text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Ensino à distância quer formar 4 mil no Pará

      
Até o ano que vem, mais de quatro mil alunos de 31 municípios parãnses farão cursos de graduação e pós-graduação através do ensino à distância. Esta é uma estimativa feita pela Universidade Federal do Pará (UFPA) que há três anos colocou em prática os programas 'Educação à Distância' e 'Universidade Aberta do Brasil' (UAB), do governo federal. O reitor da UFPA, Alex Fiúza de Melo, e a coordenadora da Secretaria de Educação à Distância (Sead) da instituição, Selma Leite, apresentaram os dois programas que visam a inclusão social. O objetivo é ampliar a educação à distância no Estado - principalmente para formação de cursos de licenciatura plena. O evento aconteceu na sala de reuniões da reitoria da UFPA.

A intenção do Ministério da Educação através da UAB é abranger todas as universidades públicas do país com apoio de empresa estatais e particulares, nacionais e estrangeiras, para implantar os cursos à distância. Um exemplo é o Banco do Brasil que já ajudou a financiar 20 mil vagas desses cursos pelo país, incluindo a aquisição de materiais, laboratórios e outros custos para aulas presenciais e não presenciais (através da internet).

PIONEIRISMO

'A UFPA é pioneira na interiorização do ensino no Brasil, mas ao longo de 20 anos vem esbarrando num problema: a carência de professores e a escassez de recursos financeiros para investir nesse trabalho. No entanto, para manter os cursos à distância e dar conta de uma demanda que cresce bastante todos os dias, as parcerias se tornam indispensáveis para custear despesas como laboratórios, material didático, bolsas pesquisa e outras. As parcerias com os municípios se tornam importantes porque podem garantir a infra-estrutura para aulas presenciais e outros custeios', explica Selma Leite. Segundo ela, a reunião de ontem serviu para divulgar os programas, ampliar as negociações entre os parceiros e a universidade para implantação dos cursos e liberação destes junto ao MEC.

De acordo com a Sead, 22 municípios parãnses se articulam para a implantação de projeto de educação à distância, mas ainda necessitam de orientações quanto ao planejamento e oportunidades de parceria com a UFPA para aprovação dos mesmos junto ao MEC. 'E este momento da apresentação dos programas é essencial para acertarmos esses pontos', acrescentou Selma Leite.

De acordo com ela, a educação à distância representa um salto significativo para acabar com o atual cenário do Pará em que há um déficit de 270 mil professores nas escolas da rede pública e 11% dos jovens não têm acesso a cursos universitários.

Segundo o reitor Alex Fiúza de Melo, os cursos oferecido pelos programas através da UFPA visam principalmente a formação de professores para suprir a demanda dos municípios do interior do Estado, ainda muito carentes quando o assunto é educação. 'Por isso estamos priorizando os cursos de licenciatura plena em disciplinas como Biologia, Química, Física, Matemática e outros', exemplificou.

Ele observa que para deslanchar o ensino à distância é preciso que as empresas de telecomunicações se sensibilizem e não ofereçam tarifas elevadas para conexão à internet. 'O preço alto é um dos maiores entraves para promoção do ensino público', disse.
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.