text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Coleção de cordel da UEPB recebe visita de representantes da maior biblioteca do mundo

      

Motivo de orgulho para toda a comunidade acadêmica, a Biblioteca Átila Almeida, localizada nas dependências da Universidade Estadual da Paraíba, em Campina Grande, recebeu, na última sexta-feira (01), a honrosa visita das representantes, no Brasil, da maior biblioteca pública do mundo, a "Library of Congress", mais conhecida como a biblioteca do Congresso Americano. Assim, com interesse particular na valiosa coleção de cordel, as bibliotecárias Marli Soares e Helena Diniz vieram conhecer, pessoalmente, todo o processo de conservação e catalogação das obras, desenvolvido exclusivamente pela UEPB.

Fascinadas pela imensidão do acervo, um total de 10.283 títulos, Marli e Helena se encantaram, igualmente, com a estrutura criada para abrigar e manter a maior coleção de cordel da América. Observando desde o controle das condições climáticas do recinto até a metodologia utilizada para o registro de obras e dados, as visitantes perceberam que dominar essas técnicas seria de suma importância para o aprimoramento de seu próprio projeto. Nesse sentido, propuseram informalmente uma parceria para a transferência desse conhecimento e intercâmbio entre as instituições. Como um primeiro passo para esse propósito, livros publicados pela Editora da Universidade Estadual da Paraíba (EDUEPB) já têm lugar garantido nas estantes da capital norte-americana.

Entretanto, o auge da visita se deu ao contemplarem de perto o sistema que armazena as obras digitalizadas dos cordéis. Fruto de um projeto de Iniciação Científica da UEPB, coordenado pela professora Manuela Maia, a digitalização tem o objetivo de criar um banco de dados na internet com toda a catalogação de títulos, bem como disponibilizar os cordéis, na íntegra, somente para o acesso local - dentro da própria Biblioteca Átila Almeida.

Nesse ínterim, Helena explicou o principal motivo de sua vinda até Campina Grande: apreender como definir metadados que identifiquem e localizem individualmente cada título de cordel em um sistema e que, consequentemente, permita a digitalização e disponibilização da obra em uma rede. A técnica empregada pela UEPB as deslumbrou e permitiu o surgimento de novas ideias. "Poderíamos criar uma rede brasileira de cordéis, oferecendo um grande acervo eletrônico de obras, além de reunir autores, leitores e bibliotecas de todas as regiões", comentaram.

Literatura de Cordel: o ápice da cultura regional

Vindas do escritório-filial da "Library of Congress", no Brasil, situado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Marli e Helena são duas brasileiras funcionárias do governo federal americano, apaixonadas pela cultura regional e, em especial, pela literatura de cordel.

Para elas, as obras representam o máximo da expressão popular, posto que têm o poder de transmitir o conhecimento através da fácil compreensão proporcionada pela sua linguagem. Ou seja, o cordel seduz tanto o homem originário do universo do campo, por exemplo, até aquele inserido no mundo poético do romantismo regional, vivido pelos beletristas.

Ao fim da visita, Marli e Helena reafirmaram sua satisfação ao verem a literatura de cordel receber, na UEPB, tratamento digno de produção científica. Mais do que celebrar esta riqueza que possui, a UEPB compreende que cada cordel possui um elemento que nenhum outro livro encerra: a essência criativa do espírito nordestino.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Universidade Estadual da Paraíba

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.