text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Amazonas pode integrar mercado global em softwares

      

 

O interior do estado do Amazonas tem condições de participar do mercado mundial de desenvolvimento de softwares (programas para computadores). Essa afirmação é do analista de sistemas Danny de Souza Lopes, que apresentou em sua dissertação de mestrado pela Escola Politécnica (Poli) propostas para tornar o estado um desenvolvedor de softwares.

 

» Agenda: conheça os eventos promovidos pelas IES
» Curso: confira os cursos de pós-graduação lato sensu e extensão
» Universia Livros: Mais de 200 livros para baixar grátis
» Siga o Universia Brasil no Twitter

 

O governo estadual deu o primeiro passo ao criar cursos superiores em tecnologiaSegundo Lopes, o primeiro passo já foi dado pelo governo estadual, que tem realizado investimentos em educação com a oferta de ensino superior em tecnologia para seus municípios. "A ideia seria aproveitar as cidades que já participaram do projeto do governo que levou o ensino superior técnico à região", diz.

 

Contudo, o analista comenta que esses novos técnicos estão sem mercado para trabalhar em seus municípios. "Muitos se formam e não acham mercado de trabalho em suas cidades, sendo obrigados a migrarem para Manaus, onde tem melhor estrutura". Assim, Lopes sugere que se crie uma estrutura apropriada nos outros municípios, de modo que dê continuidade à formação do aluno.

 

A partir da integração com o ensino superior, a pesquisa sugere um treinamento em Desenvolvimento Global de Software (DGS), que ocorre quando duas ou mais equipes separadas em diferentes nações atuam colaborativamente em projetos comuns. Seria um modelo em que as cidades amazonenses atrairiam empresas desenvolvedoras de softwares, ao mesmo tempo em que impulsiona suas economias.

 

Nele, os alunos dos cursos técnicos teriam de fazer um estágio em alguma entidade (governo ou iniciativa privada) atuante no mercado de softwares. Fora o estágio, Lopes afirma que esses futuros profissionais precisam adquirir também outras experiências, que pode ser por projetos simulados e estudos de casos. Além disso, dentro do treinamento em DGS, o analista acredita ser essencial a capacitação em idiomas para a atuação no mercado global, principalmente na língua inglesa.

 

"O objetivo principal neste treinamento é mostrar para o profissional seu papel, sua importância dentro do projeto de desenvolvimento distribuído de software e como ele poderá contribuir indiretamente para alavancar a economia local", comenta.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.