Games Internacionais, a palestra foi ministrada por Scylla Costa, da BioWare, em Edmonton, no Canadá, e contou com a presença também de Artur Mittelbach, coordenador do Igda. A primeira palestra da graduação, que aconteceu em novembro, abordou o tema Criação de Jogos Digitais e foi apresentada pelo diretor de Criação da Meantime, Diego Credidio.

Na ocasião, o coordenador do curso de Jogos Digitais, professor Breno Carvalho, enfatizou a repercussão positiva obtida pela nova graduação, revelando ter sido um dos cursos mais concorridos do vestibular da Unicap. "Fiquei sabendo que alguns candidatos choraram porque queriam que formássemos uma segunda turma", disse brincando. Para o professor, a relevância da palestra consistiu em receber informações sobre a produção e a sistemática operacional de game internacional. "Precisamos entender que no mercado internacional existem erros e soluções para cada problema, bem semelhante ao que acontece aqui no Recife. E ouvir do Scylla Costa foi muito bom. Sem muita formalidade e bem humorada, a palestra tirou dúvidas e mostrou que estamos no caminho certo", frisou.

Breno Carvalho espera, com o novo curso tecnológico, desenvolver mais discussões e parcerias, como essas duas palestras. "Desta forma, formar profissionais com qualidade e uma visão ampla do mercado de games para agregarmos, ainda mais valor, aos profissionais e ao nosso mercado de entretenimento e negócio digital", completou.

De acordo com Artur, o Igda seria uma associação sem fins lucrativos que tem por objetivo aprimorar e melhorar as vidas dos desenvolvedores de jogos ao promover o contato entre eles e visar, também, ao desenvolvimento profissional. "A associação encoraja as comunidades locais de desenvolvedores de jogos no intuito de fazer pensar global e agir local e, assim, fazer sempre novos negócios", comentou.

A palestra focou nas experiências vividas por Scylla Costa em empresas de tecnologia a partir de sua graduação, em 1994, na Universidade Federal de Pernambuco. E, desta forma, tirar a curiosidade das pessoas de como produzir um game e explicar o diferencial das empresas do Recife com relação às multinacionais. "Acredito que, para ser produzido, um projeto precisa levar em consideração pontos como o escopo, o custo, o tempo, a qualidade e a diversão. Com relação à diversão, esse ponto é complicado, porque medir o quão bom um jogo está é muito subjetivo", revelou. E prosseguiu: "Outra coisa, para a produção de um game, as pessoas são essenciais e, na minha concepção, não devem ser consideradas como meros recursos".

Nascido no Rio de Janeiro, o palestrante, que trabalhou na Digital Chocolate - empresa atuante principalmente no desenvolvimento de jogos para celulares - comentou que o processo de entrevista na BioWare foi bastante complicado, tendo sido entrevistado por telefone pelos recursos humanos para avaliarem seu inglês e entrevistado por mais de 30 pessoas. Então, entrou na empresa em novembro de 2008, onde foi convidado para trabalhar como gerente do Mass Effect 2. "Considero bastante importante uma empresa de tecnologia constar de designers, producers e artistas de diferentes culturas para que o jogo disponha de uma qualidade mundial diferenciada", falou.

Fonte: Assessoria de Comunicação da UNICAP

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.